Perguntar
Fechar

Dietas e Obesidade

Qual remédio emagrece de verdade?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O melhor "remédio" é uma dieta preparada especialmente para você por um nutricionista e exercícios físicos regulares, sempre com acompanhamento médico adequado.

Qual o peso mínimo para poder engravidar?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Não existe propriamente um peso mínimo para poder engravidar. O ideal é que a mulher esteja dentro do peso considerado normal para a sua altura antes de engravidar.

Para saber se alguém está acima, abaixo ou dentro do peso ideal, utilizamos o cálculo do Índice de Massa Corporal (IMC), que é obtido dividindo-se o peso pelo quadrado da altura → IMC = Peso (kg) ÷ Altura (m) 2.

Dessa forma, obtêm-se a seguinte classificação:

IMC inferior a 16 Magreza grave
IMC de 16 a 16,9 Magreza moderada
IMC de 17 a 18,4 Magreza leve
IMC de 18,5 a 24,9 Faixa de peso saudável
IMC de 25 a 29,9 Sobrepeso
IMC de 30 a 34,9 Obesidade grau 1
IMC de 35 a 39,9 Obesidade grau 2
IMC acima de 40 Obesidade grau 3 ou mórbida

Assim, quem pretende engravidar deve preferencialmente estar com um IMC entre 18,5 e 24,9. Por exemplo, uma mulher com 1,65 m de altura e que antes da gravidez está com 60 kg, tem um IMC de 22, portanto está dentro da faixa de peso considerada ideal ou saudável para a sua altura (IMC = 60 ÷ (1,65)2 = 22).

Dessa forma, pode-se concluir que o peso mínimo recomendado para engravidar é definido pelo IMC de valor igual a 18,5.

Mulheres que engravidam com baixo peso (IMC inferior a 18,5) têm que ganhar de 12,5 a 18 kg durante a gravidez, pois existe o risco do bebê ter o crescimento intrauterino restrito durante a gestação ou apresentar baixo peso ao nascimento. A própria saúde da gestante pode ser prejudicada se ela estiver abaixo do peso, por carências nutricionais.

Por isso antes de engravidar recomenda-se controlar o peso (ganhar, perder ou manter), de maneira a mantê-lo dentro dos limites considerados normais e evitar futuros problemas gestacionais que podem afetar a mãe e o bebê.

Leia também:

Qual o peso ideal na gravidez? Como calcular?

9 Coisas que Você Deve Fazer Antes de Engravidar

Obesidade – Fisiologia do Armazenamento das Gorduras
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A quantidade de pessoas obesas tem aumentado muito no Brasil. Por este motivo é considerado um problema de saúde pública.

A obesidade é um importante fator de risco para doenças cerebrovasculares e cardiovasculares, especialmente, quando associada à pressão alta e diabetes. Todas estas doenças precisam de acompanhamento médico constante. Além disso, as questões estéticas ligadas à obesidade podem ter repercussões psicológicas que também necessitam de cuidados.

Como ocorre o processo de ganho de peso?

Entender a fisiologia envolvida no processo de ganho de peso pode ajudar a prevenir a obesidade.

O nosso tecido adiposo é formado por células conhecidas como adipócitos. A principal função dos adipócitos é o armazenamento de gorduras. O tecido adiposo é encontrado em maior quantidade logo abaixo da nossa pele.  Ele se distribui de forma irregular pelo corpo (alguns lugares tem um tecido adiposo maior ) e também no abdômen em torno das nossas vísceras.

A gordura acumulada debaixo da pele tinha a função de proteger o corpo humano do frio e em conjunto com a gordura acumulada no abdômen, desempenhava  a função de servir como reserva energética em tempos de escassez de alimentos. Entretanto, com as modificações nos estilos de vida , hoje nos protegemos do frio usando roupas e nos alimentamos várias vezes aos dia, o excesso de gordura se tornou uma questão de saúde.

O acúmulo de gordura em nosso corpo é feito a partir das excesso de alimentos e do gasto de energia. Todas as vezes que gastamos menos energia e ingerimos mais alimentos que o necessário para manutenção das funções orgânicas, existe o acúmulo do excedente alimentar em forma de gordura. O nosso organismo aproveita a energia quem vem com os carboidratos (açucares), as gorduras e as proteínas.

O nosso metabolismo dá preferência sempre para os carboidratos, na falta deste, opta pela gordura para obtenção de energia e em últimos casos lança mão do uso das proteínas. O problema é que os carboidratos são armazenados em pequenas quantidades no fígado e músculos, todo o restante que sobra é transformado em gordura para formar nosso tecido adiposo. As gorduras quando ingeridas são diretamente levadas para os locais de acúmulo e as proteínas passam por processos mais específicos para que suas sobras sejam transformadas em gordura.

Este é o principio básico do acúmulo de gorduras, ganho de peso e da obesidade. Entender o funcionamento do nosso corpo pode nos ajudar a formular medidas para a perda de peso como, por exemplo, a adoção de um plano alimentar saudável, rica em carnes magras, frutas, vegetais e grãos integrais e a prática de atividade física.

Saiba mais em:

Quais os tipos de transtornos alimentares e seus sintomas?

Como é o tratamento para transtornos alimentares?

O que é bulimia nervosa?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A bulimia nervosa é um transtorno alimentar em que a pessoa come compulsivamente grandes quantidades de alimentos e depois toma medidas extremas para se livrar do alimento que está em seu corpo para não engordar.

Na bulimia, o medo de ganhar peso leva a pessoa a induzir vômitos, tomar laxantes e diuréticos, ficar em jejum por longos períodos e ainda fazer exercícios físicos intensos durante horas.

Além disso, no período em ela come exageradamente, o sentimento de culpa, de sair do controle, de medo e vergonha estão comumente presentes.

Com isso, o julgamento do corpo físico e a imagem corporal de si mesma são afetados, fazendo com que a pessoa se sinta desconfortável quando está acima do peso e se sinta bem quando está magra.

Embora essas pessoas estejam constantemente preocupadas com a forma física, geralmente são magras e estão dentro do peso ideal para a altura, mas são obcecadas com o corpo e tendem a fazer dietas muito restritivas.

Quais são as causas de bulimia nervosa?

A bulimia nervosa acomete com mais frequência as mulheres na adolescência ou início da idade adulta. Ela é frequentemente associada à pressão para manutenção dos padrões de beleza impostos pela mídia e sociedade.

Contudo, existem diversos fatores que contribuem para o desenvolvimento da bulimia, tais como a personalidade, a predisposição genética, a preocupação excessiva com o corpo e a forma física, pressões sofridas por parte da sociedade ou da família, entre outros.

A bulimia também é mais comum em pessoas com baixa autoestima e sintomas depressivos.

Quais são os sintomas da bulimia nervosa?

Pessoas com bulimia nervosa comem exageradamente e rapidamente grandes quantidades de alimento. Depois, sentem-se culpadas e provocam vômitos, usam diuréticos e laxantes com medo de engordar. Também é comum observar em pessoas com bulimia a prática de dietas radicais.

A pessoa com bulimia também possui uma visão distorcida da própria imagem, achando que está gorda, quando na verdade está dentro o abaixo do peso ideal para sua idade e altura. 

Outras características comuns em indivíduos com bulimia nervosa incluem baixa autoestima, grandes variações de peso, ansiedade, depressão, perfeccionismo, insatisfação constante e até mesmo automutilação.

Qual é o tratamento para bulimia nervosa?

O tratamento da bulimia nervosa envolve trabalho conjunto de profissionais de diferentes áreas, como psiquiatra, psicólogo, nutricionista e médicos de outras especialidades. O objetivo do tratamento não é apenas tratar o distúrbio alimentar, mas também os transtornos psicológicos que estão na origem do problema.

A psicoterapia associada ao uso de medicamentos antidepressivos e estabilizadores de humor estão entre as opções de tratamento de primeira linha para a bulimia.

Para maiores esclarecimentos, consulte um médico clínico geral, um médico de família ou um psiquiatra.

Estou precisando perder 10kg, qual remédio está liberado?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Medicação não é a primeira escolha no tratamento para emagrecer, existem outras opções que devem ser tentadas antes.

Link útil:

Beber detergente emagrece?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, beber detergente não emagrece de forma nenhuma e nunca deve ser feito pois pode provocar intoxicação grave, que pode até ser fatal.

Dependendo da quantidade e do tipo de produto, a ingestão de detergente pode causar:

  • Náuseas;
  • Vômitos;
  • Diarreia;
  • Distensão abdominal;
  • Dor abdominal;
  • Paralisia dos músculos respiratórios;
  • Hipotensão (pressão baixa);
  • Agitação;
  • Convulsão;
  • Coma e morte.

A ideia de que beber detergente pode ajudar a dissolver a gordura corporal é impossível de ocorrer do ponto de vista fisiológico. O detergente não chega às células de gordura e, mesmo que chegasse, seria incapaz de eliminar a gordura ali acumulada.

Os únicos efeitos que o detergente pode produzir no corpo são aqueles decorrentes da intoxicação que ele provoca e nada mais.

Veja aqui o que fazer para emagrecer sem prejudicar a sua saúde.

Portanto, nunca beba detergente ou qualquer outro produto de limpeza. Além de não emagrecer, pode provocar sérios problemas, inclusive levar à morte.

Leia também:

Tomar vinagre para emagrecer faz mal?

Usar cinta, body ou modelador emagrece?

7 Erros que Você não Pode Cometer se Quer Emagrecer

Eu faço muita retenção de líquidos, não consigo emagrecer...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se o caso é "retenção de líquidos", talvez devesse ir a um médico, que vai fazer a correta avaliação, diagnosticar essa "retenção de líquido" e a partir dai propor a você um tratamento para essa "retenção de líquidos", aí você estará livre para poder emagrecer o quanto precisar. Com relação a constipação o tratamento é basicamente dieta e exercícios (como você já vai na nutricionista, essa parte converse com ela) e comece a fazer exercícios.

Qual é a dieta para emagrecer mais indicada para meu caso?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

A melhor dieta para você é aquela que foi especialmente preparada para você por um nutricionista e sempre é importante ter a aprovação do seu cardiologista, mas neste caso acredito que ele vai te apoiar, é realmente importante que você emagreça.