Corrimento e Inflamação

Corrimento marrom pode ser gravidez?

Corrimento marrom pode, sim, ser um indicativo de gravidez.

Quando ocorre a nidação (implantação do embrião fecundado na parede uterina), há eliminação de pequena quantidade de sangue pela vagina e, em alguns casos, quando misturado à secreção vaginal (normal) ou quando misturado a um corrimento pré-existente (infeccioso ou de qualquer outra causa), pode ter um aspecto marrom-avermelhado, acastanhado ou marrom claro. A coloração marrom geralmente indica sangramento. No caso da nidação, é normal.

Entretanto, há diversas causas de sangramento durante a gestação, algumas delas potencialmente graves, com alto risco de morte para o bebê e a gestante. Além disso, mesmo que seja um sangramento normal da gestação, o corrimento deve ser tratado (o corrimento marrom pode ser, por exemplo, sangue misturado com o corrimento da candidíase, que é branco, ou o corrimento da vaginose bacteriana, que geralmente é amarelado, entre diversas outras causas).

Portanto, sempre que ocorrer sangramento ou corrimento, de qualquer cor ou tipo, procure imediatamente um médico ginecologista para avaliação. Ele poderá fazer o exame para averiguar se você está grávida ou não e lhe dar o tratamento ideal, se for necessário.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Inchaço, vermelhidão, coceira, irritação na vagina?

Inchaço, vermelhidão, coceira e irritação na vagina são sintomas de infecção vaginal, sendo a candidíase a mais provável. Caso não seja detectado nenhum micro-organismo causador de doenças, pode ser alguma irritação mecânica, química ou alérgica.

No caso da candidíase, trata-se de uma infecção da vulva e da vagina causada por um fungo (Candida albicans, Candida tropicalis, Candida glabrata, Candida parapsilosis) que habita a mucosa vaginal e a mucosa digestiva. Quando o ambiente torna-se favorável, o fungo se prolifera e ocasiona a candidíase.

Pode ser transmitido através de relações sexuais, embora essa já não seja considerada a principal forma de transmissão, uma vez que o fungo está naturalmente presente presente na flora vaginal das mulheres sem provocar nenhum sintoma.

Alguns fatores que favorecem o aparecimento da candidíase vaginal:

  • Diabetes;
  • Uso de antibióticos, contraceptivos orais, corticosteroides;
  • Gravidez;
  • Imunidade baixa;
  • Obesidade;
  • Roupas justas;
  • Clima quente.

O tratamento da candidíase é feito com medicamentos antifúngicos por via oral e também através de cremes vaginais.

Se for uma reação alérgica ou alguma irritação mecânica, é preciso investigar a causa e remover o agente agressor.

Cabe à/ao ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral diagnosticar a origem desses sintomas e prescrever um tratamento adequado. 

Dra. Nicole Geovana
Inflamação no útero pode atrasar a menstruação?

Sim, a inflamação no útero, geralmente decorrente de uma infecção, que é uma condição relativamente rara, pode atrasar sua menstruação.

A infecção uterina pode ser causada por diversos microorganismos; são diversas doenças que atingem mulheres sexualmente ativas. Os sintomas podem ser:

  • Corrimento persistente, mal cheiroso, de cor branca, amarelada, marrom ou cinza;
  • Sangramento vaginal anormal;
  • Dispareunia (dor durante a relação sexual);
  • Dor na vagina;
  • Sensação de pressão na região pélvica.

É importante notar que nem todas as infecções no útero vão apresentar os sintomas descritos acima. Existe a possibilidade, inclusive, de se estar com uma infecção no útero e não apresentar qualquer tipo de sintoma.

Causas da infecção no útero: principalmente doenças sexualmente transmissíveis (geralmente devido a múltiplos parceiros sexuais, não usar camisinha nas relações) e má higiene íntima.

Tratamento para infecção uterina: Feito com antibióticos, mas isto vai depender do estado de saúde da mulher e do que originou a doença. Sempre procurar um médico ginecologista.

Outros fatores que podem levar ao atraso menstrual são:

  • Ovários policísticos: Causa comum de atrasos nos ciclos menstruais;
  • Infecções/inflamações no colo do útero: As infecções por micro-organismos como Chlamydia trachomatis e também Trichomonas vaginalis podem ocasionar sangramento no colo uterino, e esse sangramento pode muitas vezes ser confundido com uma irregularidade no ciclo menstrual;
  • Uso de determinados medicamentos: Anticoncepcionais orais, anticoagulantes, antidepressivos, corticoides, antipsicóticos dentre outros;
  • Distúrbios hormonais: O hipotireoidismo (diminuição dos níveis do hormônio T4L no sangue) e alterações nos níveis de prolactina também podem causar irregularidades no ciclo menstrual;
  • Gestação: No período pós-gestacional (durante a amamentação), há atraso no ciclo menstrual, de até nove meses, além de alterações psicológicas e principalmente físicas.
  • Prática excessiva de exercícios físicos: Associada com alguns outros fatores (como a perda de peso, dieta inadequada e quantidade insuficiente de gordura corporal), provocam alterações hormonais e consequentemente irregularidade no ciclo menstrual, como o atraso e em alguns casos cessação da menstruação por longos períodos.
  • Cisto ovariano: Diferentemente dos ovários polimicrocísticos (supracitados), um ciclo único pode influenciar no ciclo, causando o atraso. 
  • Cirurgias: Determinados tipos de cirurgias, tais como a laqueadura e as cirurgias ovarianas, também podem ocasionar atrasos no ciclo menstrual.

Em caso de atraso menstrual ou suspeita de infecção vaginal ou uterina, por qualquer motivo, um médico ginecologista deverá ser consultado para avaliação, determinação da causa e tratamento, se necessário.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Qual o risco de ter relação durante o uso de creme vaginal?

Creme e pomada vaginal devem ser usados em dias seguidos e sem atividade sexual durante o período do tratamento. Esses produtos são medicamentos indicados para tratar infecções e necessitam de um tempo para agir na mucosa da vagina e combater os micro organismos que estão provocando a infecção. Nesse tempo de ação do creme, é importante não haver secreções, inflamações ou escoriações na vagina provocadas pelo ato sexual.

Ter relação sexual durante o tratamento com creme vaginal pode diminuir a eficácia do medicamento e não tratar completamente a infecção, aumentando a chance de ter que recomeçar o tratamento com outro tipo de medicação.

Por isso, é indicado não ter relação sexual durante todo o período do uso do creme ou pomada vaginal, que pode variar a depender do tipo de infecção e do medicamento em questão.

Dra. Nicole Geovana
O que é colpite e o que pode causar?

Colpite é uma inflamação da mucosa que recobre o colo do útero e as paredes internas da vagina. Ela pode ser assintomática (sem sintomas) ou apresentar corrimento vaginal, odor, coceira e ardência.

As causas são: bactérias - colpite bacteriana - (Gardnerella vaginalis), fungos (Candida albicans) e protozoários (Trichomonas vaginalis), muitas vezes transmitidos através de relações sexuais sem preservativo.

De acordo com os seus sinais e sintomas, pode ser:

  • Colpite Difusa: pontilhado vermelho fino que cobre toda a mucosa vaginal e o colo uterino. Quanto maior o número de pontilhados, mais intensa e mais grave é a infecção;
  • Colpite Focal: pequenas áreas vermelhas arredondadas ou ovais, separadas do resto da mucosa, normalmente associada à Colpite Difusa;
  • Colpite Aguda: pontilhado vermelho com mucosa edemaciada (inchada);
  • Colpite Crônica: caracteriza-se por um pontilhado branco ao lado do vermelho;
  • Colpite por Tricomonas: é uma colpite difusa caracterizada por conteúdo vaginal esverdeado com bolhas gasosas;
  • Colpite por Candida: colpite difusa ao lado de placas brancas.

 Em caso de ausência de tratamento ou tratamento inadequado ela pode causar endometriose, doença pélvica inflamatória, dor pélvica, infertilidade, gravidez ectópica ou problemas fetais caso ocorra durante a gestação.

A colpite é diagnosticada com o exame clínico e com o exame preventivo, que as mulheres que possuem relações sexuais ativas devem fazer com frequência. Caso você apresente algum sintoma, procure o/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral.

Dra. Nicole Geovana
Corrimento amarelo pode ser gravidez?

Corrimento amarelo pode, sim, ser um indicativo de gravidez, embora geralmente seja um sinal de infecção, pois o corrimento característico da gravidez é de cor clara, sem cheiro, decorrente de alterações hormonais e aumento de fluxo sanguíneo local, que ocorrem com a mulher nesta fase. Não é prejudicial nem à gestante, nem ao bebê.

Já o corrimento marrom, amarelado, esverdeado, acinzentado ou escuro com mau cheiro e que vem acompanhado ou não de outros sintomas, como coceira e ardência ao urinar ou durante o contato íntimo, pode ser um quadro mais grave e a gestante deve procurar um obstetra o quanto antes. 

Portanto, sempre que ocorrer sangramento ou corrimento, de qualquer cor ou tipo, procure imediatamente um médico ginecologista para avaliação. Ele poderá fazer o exame para averiguar se você está grávida ou não e lhe dar o tratamento ideal, se for necessário.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Corrimento rosado, o que pode ser?

Corrimento rosado pode ser o sinal inicial de uma gravidez ou um corrimento habitual do ciclo menstrual.

Quando ocorre a fecundação do óvulo, a mulher pode observar a presença de um leve corrimento rosado, que é um corrimento vaginal normal apresentado pela mulher.  

A cor rosada do corrimento é devida aos vestígios de sangue, que são o resultado da entrada do espermatozoide no óvulo e do deslocamento do mesmo até o útero. Esse corrimento pode aparecer poucos minutos depois da relação ou até 3 dias depois, uma vez que esse é o tempo que o espermatozoide permanece vivo dentro do organismo feminino.

Um corrimento rosado ou levemente amarronzado pode surgir durante o ciclo menstrual naquelas mulheres que apresentam escapes decorrentes do uso de algum tipo de anticoncepcional.

Apesar do corrimento vaginal ser uma resposta fisiológica natural do corpo da mulher, ele também pode sinalizar alguma alteração.

O mais indicado é consultar o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral sobre a ocorrência de um corrimento rosado ou qualquer outro tipo de corrimento vaginal para que as causas sejam apuradas e, se necessário, devidamente tratadas.

Dra. Nicole Geovana
É possível engravidar com inflamação no útero?

É possível, mas é mais difícil.

A inflamação do útero, chamada de doença inflamatória pélvica, acontece devido à infecção causada por alguns tipos de bactéria, frequentemente adquiridas por transmissão sexual.

Ela causa alteração nas secreções e nas paredes internas do útero, podendo inclusive favorecer ao aparecimento de aderências, que é quando essas paredes "grudam" uma na outra.

Isso tudo pode dificultar a engravidar durante a infecção. Além disso, essas modificações podem deixar sequelas no útero, e afetar a fertilidade mesmo depois do tratamento adequado.

Além disso, é importante lembrar que a infecção que acontece durante a gestação pode levar a sérios riscos para o bebê.

Leia também: Corrimento impede gravidez?

Por isso, essas pacientes precisam ser acompanhadas por um ginecologista, e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, a fim de se evitarem os riscos à fertilidade e ao bebê.

Dr. Gabriel Soledade