Perguntar
Fechar

Sintomas

Lingua branca é sinal de doença?

Na maioria das vezes língua branca não é sinal de doença. Mas há exceções.

Quando a língua toda é branca, mas lisa, quase sempre se trata da chamada saburra lingual, que é uma camada de placa bacteriana causada pela má higiene bucal. Nesse caso, o tratamento consiste na escovação mais adequada dos dentes e da língua.

Entretanto, quando a penas uma parte pequena da língua é branca, em especial quando a lesão branca é aveludada ou elevada como uma ferida, pode sim ser sinal de alguma doença como tumores, sífilis ou até mesmo AIDS.

Nesse caso, um dentista ou dermatologista deve ser procurado com urgência.

Sinto estalos em minha cabeça, como estalar de dedos. O que pode ser?

A sensação de estalos na cabeça pode estar relacionada a distúrbios na coluna cervical, nas articulações temporomandibulares ou aos estados de ansiedade. Essa alterações são descritas muitas vezes  como estalos, ruídos e/ou dores nos ouvidos, dor ou dificuldade para mastigar, abrir a boca, bocejar, dores de cabeça, no pescoço e dentes.

Uma causa possível e relativamente frequente são as chamadas desordens temporomandibulares (DTM), alterações ósseas e musculares das articulações entre a mandíbula (osso onde estão fixados os dentes inferiores da boca, que é móvel) e ossos craniofaciais. 

O sucesso do tratamento depende do diagnóstico exato e consiste numa abordagem multidisciplinar, podendo envolver além do dentista, o fonoaudiólogo, o fisioterapeuta, o psicólogo e o médico otorrinolaringologista.

Corrimento marrom após relação sexual: o que pode ser?

Corrimento marrom após a relação sexual pode ser sinal de algum sangramento na parede da vagina ou no colo do útero, causado por relações sexuais intensas ou repetidas, ou ainda alergia ao látex do preservativo.

Nestes casos, o corrimento geralmente adquire uma cor marrom escuro devido ao sangue presente na sua composição.

De um modo geral, corrimento marrom indica a presença de sangue coagulado resultante de:

  • Restos de menstruação;
  • Traumas (por exemplo, durante a relação sexual);
  • Infecções;
  • Corpo estranho;
  • Alergia ao látex;
  • Câncer ginecológico;
  • Início de gravidez (implantação do embrião no útero);
  • Atrofia vaginal;
  • Gravidez ectópica.

Em qualquer caso de corrimento vaginal, seja marrom ou de qualquer outra cor, deve-se consultar o/a médico/a ginecologista, médico/a de família ou clínico/a geral para um diagnóstico correto e tratamento adequado.

Dor no pé da barriga pode ser gravidez?

Sim, dor no pé da barriga pode ser gravidez. No início da gestação pode haver dores (cólicas) no baixo ventre ou pé da barriga devido ao crescimento do útero. A dor costuma ser leve, mas a intensidade varia em cada mulher.

Além de dor no pé da barriga, pode surgir também desconforto pélvico ou sensação de peso na região inferior do abdômen, como se algo estivesse torcido dentro da barriga.

Outros sintomas iniciais de gravidez incluem:

  • Atraso da menstruação;
  • Náuseas com ou sem vômitos;
  • Mamas doloridas e inchadas
  • Aumento da frequência urinária.

É importante observar com que frequência a dor no pé da barriga ocorre, bem como a ocorrência de outros sintomas.

Se a menstruação não estiver atrasada, é muito provável que a dor não seja sinal de gravidez e por isso deve ser investigada pelo/a médico/a clínico/a geral ou médico/a de família.

Leia também:

É normal sentir cólicas no inicio da gravidez?

Dor abdominal na gravidez é normal?

Céu da boca dolorido e parece que tem uns caroços. O que pode ser?

Céu da boca dolorido com caroços pode ser sinal de aftas, lesões inflamatórias ou ainda câncer de boca.

As aftas são feridas dolorosas, que normalmente são precedidas por ardência e coceira e também pelo aparecimento de uma área avermelhada, na qual irá se desenvolver a lesão.

Os caroços no céu da boca também podem ser bolhas causadas por:

  • Doença inflamatória do intestino;
  • Reações alérgicas a alimentos, medicamentos e produtos químicos;
  • Dermatite de contato;
  • Impetigo;
  • Estresse;
  • Queda da imunidade.

Já o câncer de boca, além de caroços, também pode manifestar os seguintes sinais e sintomas:

  • Feridas no lábio ou boca que não cicatrizam;
  • Inchaço;
  • Dormência em algumas áreas da boca;
  • Sangramento sem razão aparente;
  • Dor na garganta que não passa;
  • Manchas esbranquiçadas ou avermelhadas no lábio ou interior da boca;
  • Mau hálito;
  • Dificuldade para falar e engolir;
  • Caroço no pescoço;
  • Perda de peso.

Se os caroços e a dor no céu da boca não desaparecerem em alguns dias, procure um dentista especialista em estomatologia para que seja feito um diagnóstico adequado.

É normal ter cólica depois da relação sexual?

Cólica depois da relação sexual é normal.

Com o orgasmo, ocorre a contração do útero e da musculatura da região pélvica, o que pode gerar essa cólica de pequena a moderada intensidade.

Durante o ato sexual ocorre a estimulação de diversas regiões sensíveis, o que pode resultar em contrações e gerar as cólicas.

Além disso, dependendo da posição sexual e do tamanho do pênis, o colo do útero pode ser facilmente alcançado. Assim, penetrações fortes e excessivas podem causar desconforto e provocar cólica após a relação sexual.

Contudo, ter cólicas ou dor abdominal durante ou após a relação sexual não é normal e pode ser sintoma de alguma infecção vaginal que deve ser investigada e tratada.

Caso você sinta cólicas fortes ou dor abdominal após as relações sexuais, consulte o/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologia para obter um diagnóstico adequado.

Gosto de Sangue e Dor de Cabeça o que pode ser?

Gosto de sangue e dor de cabeça pode ser sinusite, rinite, amidalite ou até mesmo resfriado ou gripe em processo inicial. É importante observar também a presença de outros sinais e sintomas. No caso dessas doenças, podem surgir também:

  • Sinusite:

    • Dor na região anterior da cabeça, ao redor dos olhos, no céu da boca, na testa ou nas bochechas;
    • Sensação de pressão na cabeça;
    • Nariz entupido;
    • Secreção nasal de cor amarela ou esverdeada;
    • Febre;
    • Mal-estar;
    • Perda de apetite;
    • Tosse;
    • Cansaço.
  • Rinite:
    • Corrimento e congestão nasal;
    • Coceira no nariz, nos olhos e no céu da boca;
    • Espirros;
    • Lacrimejamento;
    • Olheiras.
  • Amigdalite (bacteriana):
    • Dor intensa ao engolir;
    • Febre;
    • Indisposição e mal estar;
    • Dor de cabeça;
    • Calafrios;
    • Placas de pus brancas nas amígdalas;
    • Vermelhidão na garganta;
    • Nódulos ou caroços no pescoço.
  • Gripe e resfriado (geralmente apresentam os mesmos sintomas, sendo mais intensos na gripe e mais leves no resfriado):
    • Febre;
    • Tosse;
    • Dor de garganta;
    • Dores no corpo;
    • Mal estar.

Para saber ao certo o que está causando essa dor de cabeça acompanhada pelo gosto de sangue na boca, o melhor é consultar um médico de família ou um otorrinolaringologista para um diagnóstico e tratamento adequados.

Como saber se a nossa imunidade está baixa?

Uma forma de saber se a imunidade está baixa é observar a presença de alguns sintomas que podem indicar que as defesas do organismo estão fracas, tais como:

  • Infecções frequentes (amigdalites, herpes, gripes);
  • Demora para ficar curado de doenças;
  • Infecções pequenas que facilmente pioram;
  • Febre recorrente e calafrios;
  • Muito cansaço;
  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia.

No entanto, para confirmar se a imunidade está mesmo baixa é preciso realizar um exame de sangue para verificar se o número de células brancas de defesa (leucócitos) está baixo. Se o número for inferior a 4.000 mm³, pode indicar um enfraquecimento do sistema imunológico.

Dentre as principais causas de imunidade baixa, estão:

  • Tratamento de alguma doença;
  • Exposição à radiação;
  • Falta de atividade física;
  • Excesso de gordura na alimentação;
  • Abuso de bebidas alcoólicas;
  • Tabagismo;
  • Estresse;
  • Obesidade;
  • AIDS.

Leia também: Tomar muitos antibióticos baixa a imunidade?

O diagnóstico da imunidade baixa pode ser feito pelo/a médico/a de família, clínico/a geral ou imunologista.