Perguntar
Fechar
Tenho intolerância à lactose: o que devo comer?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A pessoa que possui intolerância à lactose deve evitar leite e derivados, além de alimentos feitos a partir do leite, como bolos, pão de queijo, pudim, manteiga, queijo, iogurte, requeijão, sorvete, leite condensado, creme de leite, entre outros.

Deve-se prestar atenção aos rótulos dos produtos, pois mesmo que aparentemente não sejam oriundos do leite, podem apresentar o leite como ingrediente na fabricação.

A dieta deve ser bem variada com frutas, verduras de folha verde escuro e castanhas para contemplar os nutrientes como o cálcio e a vitamina D.

Após o diagnóstico da intolerância, pode optar-se inicialmente pela dieta restritiva, retirando todo o leite e os derivados e, aos poucos ir introduzindo esses alimentos até atingir o limite da tolerância e da não manifestação dos sintomas.

O limite de tolerância à lactose é variável de pessoa para pessoa, por isso a atitude de restringir parcialmente ou completamente a dieta é particular.

Quem tem intolerância à lactose também pode optar por comprar a enzima lactase (em cápsulas ou gotas), que facilita a digestão da lactose e ajuda a diminuir os sintomas provocados pela intolerância. Adicionada ao leite e após 24 horas de refrigeração na geladeira, a mistura pode ser usada para beber ou para fabricar alimentos que levam leite na receita.

Quais são os sintomas de intolerância à lactose?

Os principais sintomas da intolerância à lactose incluem dor abdominal, diarreia, gases, flatulência, inchaço abdominal e, ocasionalmente, vômitos.

As dores abdominais são tipo cólica e normalmente são sentidas ao redor do umbigo ou no baixo ventre. As fezes podem ser mais aquosas, volumosas e conter espuma.

A sensação de barriga estufada é frequente devido aos gases, o que aumenta também a flatulência.

As manifestações da intolerância à lactose geralmente aparecem depois do consumo de leite e derivados ou produtos feitos com leite.

Porém, vale lembrar que os sintomas de intolerância à lactose variam de pessoa para pessoa, conforme a alimentação, o funcionamento do intestino, bem como da presença de outras doenças intestinais

Durante o período de adaptação à nova dieta, recomenda-se que a pessoa seja acompanhada por um/a nutricionista.

Intolerância à lactose tem cura? Qual médico devo procurar?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Intolerância à lactose não é propriamente uma doença, portanto sua cura é possibilitada a partir de uma reorientação alimentar.

A reorientação alimentar consiste na diminuição ou restrição da ingestão de leite e derivados (queijo, manteiga, iogurtes, leite condensado, creme de leite, etc) e alimentos que na sua produção contenha leite (bolo, sorvete, pão de queijo, etc) associada à substituição por alimentos com nutrientes e proteínas necessários no dia a dia.

Outra opção disponível no mercado é a enzima lactase (cápsula ou gotas) capaz de facilitar a absorção da lactose e, dessa forma, reduzir os sintomas provocados pela intolerância. Adicionada ao leite e após 24 horas de refrigeração na geladeira, a mistura pode ser usada para beber ou na fabricação de alimentos que utilizam leite na receita.

A nova dieta deve conter alimentos que ofereçam nutrientes como o cálcio e vitamina D que a pessoa deve ingerir diariamente.

O/a médico/a gastroenterologista bem como o/a clínico/a geral e médico/a de família são capazes de realizar o diagnóstico apropriado da intolerância à lactose e, juntamente com o/a nutricionista, orientar a dieta e alimentos que farão reduzir os sintomas e propiciar uma adequada qualidade de vida ao/a paciente.

Para mais informações:

Qual exame devo fazer para saber se tenho intolerância à lactose? Como é feito?

Tomar vinagre para emagrecer faz mal?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Tomar vinagre para emagrecer pode fazer mal à saúde, pois o vinagre é muito ácido e, em excesso, pode irritar a gargante, o estômago e até ferir as mucosas, causando azia e dor de estômago.

Além disso, não existem evidências científicas de que o consumo de vinagre antes das refeições ajuda a emagrecer, como sugere a dieta do vinagre.

O vinagre de maçã tem sido muito usado em dietas de perda de peso, pois há indícios de que o ácido acético, principal componente do vinagre, tenha ação termogênica acelerando o metabolismo.

Outros supostos benefícios atribuídos ao vinagre é a diminuição da absorção de carboidratos e o prolongamento da sensação de saciedade, o que também poderia contribuir para o emagrecimento.

Contudo, mesmo que o vinagre tenha propriedades que interfiram no metabolismo e ajude a emagrecer, a perda de peso só será possível através da alimentação balanceada, com baixas calorias, de preferência associada a exercícios físicos.

Leia também: O que fazer para emagrecer?

Não existe nenhum alimento capaz de fazer emagrecer por si só. Mesmo os alimentos termogênicos, que de fato aceleram o metabolismo, como a canela e o chá verde, não são capazes de produzir uma perda de peso perceptível na balança.

Se pretende emagrecer de forma saudável, consulte um profissional nutricionista para seguir um plano alimentar personalizado, adequado às suas necessidades calóricas e nutricionais.

Também podem lhe interessar:

7 Erros que Você não Pode Cometer se Quer Emagrecer

Tomar termogênico faz mal?

Injeção trimestral engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

É possível, esse é um efeito colateral frequentemente relatado, no entanto, nem toda mulher que faz uso da injeção anticoncepcional trimestral irá engordar, o efeito sobre o ganho de peso é variável e depende de mulher para mulher. Geralmente, a injeção provoca um aumento de 1 a 2 kg de peso com o seu uso, mais do que isso não é esperado.

Caso o uso da injeção seja associado a uma dieta equilibrada, atividade física e estilo de vida saudável a influência sobre o peso pode ser minimizada.

A injeção trimestral é composta pelo acetato de medroxiprogesterona, uma progesterona de depósito que tem efeito durante três meses. Apresenta uma alta eficácia contraceptiva se usado corretamente, ou seja, a injeção deve ser aplicada a cada 90 dias sem atrasos maiores que 2 semanas.

A injeção trimestral interfere na menstruação?

Sim, é possível que ocorram algumas modificações no padrão menstrual das mulheres que fazem uso da medroxiprogesterona.

Nos primeiros 3 meses é possível que ocorra uma irregularidade do sangramento menstrual ou mesmo prolongamento do período de sangramento. Com o decorrer do tempo é comum que o sangramento menstrual diminua, muitas mulheres chegam inclusive a entrar em amenorreia, ou seja, param de menstruar. Outras mulheres podem apresentar apenas uma redução do fluxo menstrual ou manter uma certa irregularidade no ciclo menstrual.

Quais são os efeitos colaterais da injeção trimestral?

Além do ganho de peso e das alterações no padrão e no ciclo menstrual, outros efeitos colaterais associados ao uso da medroxiprogesterona, são:

  • Dores de cabeça
  • Tontura
  • Desconforto gástrico
  • Inchaço
  • Alterações no humor
  • Diminuição do desejo sexual

Muitos desses efeitos podem diminuir com o decorrer do uso do injetável trimestral, caso se mantenham, aumentem de intensidade ou sejam incômodos consulte o seu médico de família ou ginecologista para uma avaliação.

Também pode ser do seu interesse:

Dúvidas sobre anticoncepcional injetável

Dormir pouco emagrece ou engorda?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Dormir pouco pode favorecer o ganho de peso, devido ao impacto que o sono de má qualidade tem no apetite e no gasto energético, podendo levar ao ganho de peso.

Isso porque dormir pouco está associado a alterações nos hormônios que controlam a fome. Os níveis de leptina, que reduz o apetite, baixam, enquanto que os níveis de grelina, que estimula o apetite, aumentam. Isso já ocorre quando a pessoa dorme menos de 8 horas por noite.

Além disso, quem dorme muito pouco (cerca de 4 horas por noite) tem mais vontade de comer alimentos calóricos, ricos em carboidratos, como doces e massas, por exemplo.

Outro fator que contribui para que as pessoas que dormem pouco engordem, é que estas têm menos chances de serem ativas fisicamente, o que leva a um gasto energético mais reduzido.

Portanto, dormir pouco pode contribuir para o ganho de peso, aumentando o risco de obesidade e outros problemas decorrentes do ganho de peso.

Além disso a privação de sono de qualidade no decorrer do tempo pode levar a diversos problemas como cansaço, fadiga, diminuição da produtividade e problemas de memória.

Caso sinta que não dorme adequadamente seja procure um médico de família ou clínico geral para uma avaliação inicial.

Também pode lhe interessar: Dormir pouco faz mal à saúde? O que pode acontecer?

Norestin engorda e dá acne? Quais os efeitos secundários?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Norestin é uma medicação anticoncepcional que contém apenas progesterona. Como efeito colateral, é possível haver um aumento de peso e aparecimento de acne.

Toda medicação está propensa a apresentar efeitos secundários. No momento da escolha, eles devem ser ponderados com os efeitos benéficos para decidir se vale a pena ser utilizado.

O Norestin apresenta como efeitos secundários mais comuns ( ≥1%):

  • Aumento do fluxo menstrual;
  • Náusea e vômito;
  • Dor de cabeça;
  • Tontura;
  • Sensibilidade nas mamas;
  • Cansaço;
  • Ausência de menstruação (amenorreia).

Os efeitos secundários menos comuns são (<1%):

  • Acne;
  • Depressão;
  • Secreção vaginal;
  • Edema;
  • Nervosismo.

O Norestin pode ser usado por mulheres em aleitamento materno.

Caso você observe muitos efeitos colaterais indesejáveis com o uso desse anticoncepcional, converse com seu/sua médico/a para avaliar uma possível troca de medicação ou para lhe aconselhar formas de adaptação aos efeitos secundários.

Não consigo emagrecer, o que devo fazer?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Para emagrecer, é necessário primeiro uma consulta médica para realização de exames básicos, que irão descartar doenças ou alterações hormonais, que possam ser a causa desse aumento de peso ou até mesmo da dificuldade em emagrecer.

Após os resultados e descartando causas secundárias para sua dificuldade, deverá iniciar um plano alimentar indicado por um/uma nutrologista e nutricionista, que deverão prescrever uma dieta de acordo com as suas necessidades calóricas e nutricionais, além de associar a dieta com exercícios físicos orientados.

Outras dicas que pode começar a seguir desde então:

1. Fazer pequenos lanches entre as principais refeições, pois estimula o metabolismo a manter o apetite sob controle. Barras de cereais, iogurtes desnatados e frutas são boas opções de lanches.

2. Distribuir os alimentos ao longo do dia. Evite comer grandes quantidades de carboidratos de uma só vez, para que o excesso não seja armazenado sob a forma de gordura.

3. Investir em alimentos integrais, como massas, arroz, pães e cereais, pois prolongam a sensação de saciedade. Alimentos feitos com farinha branca saciam temporariamente, mas, após um curto período de tempo, a pessoa volta a sentir fome.

4. Não deixar de lado as proteínas, que além de serem essenciais para a manutenção da massa muscular, prolongam a sensação de saciedade. Frango, peixes, carnes, leite, ovos e leguminosas (grão-de-bico, feijão, lentilha) são boas fontes de proteína.

5. Iniciar atividade física, de preferência em grupo e que te traga prazer, para que ajude na assiduidade do exercício. (Lembrando de realizar avaliação médica prévia).

6. Cuidar do seu estado emocional. É fundamental manter o controle emocional, evitando ou procurando ajuda caso apresente ansiedade ou depressão. Pessoas com distúrbios alimentares e sobrepeso costumam apresentar também quadros de ansiedade ou oscilação de humor, que atrapalham na rotina alimentar. Para isso é importante buscar ajuda e tratamento. Os responsáveis para tratar e orientar quanto a esses sintomas são psicólogos e psiquiatras.

Existem grupos bem estruturados para auxiliar no emagrecimento, com propostas sérias e resolutivas, existem medicamentos, quando o aumento do peso passa a causar riscos aos pacientes, indicação de cirurgia, entre outros. Ou seja, existem muitas formas de auxiliar as pessoas a emagrecer, dependendo de cada caso.

O médico saberá como orientar o seu caso. Agende uma consulta com médico da família, clínico geral ou nutrologista para dar início ao seu plano de tratamento, de forma segura e saudável.

Veja também:

1 caneta de Saxenda dura quantos dias?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

A duração de 1 caneta de Saxenda depende da dose utilizada.

A caneta é preenchida com 1 frasco de medicamento e permite usar 0,6 mg, 1,2 mg, 1,8 mg, 2,4 mg ou 3,0 mg em cada injeção. Cada frasco contém 3 mL, que correspondem a 18 mg de liraglutida.

Para quem inicia o uso do medicamento, o modo indicado de usar é:

  • 0,6 mg por dia, na primeira semana (o que totaliza 4,2 mg);
  • 1,2 mg por dia, na segunda semana (totalizando 8,4 mg);
  • 1,8 mg por dia, na terceira semana (que são 12,6 mg);
  • 2,4 mg por dia, na quarta semana (o que totaliza 16,8 mg);
  • A partir da quinta semana utilizar 3,0 mg.

De acordo com este esquema, a primeira caneta de Saxenda deverá durar 17 dias. Já a segunda caneta deverá durar 8 dias.

No 26º dia de tratamento, os 2,4 mg podem ser aplicados utilizando os 1,2 mg que sobram no segundo frasco, mais 1,2 mg do terceiro frasco. Utilizando desta forma, o terceiro frasco deverá durar 7 dias.

A primeira caixa, que contém 3 frascos, é suficiente para 33 dias de tratamento.

A partir da segunda caixa, cada caneta dura 6 dias, o que significa que cada caixa irá durar 18 dias.

Referência:

Saxenda. Bula do medicamento.