Perguntar
Fechar

Sintomas

O que pode ser dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura?

Dor de cabeça na nuca, enjoo e tontura são sintomas muito inespecíficos e podem ocorrer nas mais diversas doenças (ou mesmo em pessoas perfeitamente saudáveis, na gravidez ou desidratação, entre outras causas).

Geralmente, nestes casos, quando não há quaisquer outros sintomas de gravidade, o tratamento é sintomático (dos sintomas), sendo a investigação feita em casos recorrentes ou sem melhora clínica com uso de remédios. É fundamental saber a sua idade, sexo, antecedentes pessoais e características específicas da dor de cabeça (onde exatamente dói (aponte)? qual o tipo da dor - pontada, peso, pulsação, aperto, queimação? é de um lado da cabeça, cabeça toda ou só na nuca mesmo? é intensa? quão intensa (dê uma nota de zero a dez - zero é a dor mais fraca da vida e dez é a pior)? é a mais forte da vida? chega a despertar do sono ou vomitar nas crises? irradia ("espalha") para algum lugar ou é restrita a essa região específica? há quanto tempo está com dor? ela é cíclica (vai e volta) ou contínua, durando dias? quando vem a dor dura quanto tempo? você já teve antes? é comum? tem algum horário do dia ou do mês em que acontece com mais frequência? piora com luz, som ou determinados alimentos? melhora com alguma coisa? está piorando, ao longo do tempo, ou apresentando novos sintomas concomitantes? e na família? é frequente? a tontura e o enjoo vêm juntos com a dor, ou são independentes dela? etc.), início dos sintomas, concomitância dos sintomas com febre ou outros sinais/sintomas de gravidade, etc.

Se houver apenas os sintomas citados na pergunta, simultaneamente, pode ser cefaléia tensional, migrânea (enxaqueca) - nestas duas primeiras possibilidades, a tontura e o enjoo viriam junto com a dor, labirintopatia ("labirintite"), problemas de visão ou uso de óculos inadequados ao seu grau, mas também podem ser condições muito mais graves, como meningite, aneurismas / tumores cerebrais, se houver outros sintomas concomitantes, enfim; é impossível dar o diagnóstico apenas com esses dados.

Também pode lhe interessar: Sinto uma tontura constante. O que pode ser?

Neste caso, um médico clínico deverá ser consultado para avaliação (com anamnese completa, e exame físico detalhado) e exames complementares se julgar necessário. Com base nas informações obtidas, poderá fazer o diagnóstico e tratamento corretos, caso a caso.

Sinto minha barriga mexer: o que pode ser?

Sentir a barriga mexer é provável que seja gases intestinais. Se for gravidez, é preciso estar com pelo menos 4 ou 5 meses de gestação para sentir o bebê mexer, o que significa que a mulher já deverá ter percebido que está grávida nessa altura.

Os gases intestinais são produzidos por bactérias que habitam o intestino e atuam na digestão dos alimentos. Quando produzidos em excesso, eles podem mesmo fazer a barriga mexer, como se estivesse "algo" lá dentro. 

Além disso, os gases intestinais podem deixar a barriga dura e inchada, causando dor abdominal e flatulência.

A principais causas de gases intestinais são:

  • Alimentos como feijão, ovos, leite, batata, milho, brócolis, couve-flor, grão-de-bico, ervilha;
  • Falta de atividade física;
  • Prisão de ventre;
  • Intolerância à lactose.

Na maior parte dos casos, a produção excessiva de gases intestinais não está associada a nenhuma doença. No entanto, se surgirem outros sintomas, como emagrecimento, diarreia crônica, falta de apetite, anemia e sangramentos, deve-se consultar o/a clínico/a geral ou médico de família.

Quais os sintomas de inflamação no útero?

Os sintomas de inflamação no útero podem ser corrimentosangramento e dor, principalmente durante a relação sexual. Porém, esses sintomas dependem também da localização da inflamação, que pode ocorrer no colo do útero (cervicite) ou na região interna do útero (endometrite).

A inflamação mais comum no útero é aquela que ocorre no colo do útero (cérvix ou cérvice), que é a região mais estreita do útero localizada no fundo da vagina e por onde o sangue menstrual é eliminado. A inflamação do colo do útero não interfere na boa evolução da gravidez desde que seja tratada adequadamente.​

Os sintomas da inflamação no colo do útero são:

  • corrimento vaginal (leucorreia) com mal cheiro e com coloração amarelada,
  • dor para urinar (disúria) ,
  • dor nas relações sexuais (dispareunia),
  • sangramento após a relação sexual,
  • sangramento fora do período menstrual,
  • dor na região inferior da barriga (abdominal baixa).

A cervicite, muitas vezes, não apresenta sintomas, o que pode levar à progressão dessa infecção e inflamação para regiões próximas como os ovários, trompas e região interna do útero (endometrite), causando a Doença Inflamatória Pélvica (DIP), situação mais grave, que além dos sintomas presentes na cervicite pode acompanhar-se de febre, náuseas e vômitos.

O exame Papanicolau é utilizado para diagnosticar as inflamações do colo do útero​ e o ginecologista e/ou obstetra são os especialistas indicados para o tratamento dessas doenças.

Quais os sintomas do Gama-GT alto?

Na realidade, o Gama-GT alto não provoca sintomas específicos. Uma pessoa com níveis elevados de Gama-GT poderá apresentar os sintomas daquilo que provocou esse aumento no Gama-GT.

Por exemplo, uma pessoa com doença no fígado poderá ter Gama-GT alto, mas não irá manifestar sintomas causados pelo Gama-GT especificamente, mas sim pela doença hepática. Neste caso, pode-se esperar que o paciente apresente os seguintes sintomas:

  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor ou distensão abdominal;
  • Icterícia (pele e olhos amarelados);
  • Alteração da cor da urina e das fezes;
  • Coceiras.
Quais as principais causas do Gama-GT alto?
  • Doenças hepáticas e biliares;
  • Infarto;
  • Doenças pancreáticas;
  • Diabetes;
  • Insuficiência renal;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Medicamentos (fenantoína, barbitúricos);
  • Alcoolismo.

A Gama-GT é uma enzima que está presente no fígado, coração e pâncreas. O exame de Gama-GT é útil para rastrear obstrução biliar e doenças no fígado, especialmente aquelas causadas pelo álcool.

Leia também: Quais os sintomas do Gama-GT baixo?

Geralmente o/a médico/a solicita o Gama-GT em conjunto ou no seguimento de outros exames capazes de fornecerem informações adicionais. Leve o resultado dos exames solicitados na consulta de retorno para que o/a profissional possa realizar a avaliação completa do seu caso clínico.

Sai do umbigo uma secreção com mau cheiro, o que pode ser?

Sair uma secreção com mau cheiro do umbigo pode ter várias causas, desde uma inflamação local, uma infecção (foliculite), uma reação a um corpo estranho (piercing), até a persistência do úraco, que é uma estrutura embrionária em forma de tubo que liga o umbigo à bexiga.

Durante a formação do nosso corpo, ainda dentro do útero materno, várias estruturas se formam e se modificam até o desenvolvimento estar completo. Após o nascimento, o úraco se fecha e forma um ligamento entre o umbigo e a bexiga. Quando isso não ocorre, forma-se uma espécie de canal entre abexiga e o umbigo. Durante o crescimento, podem se formar secreções dentro dele que são eliminadas pela cicatriz umbilical, principalmente quando ocorrem infecções locais.

Outra problema raro que pode estar presente no umbigo é um foco de endometriose, que é o desenvolvimento das células do endométrio (camada interna do útero) fora da cavidade uterina.

Como as causas e os tratamentos podem ser muito variados, deve-se sempre consultar um médico nessas situações. O clínico geral é o profissional indicado para tratar ou realizar o encaminhamento a outros especialistas.

Leia também:

Umbigo inflamado: o que pode ser?

Dor e sangramento no umbigo: o que pode ser e o que fazer?

Sinto uma pulsação na minha barriga, o que pode ser?

Uma pulsação na barriga pode ser apenas os batimentos cardíacos sentidos através da artéria aorta, mas também pode indicar um aneurisma nessa mesma artéria. Gravidez não provoca pulsação na barriga e, mesmo que a mulher esteja grávida, não é possível sentir o coração do bebê bater.

A artéria aorta é o principal vaso sanguíneo que sai do coração e atravessa o tórax e o abdômen (barriga). A porção abdominal da aorta é volumosa e pode ser facilmente sentida em pessoas magras. Daí a sensação de "pulsação na barriga".

Porém, existe um problema relacionado às artérias chamado aneurisma, em que o vaso sanguíneo fica dilatado e pode se romper, causando uma hemorragia interna que pode levar à morte.

Normalmente o aneurisma da aorta não causa sintomas, mas, quando estes aparecem, o paciente geralmente sente pulsação na barriga e dor na barriga ou nas costas. É importante lembrar que cerca de 75% dos casos de aneurisma da aorta ocorrem na porção abdominal.

Essa dilatação geralmente ocorre numa área mais frágil da parede da artéria, enfraquecida principalmente pela arterosclerose, o que faz com que a pressão sanguínea no interior da artéria provoque a protusão.

O aneurisma da aorta pode se romper a qualquer momento e quase sempre evolui para a ruptura, daí a importância de um diagnóstico precoce. Uma vez detectado, o tratamento do aneurisma é cirúrgico.

Em caso de sensação de pulsação na barriga, o mais indicado é procurar o/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família para que o abdômen seja devidamente examinado e as causas sejam identificadas.

Sintomas de Gravidez

Principais Sintomas de Gravidez:

1. Atraso menstrual

Quando a menstruação não vem no período esperado. Em geral, é detectado pela mulher entre 1 a 2 semanas de atraso.

2. Náuseas e vômitos

Podem ocorrer nos primeiros dias da gestação, mas são mais comuns a partir do 1º ou 2º mês da gravidez e não ocorrem em todas as pacientes.

3. Sensibilidade nas mamas

A mulher grávida pode ter uma sensibilidade maior nas mamas, é uma espécie de dolorimento ao toque ou pressão, pode aparecer como um formigamento ou como uma sensação de inchaço, algumas vezes o inchaço é real e não só uma sensação;

4. Aumento da frequência urinária e urgência para urinar

A mulher começa a ir mais vezes ao banheiro e as vezes tem a sensação de urgência urinária, ou seja, parece que vai urinar imediatamente, como se fosse urinar na roupa se não chegar rápido ao banheiro.

Os sintomas de gravidez citados anteriormente são os mais comuns.

Leia também: Diferenças entre Gravidez e Gravidez Psicológica

Sintomas de Gravidez menos frequentes:

Existem outros sintomas também, porém são vistos com uma frequência menor:

  • Cólicas e/ou sangramento no momento da implantação: uma dor abdominal tipo cólica associada a um pequeno sangramento pode ocorrer no momento da implantação no útero do óvulo fecundado, esses sintomas aparecem no meio do ciclo e a maioria das mulheres acham que menstruaram novamente antes da data normal, como passa rapidamente, não dão muita importância;
  • Escurecimento da aréola do bico dos seios e veias mais visíveis: normalmente associados com inchaço e sensibilidade aumentada dos seios;
  • Vontade de comer coisas que normalmente não comeria ou não dava tanta importância ou fome aumentada e vontade de comer a toda hora – a fome aumentada e a vontade de comer a toda hora são mais comuns, já o desejo de comer coisas estranhas é incomum. O que pode acontecer é o apetite aumentado para um grupo específico de alimento;
  • Sonolência e cansaço: a mulher dorme bastante e mesmo assim continua sentindo muito sono;
  • Sensação de um gosto estranho na boca, geralmente metálico, ou alteração na sensação dos odores – a mulher grávida parece ter um olfato mais aguçado e pode inclusive ficar mais sensível para alguns tipos de cheiros;

Também podem lhe interessar os artigos:

Pele oleosa pode ser sintoma de gravidez?

Mal-estar, tontura, náuseas, fraqueza, dor de cabeça. Posso estar grávida?

Os sintomas da gravidez não são específicos para gravidez, ou seja, podem estar presentes em muitas outras situações que não correspondem à gravidez. Os sintomas confiáveis apenas aparecem em estágios avançados da gestação (aumento do volume uterino e a presença dos movimentos fetais).

Saiba mais em: Existem doenças com sintomas parecidos com gravidez?

O mais importante é que para você poder ter mais certeza de que o que está sentindo realmente são indícios de uma gravidez deve haver uma concordância entre todos os seus sintomas e deve existir uma história compatível com gravidez.

Caso você apresente algum sintoma desses citados e uma história compatível com gravidez, consulte o/a médico/a clínico/a geral, ginecologista ou médico/a de família para uma avaliação pormenorizada e possível identificação da gravidez.

Dor nos olhos, o que pode ser?

Dor nos olhos pode ser uma série decorrente de diversas causas, dentre as quais podemos citar:

  • Traumas diretos nos olhos (quedas, pancadas, queimaduras, substâncias irritantes como ácidos ou bases, etc. Pode haver úlcera/abrasão de córnea no processo);
  • Corpos estranhos (fragmentos de sujeira, poeira, madeira ou metais, plantas, lentes de contato, etc - podem causar abrasão de córnea com o atrito, com dor intensa associada);
  • Inflamações e infecções (geralmente acompanhadas de vermelhidão e lacrimejamento, além da dor. Exemplos: uveítes - inflamação intraocular; esclerites - inflamação da esclera; ceratoconjuntivite - inflamação da córnea)
  • Blefarite (inflamação comum e persistente das pálpebras). Produz sintomas como irritação, coceira, prurido e, em alguns casos, olho vermelho. Esta doença afeta frequentemente as pessoas que têm tendência a apresentar pele oleosa e/ou secura ocular. A blefarite pode começar na infância, causando granulação nas pálpebras e continuar por toda a vida como uma afecção crônica, ou iniciar apenas na fase adulta;
  • Hordéolo (conhecido popularmente como terçol, terçolho) é um pequeno abscesso que acomete a borda das pálpebras, causado por uma inflamação das glândulas sebáceas. Embora não seja grave, pode ser muito doloroso. A inflamação é normalmente causada por uma infecção bacteriana e acontece mais frequentemente em crianças. Na maioria dos casos, o terçol pode ser combatido com maior rapidez através de compressas de água quente ou morna. Quando tratados, desaparecem após mais ou menos uma semana. Em casos mais graves, os médicos podem utilizar uma agulha para drenar o pus acumulado. Existem também pomadas elaboradas especificamente para tratá-los, normalmente compostas por eritromicina;
  • Aumento da pressão intra ocular (pode ser um início de glaucoma e neste caso pode vir acompanhado de dor de cabeça). No glaucoma, há dor intensa, mais do que a dor de uma cefaléia usual, e não melhora com analgésicos comuns. O olho fica vermelho, como em uma conjuntivite, e a visão pode ficar turva. Se não for tratado, o glaucoma leva ao dano permanente do disco óptico da retina, causando uma diminuição progressiva do campo visual, que pode resultar em cegueira;
  • Defeitos ópticos (hipermetropia ou astigmatismo); 
  • Cefaléia retro-ocular ("atrás dos olhos") - comum na dengue, mas também pode ser sintoma de cefaléia comum. Deve-se distinguir a dor que ocorre em um olho, ambos, ou alternando os olhos. A dor que alterna lados normalmente deriva de uma cefaleia primária como a migrânea (enxaqueca) ou cefaleia do tipo tensional. A dor em ambos os olhos pode ser devido a uma cefaleia primária (fotofobia, na migrânea) ou secundária (sinusite). A dor ocular unilateral (um só olho) pode ser por uma enxaqueca, cefaleia em salvas, cefaleia idiopática em pontadas, neuralgia do trigêmeo do primeiro ramo ou trigêmino-autonômicas, síndrome SUNCT, hemicranias paroxísticas (episódicas ou crônicas), cefaleia secundária a aneurisma cerebral, tumor cerebral, glaucoma e hemicrania continua. Pode ser acompanhada de lacrimejamento.

Veja também: Tenho muita coceira nos olhos. O que pode ser e o que fazer para aliviar?

A prevenção deve ser realizada com bons cuidados de higiene e proteção no caso de atividades perigosas (trabalhos como soldagem, batida de ferro sobre ferro, serragem de madeira, jardinagem, etc - exigem uso de máscara ou óculos de proteção, dependendo da atividade).

A limpeza dos olhos deve ser feita todos os dias, pela manhã, deve-se atentar para quaisquer mudanças visíveis ou perceptíveis nos olhos. Recomenda-se fazer visitas periódicas a um oftalmologista para detecção de problemas visuais e medida da pressão ocular (idealmente aos 3, 6, 12, 15, 18, 25, 35, 40, 45, 50 e a partir desta idade todos os anos, pois são muitas as doenças oculares que podem ocorrer a partir dos 50 anos de idade).

Se a pessoa usa lentes de contato, deve fazer a correta higiene das mesmas e verificação de mudança de grau.

Em caso de dor nos olhos, um médico (preferencialmente um oftalmologista) deve ser consultado para avaliação e tratamento adequado, se for o caso.