Perguntar
Fechar

Dietas e Obesidade

Sertralina emagrece ou engorda?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A Sertralina não tem efeito emagrecedor ou de ganho de peso, mas pode auxiliar as pessoas com distúrbios de ansiedade a controlar o impulso alimentar e, consequentemente, emagrecer. 

Sabe-se que um dos possíveis efeitos colaterais da sertralina é a perda de peso, embora o emagrecimento não seja tão significativo, variando de 0,5 a 1,0 kg. Como o medicamento controla a ansiedade, pode ajudar a pessoa a comer menos e, consequentemente, controlar seu peso ou até emagrecer.

A diminuição da ansiedade, presente nos transtornos psiquiátricos, pode contribuir para que a pessoa consiga controlar melhor sua ingestão de alimentos e optar por uma dieta mais equilibrada.

Além disso, em algumas pessoas, a Sertralina pode causar enjoos e falta de apetite, entre outros efeitos colaterais, o que pode dificultar a ingestão de alimentos e também levar ao emagrecimento.

Porém, há relatos de pessoas que tomaram Sertralina e engordaram, o que faz do aumento de peso um possível efeito adverso do medicamento, embora seja menos frequente.

Para que serve a Sertralina?

A Sertralina ou cloridrato de sertralina é um medicamento que atua no equilíbrio químico da serotonina no cérebro. O remédio pode ser indicado no tratamento do transtorno obsessivo compulsivo, depressão, transtorno do pânico, transtorno pós-traumático, fobia social e síndrome da tensão pré-menstrual. Porém, não há nenhuma indicação direta da medicação para emagrecer ou engordar.

O/a médico/a clínico/a geral ou o/a médico/a de família pode orientar qual o melhor tratamento e quais os especialistas que se deve procurar para auxiliar no ganho ou perda de peso.

Se estiver tomando Sertralina e notar que está emagrecendo ou engordando, fale com o/a médico/a que receitou o medicamento.

Não quero engordar, qual pílula anticoncepcional tomar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

As pílulas anticoncepcionais indicadas para quem não quer engordar são aquelas que possuem baixas doses de hormônios, pois estão associadas a menos efeitos colaterais como a retenção de líquido, principal responsável pela sensação de ganho de peso.

Existem anticoncepcionais que não engordam?

De forma geral, os anticoncepcionais orais não engordam. A sensação aumento de peso ocorre pela retenção de líquido e não pelo ganho de gordura corporal.

Anticoncepcionais com menor chance de causar sensação de ganho de pesoAnticoncepcionais de drospirenona como progestágeno

Os anticoncepcionais à base de uma substância chamada drospirenona de progestágeno são os anticoncepcionais com menor chance de provocar a retenção de líquidos. Por este motivo, estes medicamentos reduzem a sensação de aumento de peso.

Anticoncepcionais com baixa dosagem de estradiol

Os contraceptivos com dosagem baixa de estradiol podem ser uma opção para as mulheres que possuem predisposição à retenção de líquidos.

DIU (dispositivos intrauterinos)

O DIU de progestágeno libera lentamente o hormônio progestágeno que tem absorção muito baixa pelo organismo e, deste modo, tem menor chance de provocar retenção de líquido.

Por outro lado, o DIU de cobre é um contraceptivo não hormonal, isto é, ele não libera nenhum hormônio. Por isso, não causa retenção de líquido.

Anticoncepcionais injetáveis engordam?

Há comprovações científicas de que o anticoncepcional injetável trimestral, por ter dosagem muito elevada de hormônios, provoca aumento de peso.

Uma das explicações para este efeito é que estes contraceptivos bloqueiam a atividade dos ovários e, por consequência, a produção de hormônios androgênios (hormônios masculinos) que levam à redução de músculos (massa magra) e aumento de gordura corporal. Além disso, estes medicamentos promovem a redução da libido.

Ainda não há comprovação científica de que as pílulas (anticoncepcionais orais) causam este mesmo efeito no organismo. A sensação de ganho de peso provocada pelas pílulas está relacionada mais diretamente à retenção de líquidos.

Como escolher o seu anticoncepcional?

Para escolher com maior segurança o seu método contraceptivo é fundamental consultar um ginecologista, médico de família ou clínico geral. Estes profissionais farão uma avaliação inicial para efetuar a indicação da medicação mais apropriada ao seu caso.

Durante a consulta, informe ao médico se você tem tendência a reter líquidos para que a escolha do anticoncepcional não agrave esta condição. Em geral, quanto menos hormônio, menor a retenção de líquido.

É preciso deixar bem claro que o que funciona para uma paciente, pode não ser adequado para outra.

Os efeitos colaterais dos contraceptivos variam para cada mulher e nem todas ganham peso com o uso da pílula. Algumas podem até emagrecer, tomando o mesmo medicamento. Tudo depende do organismo e do estilo de vida de cada mulher.

Não inicie o uso de anticoncepcionais sem orientação médica.

Leia mais

Anticoncepcional engorda?

Anticoncepcional injetável engorda?

Quais os remédios que engordam e emagrecem?

O que não pode comer quem tem problemas de fígado?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Pessoas que têm problemas de fígado devem evitar:

  • Alimentos gordurosos,
  • Alimentos fritos,
  • Açúcar,
  • Sal,
  • Bebidas alcoólicas,
  • Molhos, condimentos,
  • Creme de leite, leite, queijo, manteiga, margarina e
  • Embutidos como salsicha, salame, linguiça e mortadela.

A dieta de um paciente com problema no fígado deve contemplar alimentos integrais, com baixo índice glicêmico. O leite e os derivados devem ser desnatados. Também deve-se evitar os doces, os alimentos com alto teor de açúcar e as gorduras de origem animal.

Prefira alimentos integrais

Os carboidratos, como pão, massas e arroz, devem ser preferencialmente integrais, pois contêm mais fibras solúveis, que se unem ao açúcar e às gorduras do bolo alimentar, dificultando a sua absorção.

Diminua o consumo de carboidratos

Alimentos como pães, massas, arroz e batata devem ser consumidos em poucas quantidades. Sempre que possível, consumir a versão integral desses alimentos.

Substitua leites e derivados integrais por desnatados

O leite e os derivados como queijos e iogurtes devem ter sempre o menor teor de gordura possível. Por isso os queijos ricota e cottage são os mais aconselhados. Os demais produtos que consumir, procure sempre pelas opções de desnatados.

Evite alimentos gordurosos

Alimentos gordurosos, como carne vermelha, embutidos, alimentos industrializados e frituras devem ser evitados por pessoas com problemas no fígado. Por ser um dos órgãos que atuam na quebra e eliminação de gordura, quanto mais consumir, mais sobrecarrega o fígado, piorando o problema já existente.

Evite doces e alimentos com muito açúcar

O excesso de glicose (açúcar) aumenta os níveis de triglicerídeos no sangue, agravando os problemas no fígado, da mesma forma que as gorduras.

Aumente o consumo de frutas e vegetais

As frutas, as verduras, os legumes e os vegetais em geral são fontes de fibras, que dificultam a absorção de gorduras e açúcar, auxiliando na digestão e reduzindo a sobrecarga no fígado.

Dê preferência a alimentos com baixo índice glicêmico

Batata doce e frutas como maçã e pera liberam o açúcar mais lentamente. Isso evita picos de glicose no sangue que, em excesso, é transformada em gordura e armazenada no fígado.

Evite bebidas alcoólicas

O álcool é metabolizado pelo fígado. O abuso de bebidas alcoólicas é uma das principais causas de acúmulo de gordura no fígado (esteatose hepática). Além disso, o álcool é bastante calórico, tendo apenas menos calorias que as gorduras, ficando à frente do açúcar e das proteínas no que toca às calorias.

Aposte nos ácidos graxos mono e poli-insaturados

São as chamadas "gorduras boas", pois protegem o coração e os vasos sanguíneos, podendo ainda ajudar a reduzir o colesterol ruim, auxiliando uma das funções hepáticas, que é o controle do colesterol. Castanhas, nozes, amêndoas, azeite, salmão, atum, sardinha, sementes de linhaça e quinoa são alguns dos alimentos que contêm esses ácidos graxos.

A dieta para pacientes com problemas de fígado deve ser elaborada por um especialista, nutricionista ou nutrólogo, de acordo com as recomendações do médico hepatologista.

Leia também: Esteatose hepática tem cura? Qual o tratamento?

Como deve ser a dieta para quem tem H. pylori?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dieta para quem está fazendo tratamento para H. pylori deve ter um cardápio fracionado, com 5 a 6 refeições por dia, evitando alimentos irritantes, que estimulam a secreção de suco gástrico. Também é importante ter alguns cuidados com a procedência e limpeza dos alimentos, já que o H. pylori é uma bactéria que pode ser adquirida pela falta de higiene.

Dentre os alimentos e bebidas que devem ser evitados numa dieta para H. pylori estão:

⇒ Café, chá preto, chá mate, chocolate;

⇒ Bebidas alcoólicas, bebidas com gás, sucos artificiais, refrigerantes à base de cola;

⇒ Frutas ácidas como laranja, kiwi, abacaxi, morango, maracujá, acerola, limão;

⇒ Doces concentrados como goiabada, geleia, compotas, marmelada, leite condensado, chocolate, cocada, pé-de-moleque, cremes;

⇒ Frituras e alimentos gordurosos em geral;

⇒ Pimenta, pimentão, mostarda, catchup, maionese, molhos (tártaro, de tomate, shoyo, inglês), caldo de carne e condimentos ácidos ou picantes;

⇒ Enlatados e conservas, mortadela, queijos amarelos, presunto, patês, lombo defumado, salsicha, linguiça, salame, bacon, carne de porco, carnes gordas.

Alguns alimentos ajudam a proteger a mucosa do estômago e não provocam irritação gástrica, pois não estimulam a produção excessiva de ácido gástrico. Esses alimentos devem estar incluídos na dieta durante o tratamento para o H. pylori. Entres eles estão:

⇒ Mingaus, purês, frutas e sucos não-ácidos (manga, uva), suco de couve;

⇒ Carnes magras (aves, peixes), ovos cozidos, pães, leguminosas (feijão, grão-de-bico, ervilha, lentilha);

⇒ Vegetais cozidos, batata, mandioquinha, sopa de vegetais;

⇒ Água, gelatina, queijos brancos, ricota;

⇒ Biscoitos de maisena, bolachas de água e sal;

Lembrando que os alimentos devem ser bem cozidos e consumidos mornos para facilitar a digestão e a recuperação da mucosa do estômago.

A dieta para H. pylori deve ser orientada por um médico gastroenterologista ou um nutricionista.

Saiba mais em:

H. pylori tem cura? Qual é o tratamento?

Quais os sintomas do H. pylori?

O que é H. pylori?

Fazer sexo emagrece ou engorda?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Fazer sexo emagrece.  

Durante a relação sexual, vários músculos são ativados, a frequência cardíaca e respiratória aumentam, há liberação de hormônios, além de intensa transpiração. Portanto, há gasto de energia e consumo de calorias

O sexo pode equivaler a uma atividade física e que, de certa forma contribui com o emagrecimento.   

Além de ajudar a queimar gordura e emagrecer, o sexo traz benefícios para o sistema cardiorrespiratório e trabalha os músculos. De fato, dependendo da posição, é possível exercitar boa parte dos músculos do corpo.  

É importante lembrar que toda atividade sexual deve ser realizada com a vontade expressa de todas as pessoas envolvidas e que o uso adequado de preservativo previne doenças sexualmente transmissíveis.

Além disso, o processo de emagrecimento deve contemplar um plano amplo de ação com reorientação alimentar associada à atividade física indicada por um/a profissional competente na área.

Cobavital engorda? Em quanto tempo verei os resultados?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Sim, Cobavital ® engorda, pois estimula o apetite e favorece o aumento de massa muscular. Os resultados podem ser observados em pouco tempo, a partir do 10º dia de uso do Cobavital ®, sendo mais evidentes depois de 1 mês de tratamento.

O Cobavital ® está indicado para:

  • Estimular o apetite;
  • Tratamento conjunto nos casos de crianças com distúrbios do desenvolvimento;
  • Doenças ou situação que levam a estados de fraqueza ou de falta de apetite
  • Durante período de recuperação após doenças ou pós-operatórios complicados.

A medicação atua diretamente no metabolismo, estimulando a síntese de proteínas pelo corpo e estimulando o apetite. O aumento da produção de proteínas gera um ganho de massa muscular, com consequente aumento de peso. 

Entretanto, cada caso deve ser avaliado e determinado se existe indicação e benefícios antes de prescrever a medicação. Na maioria das vezes, a medicação atua como tratamento adjunto. Todas as situações citadas merecem investigação adequada e acompanhamento médico.

Como tomar Cobavital ®?

O Cobavital ® é tomado por via oral. Os comprimidos devem ser ingeridos juntamente com um copo de água, suco ou outro líquido, podendo também ser facilmente dissolvidos na boca.

Não é recomendado para crianças abaixo de 2 anos de idade.

Para crianças dos 2 aos 6 anos, a dose deve ser de ½ (meio) comprimido, duas vezes ao dia, antes das refeições. Acima de 6 anos de idade, pode tomar 1 comprimido inteiro, 2 vezes ao dia. Para adultos, a dose passa para 1 comprimido 3 vezes ao dia.

Quais são os efeitos colaterais do Cobavital ®?

Os efeitos colaterais mais comuns do Cobavital ® são a sedação e a sonolência. Ou mais raramente, secura das mucosas, dor de cabeça, náuseas e erupções na pele. Esses efeitos geralmente desaparecem em poucos dias, espontaneamente.

O Cobavital ® é contraindicado para pessoas com glaucoma de ângulo fechado, retenção urinária, doenças gástricas, como azia, gastrite.

Na gravidez e amamentação, o uso da medicação não está recomendado, apenas quando prescrito pelo médico assistente.

A utilização do Cobavital ® deve ser feita apenas com prescrição médica e orientações de um profissional, de preferência médico nutrólogo, clínico geral ou nutricionista. O medicamento pode interagir com outros remédios, além de causar efeitos colaterais indesejados.

Posso tomar Buclina e complexo B para engordar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Buclina e complexo B muitas vezes são prescritos em conjunto para estimular o apetite, aumentando seu ganho calórico e consequentemente aumentando peso. O uso em simultâneo de Buclina com vitaminas do complexo B geralmente é indicado em casos de emagrecimento por perda de apetite ou algum problema de saúde.

É importante lembrar que o efeito desses medicamentos no ganho de peso está relacionado com o fato da pessoa comer mais. Tanto a Buclina como o complexo B não têm calorias para fazer alguém engordar, nem têm a capacidade de produzir gordura corporal. 

O efeito estimulante do apetite da Buclina ainda não está bem determinado, mas parece estar relacionado com uma ação hipoglicemiante do medicamento.

Isso significa que a Buclina estimula o pâncreas a secretar insulina, que é o hormônio responsável por transportar a glicose (açúcar) para dentro das células. Assim, com menos açúcar no sangue (hipoglicemia), o cérebro envia o sinal de "fome" para repor os níveis de glicose sanguínea.

Já as vitaminas do complexo B não aumentam propriamente o apetite, mas a falta delas pode causar perda de apetite, já que essas vitaminas atuam no metabolismo e na produção de energia pelo corpo.

O complexo B geralmente é prescrito para engordar quando há suspeita da falta dessas vitaminas na alimentação. O objetivo da suplementação é normalizar o mecanismo da fome.

Saiba mais em: Complexo B engorda?

A utilização da Buclina com complexo B deve ser feita apenas com prescrição médica. O medicamento pode interagir com outros remédios, além de causar efeitos colaterais indesejados. Já o excesso de vitaminas pode prejudicar o organismo, por isso a suplementação deve ser orientada por um médico ou nutricionista.

Também podem ser do seu interesse:

Buclina engorda?

Existe algum remédio para engordar?

Não consigo engordar. O que pode ser e o que fazer para engordar?

Qual anticoncepcional não engorda?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Em teoria isso não é uma verdade, anticoncepcional não engorda, algumas mulheres podem apresentar um pouco de retenção de líquido, como efeito colateral, especialmente nos anticoncepcionais hormonais de alta dose.

Outro efeito colateral comum desses medicamentos, pode ser o aumento de apetite, que consequentemente, se não controlado, aumenta o peso.

Entretanto, os anticoncepcionais mais novos e de baixa dosagem hormonal, não costumam causar esses efeitos, portanto são indicados para mulheres que não desejam ou não podem ganhar peso.

Sabendo que outros efeitos podem ocorrer, como dores de cabeça, sangramentos de "escape" e irregularidade menstrual.

Pílulas com baixa dosagem hormonal

Podemos citar como anticoncepcionais de baixa dosagem hormonal:

  • Allestra 20®
  • Diminut®
  • Iumi®
  • Mercilon®
  • Microvlar®
  • Siblima®
  • Tamisa 20®

Dentre eles, o Iumi® parece ser a melhor opção para não ganhar peso, visto que possui na sua composição, drospirenona, um derivado diurético que impede o acúmulo de líquido e inchaço.

Já os anticoncepcionais injetáveis, podem causar o aumento de peso como efeito colateral, devido as suas dosagens hormonais e mecanismo de ação, chegando a ganhar em média 2 a 4 kg a depender do metabolismo da mulher, da sua prática de atividade física, alimentação e estilo de vida.

Lembrando que o uso de anticoncepcional não é indicado para todas as mulheres. Todos eles possuem as suas restrições, contraindicações e interações medicamentosas que devem ser avaliadas pelo ginecologista, para evitar situações de risco e efeitos indesejáveis.

A trombose venosa, tromboembolismo pulmonar e outras doenças tromboembólicas, são alguns dos efeitos adversos preocupantes no uso dessas medicações. Por isso, converse com o seu médico da família ou ginecologista antes de optar pelo uso de contraceptivos orais.

Nunca inicie remédios por conta própria, mesmo que pareçam naturais, eles podem ser prejudiciais à sua saúde.

Leia também: Todas as mulheres podem tomar anticoncepcional?