Tratamentos

Qual o tratamento para a inflamação do útero?

O tratamento para inflamação do útero depende do local onde ela ocorre, se no colo do útero (cervicite) ou na sua parte interna (endometrite). Depende, também, da sua causa, que pode ser por micro-organismos ou por lesões traumáticas.

Tratamento para inflamação do útero por micro-organismos

A maioria das inflamações do útero são causadas por micro-organismos como é o caso da infecção por clamídia, tricomonas, gonorréia, herpes genital e HPV (papiloma vírus), e iniciam-se no colo do útero. Os medicamentos utilizados para o seu tratamento são antibióticos e antivirais, de acordo com agente causador da infecção, bactérias ou vírus. Os parceiros também devem ser tratados, mesmo que não apresentem sintomas​, uma vez que esses micro-organismos são transmitidos pela relação sexual.

Tratamento para inflamação do útero por lesões traumáticas

O tratamento das inflamações devido a lesões, como as causadas por alergias ao látex, produtos químicos ou duchas vaginais, é feito afastando-se o fator causador da lesão e com auxílio de medicamentos, dependendo do tipo de lesão causada.

No caso da inflamação crônica do colo do útero pode ser necessário, também, o tratamento por meio de cauterização (eletrocautério ou criocautério) e uso de cremes vaginais.

Quando a inflamação colo do útero progride para a sua região interna, causando a endometrite, pode ser necessário o tratamento com medicamentos por via intramuscular ou endovenosa, às vezes com indicação de internação hospitalar.

O médico ginecologista é o responsável pelo diagnóstico e tratamento dos casos de inflamações do útero.

Dr. Ivan Ferreira
Hérnia hiatal tem cura? Qual o tratamento?

Hérnia hiatal tem cura e o tratamento pode ser feito de três formas:

1) Mudança do estilo de vida (em casos mais leves, com poucos sintomas):

  • Evitar alimentos gordurosos, ricos em proteínas, muito condimentados ou ácidos e frituras, além de doces e pão branco;
  • Evitar situações estressantes ou fadigantes;
  • Procurar não beber álcool, café ou bebidas gaseificadas;
  • Não fumar;
  • Evitar comer em excesso próximo da hora de dormir (e fazer a última refeição pelo menos duas horas antes de deitar);
  • Não usar roupas nem acessórios apertados;
  • Evitar ingerir muito líquido durante as refeições;
  • Fazer refeições menores, mais leves e mais próximas umas das outras;
  • Fazer uma dieta rica em frutas, verduras, vegetais e fibras;
  • Fazer exercícios físicos (pelo menos 40 minutos, 5 vezes por semana);
  • Perder peso, procurando manter o índice de massa corporal (IMC) igual ou menor que 25 (veja aqui como calcular o peso ideal);
  • Dormir com travesseiro alto ou com uma leve elevação da cabeceira da cama (30º);

2) Tratamento farmacológico:

  • Indicado para pacientes que não obtêm a melhora clínica apenas com as mudanças nos hábitos;
  • É feito com antiácidos ou inibidores da bomba de prótons, que reduzem a acidez gástrica;
  • O tempo mínimo de tratamento é de oito semanas;
  • Jamais se automedique; consulte um médico em caso de sintomas de refluxo gastroesofágico.

Leia também: Hérnia pode virar câncer?

​​3) Tratamento cirúrgico, que pode ser feito via laparoscópica, indicado para:

  • Hérnias de hiato volumosas ou sintomáticas, mesmo com mudança dos hábitos de vida e tratamento clínico;​
  • Pacientes que por alguma razão (ordem pessoal, econômica, intolerância), acham-se impossibilitados de dar continuidade ao tratamento clínico. Aqui incluem-se os pacientes que têm boa resposta ao tratamento com os remédios, porém não têm boa adesão ou não fazem corretamente o tratamento;
  • Casos onde é exigido o tratamento contínuo de manutenção com medicamento para refluxo em dose adequada, especialmente em pacientes com menos de 40 anos de idade e que optam pela cirurgia; 
  • Esofagite grave, estenose de esôfago ou esôfago de Barrett (transformação das células do esôfago devido às constantes lesões na mucosa esofágica causadas pelo refluxo).

Também podem lhe interessar:

Como é a cirurgia de hérnia hiatal?

Esofagite pode dar câncer se não tratar logo?

Refluxo tem cura? Qual o tratamento?

Em caso de suspeita de hérnia de hiato, um médico (preferencialmente um gastroenterologista) deverá ser consultado para avaliação, diagnóstico e tratamento correto.

Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Zika tem cura? Qual o tratamento?

Sim, Zika tem cura.

Zika é uma doença transmitida pelo vírus Zika virus e caracterizada pelos sintomas: febre baixa, dores nas articulações, manchas pelo corpo, coceira e mal estar.

O tratamento consiste em medicações para a dor e a febre, aumento da hidratação e repouso.

É uma doença de evolução benigna, cujos sintomas desaparecem em torno de 3 a 7 dias. A complicação mais grave detectada até o momento é a microcefalia em bebês de mães que tiveram a doença durante a gravidez. Nesse período, deve-se ter uma atenção maior, principalmente com uso de repelentes e acompanhamento pré-natal de rotina.

Leia mais em:

Quais os riscos de ter zika durante a gravidez?

A pessoa que apresentar estes sintomas deve procurar o serviço de saúde para notificação e orientações do tratamento adequado.

Dra. Nicole Geovana
Qual é o tratamento para condiloma acuminado?

O tratamento para condiloma acuminado inclui uso de medicações que se passam na região afetada e cauterização elétrica (isto é, "queimar" as lesões).

O condiloma acuminado é uma doença sexualmente transmissível, causada pelo vírus HPV e que se caracteriza pela presença de verrugas que aparecem em áreas como vulva e vagina, ânus e reto, pênis e boca.

O acompanhamento da doença deve ser feito por dermatologista ou ginecologista.

Dr. Gabriel Soledade
Quais são os principais sintomas do herpes genital?

Os principais sintomas do herpes genital são vermelhidão, dor em ferroadas, coceira e bolhas na região genital. Em alguns casos, pode haver febre, dor muscular e dor de cabeça, embora esses sintomas sejam muito menos comuns.

O herpes genital é uma infecção causada principalmente pelo vírus Herpes simplex tipo 2, que se transmite por contato direto com a lesão de uma pessoa infectada. O vírus então se aloja nos nervos do indivíduo e se manifesta por meio dos sintomas descritos, que aparecem no local de contato, que pode ser a vulva e vagina, pênis, ânus ou boca.

O tratamento inclui uso de pomadas ou comprimidos antivirais, que devem ser prescritos por médico clínico geral, dermatologista ou ginecologista.

É fundamental procurar um médico o mais rápido possível, para abreviar a duração dos sintomas e evitar a transmissão para outras pessoas, já que as vesículas (pequenas bolhas com líquido dentro) são altamente contaminantes.

Em gestantes, o tratamento deve ser feito com urgência, uma vez que a doença pode passar para o bebê e, nesse caso, pode levar a sequelas graves relacionadas com o desenvolvimento do cérebro.

Leia também: Como saber se tenho uma DST?

Dr. Gabriel Soledade
HPV tem cura definitiva?

Dificilmente, já que não existe tratamento capaz de eliminar completamente o vírus. 

O HPV é um vírus que se transmite pelo contato com uma pessoa contaminada. Assim que entra no corpo, o vírus se aloja nas várias camadas de células da pele ou mucosa, na região exposta.

O tratamento mais comumente utilizado, que envolve a remoção das lesões da pele, não é capaz de eliminar completamente a presença do vírus, uma vez que não é possível detectar a sua presença dentro das células sem lesões.

Sendo assim, é comum que as lesões retornem após algum tempo, com a reativação do vírus causada por fatores emocionais, estresse e quedas de imunidade.

Algumas medicações mais modernas, chamadas de imunomoduladores, têm o objetivo de melhorar a imunidade e tentar eliminar os vírus, porém seu uso é restrito para casos muito específicos e tem uma série de efeitos colaterais.

Leia também: Quem deve tomar a vacina contra HPV?

Dr. Gabriel Soledade
É possível fazer inseminação artificial após laqueadura?

Não é possível fazer inseminação artificial após laqueadura, a menos que a mulher desfaça a laqueadura. Para haver fecundação e, consequentemente, uma gravidez, é preciso que haja o encontro do espermatozoide com o óvulo, o que não é possível se a mulher tiver feito laqueadura, mesmo através de inseminação artificial.

A gravidez só é possível se a mulher desfizer a laqueadura ou realizar o tratamento de fertilização in vitro. No entanto, a reversão da laqueadura é um processo lento, com poucas chances de sucesso de engravidar, pelo que a fertilização in vitro é a mais indicada nesses casos.

A diferença entre o tratamento de fertilização in vitro e a inseminação artificial é que na fertilização in vitro a fecundação do óvulo ocorre fora do corpo da mulher, em laboratório, sendo a seguir transferido para o útero. Já na inseminação artificial a fecundação ocorre no útero.

A mulher deve consultar o seu médico ginecologista para avaliar qual o melhor procedimento a adotar.

Colpite tem cura? Qual o tratamento?

Colpite tem cura. O tratamento depende do tipo de agente causador da colpite.

Geralmente, é feito com cremes ou pomadas vaginais que contém antibióticos, usadas durante uma semana a duas semanas, sem interrupção.

É recomendado que a mulher não tenha relações sexuais durante o tratamento, uma vez que o atrito do pênis com o colo do útero pode agravar o problema.

Em alguns casos, o tratamento inclui uso de antibióticos orais que deve ser tomado pela mulher e também pelo parceiro, pois sendo uma doença sexualmente transmissível, se não tratar as duas pessoas, a mulher pode ter outras infecções mesmo depois de terminar o tratamento.

Em outras situações que a mulher não apresente sintomas, o/a médico/a pode considerar não tratar com medicação, pois há chance de auto resolução.

É importante usar a medicação prescrita pelo/a médico/a pois cada tipo de colpite tem um tratamento diferente.

Dra. Nicole Geovana