Perguntar
Fechar
Sibutramina pode causar câncer no estômago?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não, sibutramina não causa câncer no estômago. O medicamento pode provocar outros efeitos colaterais, mas não há nenhum relato até o momento de associação com câncer.

Os efeitos colaterais mais comuns da sibutramina são:

  • Boca seca;
  • Aumento da pressão arterial;
  • Dor de cabeça;
  • Prisão de ventre;
  • Taquicardia (batimentos cardíacos acelerados);
  • Insônia.

A sibutramina também pode aumentar o risco de doenças cardiovasculares, como derrame e infarto, em pessoas que já têm uma predisposição elevada para desenvolver essas doenças.

Apesar dos seus efeitos colaterais, a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e Síndrome Metabólica (ABESO) afirmam que a sibutramina é o único medicamento usado no tratamento da obesidade com ação central, aprovado no Brasil para uso a longo prazo.

A sibutramina é um medicamento de tarja preta e só pode ser utilizado com prescrição e supervisão de um médico endocrinologista, médico de família ou clínico geral habilitados para o tratamento medicamentoso da obesidade.

Podem também lhe interessar os artigos: Se parar de tomar sibutramina vou engordar de novo?; Posso beber álcool se estiver tomando Sibutramina?

Picolinato de cromo emagrece? Saiba como tomar e quais os seus efeitos colaterais
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

O picolinato de cromo é um produto registrado pela ANVISA, na categoria de suplemento vitamínico e mineral, popularmente usado para fins de emagrecimento, porém ainda sem registro ou eficácia comprovada para esse fim.

Picolinato de Cromo x Emagrecimento

Embora ainda não esteja cientificamente comprovado que o produto promove o emagrecimento, alguns estudos evidenciaram esse resultado. Pesquisadores entendem que o produto seja capaz de estimular a redução do apetite e o desejo por comida, além de acelerar o metabolismo e impulsionar a queima de gordura. O que levaria a perda de peso.

O cromo é um mineral essencial que participa no metabolismo dos carboidratos, aumenta a tolerância do organismo à glicose e potencializa a ação da insulina. Além disso, auxilia na redução da formação de colesterol. Este mineral pode ser ingerido em sua forma natural por meio da alimentação.

Como tomar picolinato de cromo

A dose recomendada deve ser de 50 a 300 microgramas (mcg) por dia.

Entretanto, a suplementação com picolinato de cromo deve ser prescrita e orientada por médico/a ou nutrólogo. Seu uso deve ser associado a uma alimentação saudável e à prática de atividade física.

Contraindicações do picolinato de cromo
  • Insônia
  • Alterações de humor
  • Cefaleia (dor de cabeça)
  • Perda de minerais (ferro)
  • Vômitos
  • Diarreia
  • Surgimento de úlceras
  • Anemia
  • Problemas de fígado
Fontes naturais de cromo

O cromo pode ser encontrado em grãos integrais, frutas, vegetais, leguminosas alimentos de origem animal e alimentos integrais.

Grão integrais
  • Aveia
  • Linhaça
  • Chia
Frutas
  • Uva
  • Maçã
  • Laranja
  • Açaí
  • Banana
Vegetais
  • Espinafre
  • Brócolis
  • Tomate
  • Alho
  • Cenoura
  • Batata
Leguminosas
  • Soja
  • Milho
  • Feijão
Alimentos de origem animal
  • Frango
  • Carnes
  • Frutos do mar
  • Ovos
  • Leite e derivados
Alimentos integrais
  • Pão integral
  • Arroz integral
  • Massas integrais
  • Açúcar mascavo
  • Farinha de trigo integral
  • Levedura de cerveja

Não utilize suplementos alimentares sem orientação de um/a nutricionista ou nutrólogo/a e adote um estilo de vida que inclua uma alimentação saudável e a prática de exercícios físicos.

Leia mais:

7 Erros que você não pode cometer se quer emagrecer

Não consigo emagrecer, o que devo fazer?

Cirurgia bariátrica, quanto tempo ficar sem relação sexual?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Na verdade o problema não é a relação sexual e sim o esforço durante a relação sexual, se for algo bem tranquilo, em uma posição confortável e que você não faça muito esforço (nenhum de preferência) já poderia começar a ter relações. A partir de 60 dias estaria liberada para pequenos esforços e somente depois de 6 meses liberada para grandes esforços.

Leia também: Cirurgia de apêndice, quanto tempo posso ter relações?

Endocrinologistas são os únicos que podem receitar sibutramina?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

Qualquer médico pode receitar sibutramina® ou outras medicações controladas, porém como toda medicação necessita de um acompanhamento e objetivo de tratamento, apenas aqueles que trabalham com emagrecimento acabam por solicitar e fazer uso dessa receita.

Os endocrinologistas e nutrólogos, são os profissionais mais capacitados para prescrever essa substância.

O médico que receita a sibutramina® se responsabiliza pelas informações sobre a medicação, de maneira clara e precisa, sobre informações de possíveis riscos e efeitos colaterais, além de se responsabilizar pelo acompanhamento e assessoria de eventuais complicações decorrentes desse tratamento.

Saiba mais em: Quais os efeitos colaterais da sibutramina?

Por todo o descrito, cabe ao médico decidir se está apto ou não à prescrição e acompanhamento de tal medicação. A escolha por determinada droga terapêutica ou profilática é um ato médico, que deve ser decidido com total responsabilidade, visando sempre resguardar a saúde do paciente/consumidor.

Os nutricionistas podem prescrever sibutramina®?

Não. Os nutricionistas não receitam medicamentos controlados, porque para adquirir as receitas, como nesse caso, a "Receita Amarela" ou "Receita A", é necessário que seja médico e que solicite o talão junto à Vigilância Sanitária portando um carimbo médico específico, com dados pessoais, endereço e contatos, pessoalmente, para devido controle.

A Receita A é um impresso, na cor amarela, utilizada por médicos capacitados para a prescrição dos medicamentos das listas A1 e A2 (entorpecentes) e A3 (psicotrópicos), visto que são medicações que possuem risco de efeitos colaterais altamente danosos.

Como fazer para emagrecer?

O emagrecimento deve sempre ser planejado com profissionais da área de saúde, de maneira conjunta. O uso isolado de uma medicação, leva a uma falsa ideia de resolução rápida, que não se sustenta a longo prazo, além de oferecer riscos à saúde.

Dessa maneira, recomendamos procurar um médico endocrinologista ou nutrólogo, responsáveis por identificar possíveis causas físicas para o aumento de peso, planejando o início de um tratamento individualizado. Prescrevendo a medicação sempre que entender necessário.

Associado ao tratamento médico, é fundamental o acompanhamento de nutricionista e educador físico, para reeducação alimentar e orientações quanto a atividades físicas regulares, o que promoverá um resultado satisfatório, com perda de peso de maneira saudável e duradoura.

Pode lhe interessar também: Não consigo emagrecer, o que devo fazer?

Quais os efeitos colaterais da sibutramina?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os efeitos colaterais da sibutramina são:

  • Boca seca;
  • Prisão de ventre;
  • Dor de cabeça;
  • Agitação psicomotora, nervosismo, ansiedade, delírio;
  • Sudorese (transpiração);
  • Alterações do sono, por exemplo, insônia;
  • Aumento da pressão arterial e da frequência cardíaca;
  • Náusea;
  • Alteração do paladar.

Os efeitos colaterais da sibutramina geralmente são transitórios. Todavia, se os efeitos colaterais forem persistentes ou com uma intensidade que interfira nas atividades diárias, a pessoa deve falar com o/a médico/a sobre a possibilidade de ajustar a dosagem ou até mesmo suspender o uso do medicamento.

A sibutramina é um medicamento usado para tratar a obesidade pois reduz a fome e aumenta a sensação de saciedade. 

O seu uso deve ser orientado e acompanhado pelo/a /a médico/a clínico/a geral ou endocrinologista.

Como funciona a dieta do HCG?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A dieta do HCG consiste em: aplicações de injeções do hormônio HCG associadas a uma dieta com pouquíssimas calorias (cerca de 500 Kcal/dia).

O programa completo da dieta dura 26 dias, com 3 injeções diárias de HCG.

Nos 2 primeiros dias não existe restrição alimentar. A partir do 3º dia de tratamento, a dieta começa, com apenas 500 calorias por dia. Açúcar e carboidratos (pães, massas, arroz, batata) estão proibidos.

O que é o HCG e como ele atua na dieta?

O HCG (sigla em inglês para Gonadotrofina Coriônica Humana) é um hormônio produzido pelo corpo durante a gravidez. Sua principal função é a manutenção da gravidez nos primeiros meses de gestação.

A forma sintética do hormônio HCG é aprovada pela ANVISA para ser utilizada no tratamento da infertilidade e não para emagrecer.

Segundo os médicos que utilizam a dieta do HCG, a substância "engana" o organismo, que começa a funcionar como se a mulher estivesse grávida.

Assim, o corpo começa a queimar gordura, principalmente nos locais onde ela se acumula mais, como barriga, braços e coxas, preservando a massa magra (músculos).

Outra justificativa para o uso do hormônio seria de combater a fome e manter o suprimento de nutrientes para o corpo, de maneira que a pessoa não se sinta fraca.

A dieta do HCG funciona?

Não existe comprovação científica. A dieta do HCG parece funcionar porque qualquer adulto que tenha uma dieta com apenas 500 calorias por dia irá emagrecer. Porém, se a participação do hormônio potencializa essa perda, ainda não foi comprovado. Na realidade, as evidências indicam que o HCG não tem nenhum efeito no emagrecimento, que toda a perda de peso é devida à restrição calórica.

Isso significa que a pessoa pode estar emagrecendo apenas devido à dieta pobre em calorias e não pelas injeções de HCG.

Além disso, uma restrição alimentar tão severa fará com que o corpo utilize as proteínas dos músculos e até órgãos, o que é contraindicado e pode trazer riscos para a saúde, embora os defensores do método garantam que o hormônio preserve a massa magra.

Mesmo assim, ainda que a dieta funcione, o emagrecimento rápido não permite que a pessoa crie novos hábitos alimentares para manter o peso perdido a longo prazo.

A melhor e mais indicada dieta para emagrecer é aquela que promove uma reeducação alimentar, baseada numa dieta balanceada associada à atividade física.

Quais são os riscos da dieta do HCG?

O uso do hormônio HCG aumenta os riscos de formação de coágulos, depressão, infertilidade, queda de cabelo, enfraquecimento de unhas, além de influenciar os níveis dos hormônios sexuais tanto no homem como na mulher.

As alterações hormonais causadas pelo uso do HCG também podem trazer complicações, como: irregularidade dos ciclos menstruais, sangramento vaginal, aumento das mamas, cistos no ovário, dor nas mamas, baixa produção de esperma e infertilidade (homens), além de aumentar o risco de câncer de mama a longo prazo.

Os riscos da dieta do HCG não estão apenas relacionados com o uso do hormônio. A própria dieta em si é muito pobre em calorias (cerca de 500 Kcal/dia) o que também causa vários efeitos colaterais, como fraqueza, cansaço, tontura, dor de cabeça e irritabilidade.

É importante ressaltar que a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM) e a Associação Brasileira para Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (ABESO) não reconhecem a eficácia do método e consideram a dieta do HCG como perigosa e pode inclusive trazer sérias consequências ao paciente.

Para maiores esclarecimentos, consulte um/a médico/a endocrinologista.

Leia também: A dieta do HCG faz mal à saúde? Quais os riscos?

Criolipólise funciona? Como é feito o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim, criolipólise funciona para reduzir medidas, assim como a lipoaspiração. Não é um tratamento indicado para emagrecer e perder peso, mas é eficaz para eliminar gordura localizada no abdômen, culote, flancos ("pneus"), braços e costas.

A palavra "criolipólise" significa literalmente "quebrar (lise) a gordura (lipo) pelo frio (crio)" e é isso mesmo que o tratamento faz.

Depois de perder peso, a criolipólise pode eliminar aquela gordura localizada que é mais difícil de perder, mesmo controlando a alimentação e praticando atividade física.

Criolipólise O que é a criolipólise?

A criolipólise é um procedimento não invasivo, que serve para eliminar gordura localizada. O procedimento utiliza um resfriamento controlado que atinge apenas as células de gordura na área que está sendo tratada.

O aparelho usado para fazer a criolipólise tem ventosas de vários tamanhos. A ventosa é escolhida conforme a quantidade de gordura que se pretende eliminar e o tamanho da área corporal que vai receber a aplicação.

Após a sessão de criolipólise, a quantidade de gordura no local da aplicação diminui e os tecidos adjacentes ficam intactos.

Como funciona a criolipólise?

A criolipólise utiliza baixas temperaturas para destruir a gordura corporal através de um aparelho que é colocado na superfície da pele. As células de gordura são então congeladas com temperaturas negativas, morrem e se rompem.

A ponteira do aparelho de criolipólise produz um vácuo muito forte, promovendo a sucção da pele onde está a gordura localizada que será eliminada. Ao mesmo tempo que suga essa porção da pele, o aparelho provoca um intenso resfriamento controlado no local, destruindo as células gordurosas.

Os restos das células de gordura destruídas durante a criolipólise são eliminadas naturalmente pelo organismo. A gordura que estava no interior das células é levada para o fígado, onde é metabolizada pouco a pouco, sem sobrecarregar o órgão.

O tempo de duração da aplicação com cada ventosa é de cerca de 35 minutos. Após cada tratamento, recomenda-se fazer uma massagem anticelulite no local, beber bastante água e fazer um repouso relativo.

Em quanto tempo posso ver os resultados da criolipólise?

Os resultados máximos da criolipólise podem ser notados depois de 2 a 3 meses de tratamento. Numa única sessão, é possível perder até 25% da gordura localizada na região que foi tratada. Para fazer uma nova aplicação no mesmo local é necessário esperar 2 a 3 meses.

É importante frisar que a criolipólise não é um tratamento de emagrecimento para combater o excesso de peso. O objetivo é eliminar a gordura localizada em algumas regiões do corpo, melhorando a estética e reduzindo medidas. Para emagrecer é necessário fazer dieta e exercícios físicos e é preferível ter um acompanhamento pro um profissional nutricionista.

Quais são os riscos da criolipólise?

Os principais riscos da criolipólise são a necrose (morte) de células da pele e a hiperplasia adiposa paradoxal. Nesta última complicação, há um aumento do número de células de gordura na área que foi tratada, formando uma área mais endurecida de gordura localizada no local. Daí o nome hiperplasia adiposa paradoxal, pois as células de gordura se multiplicam ao invés de desaparecer.

Contudo, os riscos dessa complicação são baixos, e pode ocorrer em cerca de 0,051% das pessoas que fazem tratamento com criolipólise.

Em caso de hiperplasia adiposa paradoxal, é necessário fazer uma lipoaspiração para retirar essa gordura.

Outro ponto importante que deve ser levado em consideração é o fato de existir várias marcas de aparelho de criolipólise e cada uma possui pontas de tamanho e forma variados.

Por isso, é muito importante escolher um profissional bem treinado e capacitado para realizar o procedimento de forma precisa e com menos riscos de complicações.

Criolipólise dói?

Durante a sessão de criolipólise a pessoa não sente dor. Pode haver um pouco de dor no momento da sucção e algum desconforto quando o aplicador é removido.

Se a criolipólise for bem realizada o frio não provoca nenhum tipo de dano a outras estruturas, como pele, vasos sanguíneos, nervos e músculos. Apenas as células adiposas são danificadas, uma vez que são mais sensíveis ao frio.

Quais são as contraindicações da criolipólise?

A criolipólise é contraindicada nas seguintes condições: gravidez, presença de hérnia no local, urticária ou outras doenças associadas ao frio.

Não existe uma regra que especifique quais profissionais podem aplicar a criolipólise. Médicos, fisioterapeutas e esteticistas podem realizar o tratamento. Porém, é sempre importante se informar e ter referências sobre o profissional que vai aplicar a técnica.

Posso tomar sibutramina e anticoncepcional juntos?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Sim. Desde que com as devidas orientações médicas e receitas apropriadas. A sibutramina não interfere no efeito do anticoncepcional, que mantém sua eficácia mesmo com o uso desse outro medicamento.

Não há interação entre esses dois remédios, seja o anticoncepcional composto por estrógeno e progesterona ou por apenas progesterona. Da mesma forma, não há diferença se o anticoncepcional é em comprimido ou injetável, a sibutramina também não apresenta interferência.

No entanto, já foram relatados casos em que a sibutramina causa como efeitos colaterais distúrbios menstruais, como aumento da intensidade e dos episódios de cólicas menstruais (dismenorreia). Esse é um possível efeito adverso da sibutramina e não tem associação com o uso de contraceptivos hormonais ou não.

O que é a sibutramina?

A sibutramina é um medicamento usado como inibidor de apetite no tratamento da obesidade, tem um efeito direto no sistema nervoso central e atua em neurotransmissores associados a saciedade. Em alguns países foi proibido seu uso devido ao aumento do risco de eventos cardiovasculares. No Brasil está indicada no tratamento de obesidade, IMC maior que 30, dentro de um programa de controle de peso que inclua exercícios físicos e uma dieta hipocalórica.

Quais são as interações medicamentosas da sibutramina?

A sibutramina interage principalmente com medicamentos que atuam no sistema nervoso central.

  • Inibidores da monoaminoxidade (IMAO), sendo o seu uso contraindicado em pessoas que fazem uso desses fármacos;
  • Os inibidores seletivos da recaptação da serotonina e outros fármacos que levam a um aumento dos níveis de serotonina no cérebro, da mesma forma que a sibutramina;
  • Medicamentos que podem aumentar a pressão arterial ou frequência cardíaca como descongestionantes, antitussígenos, antigripais e antialérgicos que contém efedrina ou pseudoefedrina;
  • Substância que inibem o citocromo P450 como o cetoconazol, a eritromicina e a cimetidina.

Para mais informações sobre as interações da sibutramina consulte o seu médico de família, clínico geral ou endocrinologista.