Perguntar
Fechar

Sintomas

Sinto a garganta fechando e a sensação de que não consigo respirar. O que pode ser?

Sentir a garganta fechando e ter a sensação de não conseguir respirar é um sintoma de ansiedade. Porém, é preciso fazer alguns exames para descartar problemas cardíacos e alterações hormonais, para que seja diagnosticada a ansiedade.

No entanto, não há exames específicos para diagnosticar diretamente os distúrbios de ansiedade. Alguns desses distúrbios podem durar curtos espaços de tempo, enquanto outros poderão ocorrer durante toda a vida, necessitando assim de um tratamento prolongado.

A psicoterapia é uma forma de tratamento que tem se mostrado bastante eficaz no tratamento dos distúrbios de ansiedade.

As técnicas de psicoterapia têm como objetivo alterar as crenças errôneas que o paciente tem sobre si mesmo, ajudando-o a enfrentar situações que causam desconforto.

Com a ajuda do psicólogo o paciente será capaz de identificar e gerenciar as causas da sua ansiedade, pois estará mais bem preparado para enfrentar as situações difíceis que possam surgir.

Consulte um médico clínico geral ou médico de família para descartar outros problemas médicos e, se a causa da falta de ar e da garganta fechando for mesmo ansiedade, procure ajuda de um médico psiquiatra ou de um psicólogo.

Quem tem gastrite e esofagite sente dor no peito?

Sim, quem tem gastrite e esofagite pode sentir dor no peito, principalmente a esofagite, já que o esôfago fica localizado dentro da caixa torácica. Muitas vezes os pacientes sentem dor no peito por causa da esofagite e ficam preocupados, pois acham que estão sofrendo de alguma doença do coração.

Já na gastrite, a dor localizada na boca do estômago pode irradiar para outros locais, podendo também provocar dor no peito.

Alguns dos sintomas da esofagite e gastrite:

  • Esofagite:

    • Sensação de queimação no peito, pescoço e garganta;
    • Regurgitação ácida;
    • Dificuldade para engolir alimentos;
    • Dor no peito, que nos casos mais graves pode parecer uma dor cardíaca;
    • Rouquidão;
    • Dor de garganta, 
    • Mau hálito;
    • Tosse seca.
  • Gastrite:
    • Dor na boca do estômago que pode irradiar para outras partes do corpo, incluindo o tórax;
    • Azia;
    • Perda de apetite;
    • Náuseas e vômitos;
    • Sangue nas fezes ou no vômito.

Leia também: Quais os sintomas de gastrite?; O que é esofagite erosiva e quais os sintomas?

Dentre as possíveis causas de dor no peito, além de gastrite e esofagite, estão:

  • Gases;
  • Ansiedade;
  • Infarto;
  • Doenças respiratórias, como pneumonia, pleurite, câncer no pulmão, embolia pulmonar;
  • Lesões musculares ou nas costelas;
  • Herpes-zoster;
  • Úlceras.

Para ter a certeza de que a dor no peito é mesmo proveniente da gastrite e da esofagite, é recomendável consultar o/a médico de família, clínico/a geral, ou o próprio gastroenterologista, de maneira a despistar outras possíveis causas mais graves.

Também pode lhe interessar: 

Esofagite causa perda de peso? O que fazer para evitar isso?

Esofagite pode virar câncer?

Sinto pontadas no peito. O que pode ser?

Dor de cabeça na nuca durante a gravidez, o que pode ser?

Dores de cabeça durante a gravidez são geralmente comuns. Decorrem principalmente de alterações hormonais (o aumento do estrógeno provoca vasodilatação, aumentando a probabilidade da ocorrência de cefaleias). Além disso, mudanças de hábitos como tomar menos café, mais estresse, alimentação irregular, desidratação, alterações metabólicas, etc. podem causar as cefaleias. Entretanto, é um sintoma muito inespecífico e pode ocorrer independente da gestação, isto é, sua causa deve ser investigada mais a fundo.

Geralmente, nestes casos, quando não há quaisquer outros sintomas de gravidade, o tratamento é sintomático (da dor), com analgésicos simples sempre receitados pelo médico, sendo a investigação feita em casos recorrentes ou sem melhora clínica com uso de remédios ou outras abordagens (veja abaixo). É fundamental saber qual a sua idade, antecedentes pessoais e características detalhadas da dor de cabeça (onde exatamente dói (aponte)? qual o tipo da dor - pontada, peso, pulsação, aperto, queimação? é de um lado da cabeça, cabeça toda ou só na nuca mesmo? é intensa? quão intensa (dê uma nota de zero a dez - zero é a dor mais fraca da vida e dez é a pior)? é a mais forte da vida? chega a despertar do sono, ter náuseas ou vomitar nas crises? irradia ("espalha") para algum lugar ou é restrita a essa região específica? há quanto tempo está com dor? ela é cíclica (vai e volta) ou contínua, durando dias? quando vem a dor dura quanto tempo? você já teve antes? é comum? tem algum horário do dia ou do mês em que acontece com mais frequência? piora com luz, som ou determinados alimentos? melhora com alguma coisa? está piorando, ao longo do tempo, ou apresentando novos sintomas concomitantes? e na família? é frequente? etc.), início dos sintomas, concomitância dos sintomas com febre ou outros sinais/sintomas de gravidade (dor abdominal, embaçamento da visão, edema em mãos e pés), etc.

Se houver apenas os sintomas citados na pergunta, simultaneamente, pode ser dor de cabeça "fisiológica" da gestação, decorrente das alterações hormonais e mudanças de hábitos supracitados, ou cefaléia tensionalmigrânea (enxaqueca), problemas de visão ou uso de óculos inadequados ao seu grau, mas também podem ser condições muito mais graves, como pré-eclâmpsiameningite, aneurismas / tumores cerebrais, se houver outros sinais e/ou sintomas concomitantes (como aumento da pressão arterial, febre e vômitos), enfim; é impossível dar o diagnóstico apenas com esses dados.

Para evitar as dores de cabeça ou tratá-las sem remédios, seguem algumas recomendações:

  • Estresse ou fadiga são fatores que podem desencadear crises, e devem ser evitados;
  • Tente fazer drenagem linfática para gestantes ou experimente fazer massagens com um profissional. Elas ajudam a diminuir o estresse e promovem a circulação sanguínea;
  • Tenha hábitos de alimentação saudáveis - evite alimentos gordurosos, como chocolates, queijos amarelos, alimentos cítricos e embutidos;
  • Procure fazer atividades físicas próprias para gestantes. Hidroginástica ou ioga podem ser boas idéias.
  • Coma mais vezes ao longo do dia e em quantidades menores;
  • Tente fazer outros exercícios de relaxamento ou mesmo acupuntura;
  • Evite ficar exposta a luz muito intensa, como ficar na praia, ao sol, especialmente sem usar proteção para a cabeça e olhos;
  • Cheiros fortes também podem causar dor de cabeça. Evite a exposição a fumaça de cigarro, perfumes fortes, cheiro de tinta, etc;
  • Evite locais com níveis muito altos de ruído;
  • Chá de camomila, na quantidade de 1 xícara por dia, não prejudica a gravidez e evita a dor por conter um pouco de cafeína;
  • Evite viajar para locais de grande altitude;
  • Tente manter um horário de sono regular. Dormir muito pouco ou em excesso não ajuda;
  • Certas dores aliviam bastante após repouso, ou se a pessoa conseguir pelo menos relaxar. Compressas de água morna ao redor dos olhos ou mesmo na nuca podem ajudar muito.

No caso de dor de cabeça na nuca durante a gravidez, um médico clínico ou preferencialmente seu ginecologista deverá ser consultado para avaliação (com anamnese completa, e exame físico detalhado) e exames complementares se julgar necessário. Com base nas informações obtidas, poderá fazer o diagnóstico e tratamento corretos, caso a caso.

Seios inchados fora do período menstrual: o que pode ser?

Seios inchados fora do período menstrual podem ser causados por diversas situações, como aproximação da menstruação, alterações hormonais, uso de anticoncepcional, gravidez, entre outras.

Pode ser gravidez?

Sim, se os seios estiverem inchados e doloridos e vierem acompanhados de atraso menstrual e outros sintomas, como cansaço, tontura, sono, inchaço abdominal, pode ser que você esteja grávida.

Entretanto, as causas mais comuns de seios inchados fora do período menstrual são TPM (tensão pré-menstrual), alterações hormonais e uso de anticoncepcionais.

Antes da menstruação é normal os seios ficarem inchados e doloridos devido à retenção de líquidos provocada pela mudança hormonal no corpo nessa fase.

Grande parte dos casos de seios inchados está relacionada com a fase do ciclo menstrual ou com o uso de hormônios, que causa retenção de líquidos e deixa os seios inchados, levando a uma reação inflamatória no tecido que provoca dor.

Para saber exatamente por que os seus seios estão inchados fora do período menstrual, você deve procurar um médico ginecologista.

Leves enjoos e dor de cabeça há 2 semanas o que pode ser?

Seus sintomas são bem genéricos, mas não indicam para nenhuma das doenças que você citou. Um problema no estômago até poderia ser. "Problemas emocionais" entrariam na lista com certeza; gravidez, até poderia provocar os enjôos, mas não provocaria a dor de cabeça.

O que fazer para parar de vomitar?

Para parar de vomitar é preciso fazer alterações na dieta e tomar medicamentos antieméticos para combater as náuseas. Se os vômitos tiverem uma causa emocional, o tratamento pode consistir apenas em tranquilizar a pessoa ou tomar a medicação.

Em caso de vômitos contínuos, deve-se:

  • Limitar qualquer comida ou bebida até o vômito cessar;
  • Aguardar por 30 a 60 minutos;
  • Iniciar a alimentação com pequenas quantidades (goles) de líquidos claros, como  como sucos, chás, caldos, gelatinas e lascas de gelo.

Medidas dietéticas para parar de vomitar:

  • Fracionar a dieta em pequenas refeições com intervalos menores;
  • Realizar as refeições em ambiente tranquilo e arejado;
  • Manutenção de horários estabelecidos para as refeições;
  • Comer pequenas quantidades de carboidratos;
  • Dar preferência a alimentos que sejam da sua preferência;
  • Evitar deitar-se logo após as refeições, mantendo a cabeça por até uma a duas horas após a ingestão de alimentos;
  • Evitar preparações de alimentos em temperaturas extremas, preferindo preparações a temperatura ambiente ou alimentos frios;
  • Evitar ficar próximo à cozinha na hora da preparação da refeição, para impedir que os cheiros dos alimentos durante o cozimento acentuem as náuseas;
  • Evitar frituras, alimentos gordurosos, condimentados, salgados, ácidos, açucarados e com odor forte;
  • Evitar alimentos azedos, como limão, picles ou balas duras, bem como a oferta de líquidos durante às refeições;
  • Procurar fazer refeições com alto teor proteico ao invés daquelas ricas em carboidratos e gordura.

Devido à diversidade das causas de náuseas e vômitos, o uso dos medicamentos para cessar o vômito deverá ser feito em cada situação específica, segundo orientação médica.

Quais os sintomas de infecção intestinal?

Os sintomas de infecção intestinal mais comuns são:

  • Vômito;
  • Náusea;
  • Diarreia;
  • Febre e calafrios;
  • Mal-estar e dor nos músculos;
  • Dor abdominal;
  • Cólica;
  • Perda de apetite.

Esses sinais e sintomas surgem em até 72 horas após a ingestão de algum alimento contaminado e podem durar cerca de 4 dias, conforme o tipo de contaminação do alimento.

No caso de ser apenas uma toxina dos estafilococos, a duração é curta, de apenas um dia e o paciente terá sobretudo vômitos. No entanto, se a infecção intestinal for causada por vírus e bactérias, os sintomas são mais fortes e poderão durar até 7 dias.

A principal causa de infecção intestinal é a ingestão de alimentos mal lavados ou mal conservados com presença de micro-organismos (bactérias, vírus), substâncias químicas ou tóxicas, que podem causar uma intoxicação alimentar, também conhecida como gastroenterocolite aguda.

A falta de higiene e o manuseio e armazenamento incorretos dos alimentos são as principais causas de contaminação dos mesmos, além do tempo que ficam expostos a essas substâncias ou micro-organismos.

Continue a leitura em:

Qual o tratamento para infecção intestinal?

Dor no estômago e dor nas costas, o que pode ser?

Inúmeras causas são possíveis. Podem por exemplo ser problemas separados, como por exemplo uma gastrite acontecendo junto com uma dor muscular nas costas; ou podem fazer parte da mesma doença, como em casos de pancreatite e dissecções de aorta, que são mais graves porém muito menos comuns.

Para saber a causa exata de um paciente, é fundamental que ele procure um médico, que irá examinar, solicitar exames e propor o tratamento ideal a partir do diagnóstico preciso.