Perguntar
Fechar

Saúde Mental

Não consigo emagrecer, o que devo fazer?

Para emagrecer, precisa seguir um plano alimentar indicado por um nutricionista, que irá prescrever uma dieta de acordo com as suas necessidades calóricas e nutricionais. O ideal seria associar a dieta com exercícios físicos, para acelerar o emagrecimento.

Fazer pequenos lanches entre as principais refeições também é importante para estimular o metabolismo e manter o apetite sob controle. Barras de cereais, iogurtes desnatados e frutas são boas opções de lanches.

Os alimentos devem ser distribuídos ao longo do dia. Evite comer grandes quantidades de carboidratos de uma só vez, para que o excesso não seja armazenado sob a forma de gordura.

Vale a pena apostar em alimentos integrais, como massas, arroz, pães e cereais, pois prolongam a sensação de saciedade. Alimentos feitos com farinha branca saciam temporariamente, mas, após um curto período de tempo, a pessoa volta a sentir fome.

Quem quer emagrecer não pode deixar de lado as proteínas, que além de serem essenciais para a manutenção da massa muscular, prolongam a sensação de saciedade. Frango, peixes, carnes, leite, ovos e leguminosas (grão-de-bico, feijão, lentilha) são boas fontes de proteína.

Também seria importante controlar a sua ansiedade, porque uma pessoa ansiosa pode descontar o nervosismo na comida sem perceber. Para isso, consulte um médico psiquiatra e tome medicamentos, se necessário.

Leia também: 3 Remédios Naturais para Combater a Ansiedade

As suas alterações menstruais estão relacionadas com o fato de você estar entrando na menopausa, o que é normal nesse período.

Saiba mais em: Quais os sintomas da menopausa?

Quanto à sua infecção vaginal (gardnerella), deverá ser tratada por um médico ginecologista, que também poderá lhe orientar em relação à menopausa. Lembrando que o seu parceiro também vai precisar de tratamento para a infecção.

Também podem lhe interessar os artigos:

Remédios para emagrecer

7 Erros que Você não Pode Cometer se Quer Emagrecer

Criolipólise funciona? Como é feito o tratamento?

Usar cinta, body ou modelador emagrece?

Meu ex-namorado é viciado em sexo...

Um relacionamento para dar certo precisa de muita sintonia entre o casal, seu ex-namorado é muito diferente de você em relação ao sexo, ou seja o relacionamento de vocês tem tudo para dar errado outra vez, mas a decisão deve ser sua. Ele com certeza precisa de ajuda médica e psicológica para resolver esse distúrbio. Deve convence-lo a procurar tratamento.

O que é autismo e quais os sintomas?

O autismo é um transtorno global do desenvolvimento que começa na primeira infância. O transtorno do espectro autista tem como principal sintoma a dificuldade de interação social e comunicação.

Existem diferentes tipos de autismo, com vários graus de intensidade. Há autistas com formas graves do transtorno, com retardo mental e agressividade, sem possibilidade de estabelecer contato interpessoal, e formas mais leves, em que a inteligência e a fala são normais.

O autismo infantil é mais frequente em meninos e os seus primeiros sinais podem surgir já nos primeiros meses de vida da criança. Contudo, o transtorno raramente é diagnosticado precocemente.

Normalmente o problema é detectado quando os sintomas tornam-se mais evidentes, o que geralmente ocorre entre os 2 e os 3 anos de idade. Uma vez que o transtorno é global, ou seja, afeta o indivíduo como um todo, muitas vezes é confundido com outros tipos de distúrbios psíquicos.

Sintomas

Os sintomas do autismo geralmente estão presentes antes dos 3 anos de idade. Pessoas autistas são difíceis de estabelecer relacionamentos, têm dificuldade no domínio da linguagem, daí os problemas de comunicação, e apresentam padrões de comportamento repetitivos.

Existem vários sinais que caracterizam o indivíduo autista. Pessoas com autismo apresentam pelo menos metade dos seguintes sintomas:

  • Dificuldade de relacionamento interpessoal;
  • Pouco ou nenhum contato visual com outras pessoas;
  • Riso inadequado;
  • Busca pelo isolamento social (preferência pela solidão);
  • Fixação visual em objetos;
  • Aparente insensibilidade à dor;
  • Rotação repetitiva de objetos;
  • Hiper ou inatividade;
  • Ecolalia (repetição de palavras ou frases);
  • Recusa de demonstrações de carinho (colo, abraços);
  • Não respondem pelo nome;
  • Dificuldade de expressar necessidades;
  • Dificuldade de aprendizado;
  • Repetição desnecessária de assuntos;
  • Dificuldade de mudança na rotina;
  • Não tem consciência de situações de perigo;
  • Adoção de poses bizarras;
  • Acessos de raiva;
  • Desorganização sensorial.

Os sinais e sintomas do autismo infantil podem incluir ainda convulsões, transtornos do sono e alimentares, ansiedade e TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade)

Contudo, vale ressaltar que muitas vezes o autista domina a linguagem, consegue se comunicar e tem uma inteligência normal ou até acima da média. Essas pessoas apresentam menos dificuldade em interagir socialmente e podem ter uma vida praticamente normal.

Diagnóstico

Para o diagnóstico do autismo, são considerados distúrbios em três áreas, com início dos sintomas antes dos três anos de idade:

  1. Comprometimento da interação social;
  2. Comportamento e interesses restritos e repetitivos;
  3. Comprometimento da comunicação verbal e não-verbal.

O autismo é uma doença crônica e o tratamento deve ser instituído assim que seja feito o diagnóstico. O tratamento deve ser multidisciplinar e individual, baseado no grau de comprometimento de cada paciente.

O diagnóstico e tratamento podem ser conduzidos por médico psiquiatra, em associação com outros especialistas, como fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogo.

Saiba mais em: Autismo tem cura?

Tenho sentido muita tontura, sono, muita dor de cabeça...

Acredito que pode começar com um clínico geral ou um médico que você tenha mais contato e confiança, é somente uma suposição, porém se quer ir direto ao especialista talvez deva ir a um psiquiatra.

Diferenças entre Esquizofrenia e Transtorno Bipolar

As principais diferenças entre esquizofrenia e transtorno bipolar são:  

CaracterísticasEsquizofrenia Transtorno Bipolar

A maior diferença entre esquizofrenia e transtorno bipolar é que os pacientes com transtorno bipolar apresentam uma melhor evolução, com eliminação total dos sintomas e retorno às suas atividades diárias entre uma crise e outra, enquanto que a esquizofrenia mantém os seus sintomas residuais, mesmo entre as crises.

Os esquizofrênicos são caracterizados sobretudo por sintomas negativos, como perda de interesse, desmotivação, apatia e dificuldades de se socializar e relacionar.

Porém, com a chegada dos primeiros antipsicóticos nos anos 50, as diferenças entre esquizofrenia e transtorno bipolar diminuíram bastante, ao ponto dos casos de ambas as doenças serem confundidos um com o outro.

A resposta aos medicamentos passou então a influenciar o diagnóstico psiquiátrico, com tendência para diagnosticar como bipolar o paciente que melhor responder e se recuperar com o tratamento.

A crise aguda de um paciente com transtorno bipolar pode ser parecida com o surto psicótico de uma pessoa com esquizofrenia, principalmente se houver também delírios e alucinações, o que torna difícil diferenciar uma doença da outra nessa fase, ficando porém mais fácil após a crise.

Em geral, o paciente bipolar tem uma melhor recuperação e volta às suas atividades mais rápido que o esquizofrênico, sem apresentar também os sintomas negativos característicos da esquizofrenia.

Os sintomas cognitivos são também menos afetados nos casos de transtorno bipolar do que nos de esquizofrenia.

Apesar dos sintomas de humor (depressão, euforia, exaltação, raiva, irritabilidade) serem frequentes na esquizofrenia, eles são a principal alteração causada pelo transtorno bipolar.

São essas variações de humor que levam às crises de depressão ou mania e que explicam os principais problemas de comportamento, delírios e alucinações dos pacientes bipolares.

Já o esquizofrênico, apesar do humor influenciar o seu comportamento, ele não é o causador dos seus principais sintomas.

Isso é facilmente verificado no final da crise, quando os pacientes bipolares melhoram com a estabilização do humor enquanto que os esquizofrênicos continuam com delírios, alucinações e sintomas negativos, mesmo tendo um humor aparentemente melhor.

O médico psiquiatra é o responsável por diferenciar e diagnosticar a esquizofrenia e o transtorno bipolar, bem como conduzir o tratamento.

Leia também:

Diferenças entre Esquizofrenia e Depressão

O que é uma psicose e quais são os seus sinais e sintomas?

Tomei risperidona e rivotril e sofri efeitos colaterais...

Os efeitos que você citou não são efeitos "destrutivos", são apenas efeitos colaterais normais e já bem conhecidos da medicação que você tomou, mas fique tranquilo o importante é que já está melhor e pode continuar seu tratamento sem problemas. Sua idade não influencia muito nas reações.

Esqueço facilmente das coisas: o que pode ser e o que fazer?

Esquecer as coisas facilmente pode ser sintoma de estresse, ansiedade, noites mal dormidas, falta de atenção, hábitos de vida ruins ou ainda doenças como Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH), Mal de Alzheimer, depressão, entre outras.

As causas para o esquecimento constante são variadas, por isso é importante verificar a ocorrência de outros sinais e sintomas que podem indicar problemas mais graves por trás da perda de memória.

Quais as possíveis causas para esquecimentos frequentes?
  • Estresse, ansiedade, depressão, má qualidade do sono: São as principais causas de esquecimento e falta de memória em jovens e adultos com menos de 60 anos; todas essas doenças e transtornos causam dificuldade de concentração e consequentemente afetam a atenção, provocando esquecimentos; 
  • Cigarro, colesterol alto, diabetes, pressão alta: Podem prejudicar a circulação sanguínea no cérebro; essa diminuição da oxigenação cerebral provoca pequenas lesões na área responsável pela memória, resultando em esquecimentos;
  • Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH): Trata-se de uma doença neurológica que normalmente surge na infância e se não for tratada pode acompanhar a pessoa por toda a vida; os seus principais sintomas são: dificuldade de concentração, inquietude e impulsividade; nos adultos, é mais marcada pela falta de atenção; saiba mais em: O que é TDAH e como é diagnosticado?);
  • Mal de Alzheimer: Atinge principalmente idosos entre 60 e 65 anos; os esquecimentos frequentes são os seus primeiros sintomas, além de falta de iniciativa, incapacidade de dialogar (falta de assunto) e respostas curtas, geralmente monossílabas (sim, não, vou...); veja também: Com que idade uma pessoa pode ter Mal de Alzheimer?;
  • Medicamentos: Os remédios sedativos, hipnóticos, ansiolíticos, antidepressivos, relaxantes musculares, anticonvulsivantes e calmantes podem afetar a memória e causar esquecimentos;
  • Alimentação inadequada: A falta de nutrientes como vitamina B12, cálcio, ômega 3, zinco, ferro e carboidratos, prejudica o bom funcionamento do cérebro, podendo afetar a memória;
  • Traumas emocionais e traumatismos cranianos: Dependendo da intensidade, passar por situações traumáticas ou bater a cabeça (traumatismo craniano) pode deixar sequelas e causar amnésias;
  • Outras possíveis causas:
    • Problemas na tireoide;
    • Bebidas alcoólicas e drogas ilícitas;
    • Derrames.
O que fazer em casos de esquecimentos constantes?

Se você esquece facilmente das coisas, e apresenta junto ao esquecimento alguma das situações destacadas abaixo, 

  • Interferem na sua rotina, segurança ou independência;
  • Estão relacionados com dificuldade de encontrar lugares conhecidos, realizar tarefas diárias, reconhecer fisionomias conhecidas, ou estão associados a alterações motoras e mudanças de humor, personalidade ou comportamento;
  • ou Pioram progressivamente com o tempo;

Esses sinais podem indicar que os esquecimentos estão relacionados com problemas neurológicos mais graves.

Leia também: Dificuldade de concentração: o que pode ser e o que fazer?

Em todo caso, como as falhas de memória podem ter muitas causas, é importante procurar um médico neurologista para que o seu caso seja devidamente avaliado e a origem dos esquecimentos receba o tratamento adequado.

Também pode lhe interessar: 5 Formas de Melhorar a sua Memória

Eu transpiro muito nas mãos, pés e axilas...

Geralmente essa é uma particularidade sua que pode estar relacionada com a ansiedade e o estresse. Tratamentos que reduzem estas duas situações podem te ajudar (se este for seu caso). Remédios homeopáticos também podem te ajudar. Existe um tratamento cirúrgico que é feito para resolver esse problema de sudorese em mãos e pés, geralmente é realizado por um neurocirurgião.