Perguntar
Fechar
Estou com um caroço nos grandes lábios da vagina: o que pode ser e qual o tratamento?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Caroço nos grandes lábios da vagina pode ser característico de diferentes condições, como:

  • Foliculite;
  • Verrugas genitais causadas por HPV
  • Cisto sebáceo e outro tipos de cistos;
  • Lipoma;
  • Bartolinite.
Foliculite

Nódulos e caroços pequenos na região dos grandes lábios próximo aos pelos pode ser decorrente de uma foliculite, que é a inflamação da base do pelo. A foliculite pode desencadear a formação de pequenos carocinhos, que coçam, são um pouco dolorosos em toda a região da vulva.

A foliculite nessa região é algo comum, devido aos diferentes métodos de depilação que podem provocar irritação e inflamação na pele.

A foliculite pode infectar, levar a proliferação de bactérias e evoluir para a formação de furúnculos, nessa situação pode ser necessário o uso de antibióticos e drenagem do pus que fica acumulado.

Verrugas genitais

A verrugas genitais são causadas pelo vírus do HPV e são transmitidas através do contato sexual pele a pele. Podem aparecer como nódulos únicos ou múltiplos em qualquer área da vulva ou vagina.

O tratamento é a excisão da verruga através da aplicação de ácidos, cauterização, congelação ou retirada cirúrgica.

Cistos ou lipomas

Pequenos cistos também podem aparecer como caroços na região externa dos grandes lábios. Existem diferentes tipos de cistos, um dos mais comuns é o cisto sebáceo, que é um cisto causado pela obstrução das glândulas sebáceas presentes na pele.

Se o cisto inflama é possível haver ainda dor e desconforto, no entanto, é mais comum que os cistos sejam indolores e não causem outros sintomas.

Um outro tipo de nódulos que também podem aparecer na região genital são os lipomas, que são nódulos de gordura.

O tratamento de cistos ou lipomas é feito através de sua retirada por um pequeno procedimento cirúrgico.

Bartolinite

A causa mais comum de caroço de grandes dimensões na região da vulva é a inflamação da glândula de Bartholin, também chamada de bartolinite, que ocorre geralmente após a obstrução desta glândula.

A bartolinite, geralmente, ocorre em apenas um lado dos grandes lábios, pode causar o aparecimento de um pequeno cisto na entrada da vagina, que cresce e aumenta de tamanho com o decorrer do tempo.

Este caroço não se localiza exatamente nos grandes lábios, mas sim na entrada da vagina, no entanto, como costuma crescer rapidamente pode passar a impressão que são caroços dos grandes lábios

A obstrução da glândula de Bartholin causa a formação de um nódulo que é indolor, mas a medida em que cresce gera desconforto para andar, sentar ou durante a relação sexual. Em alguns casos, a bartolinite pode melhorar espontaneamente, sem necessidade de tratamento específico.

Entretanto, caso ocorra a infecção da glândula de Bartholin o nódulo passa a apresentar dor intensa, com presença de pus, vermelhidão e inchaço. Nessas situações, é necessária a drenagem para que o pus saia e alivie a dor, juntamente com o uso de antibiótico.

Se o caroço não regredir em alguns dias e vir acompanhado desses sintomas, a mulher deve procurar o ginecologista, clínico geral ou médico de família para o diagnóstico e tratamento adequados.

Leia também:

Referência bibliográfica

Febrasgo. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Bartholin gland masses: Diagnosis and management. Uptodate.

Dor e caroço no local da injeção: o que pode ser e o que fazer?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

A ocorrência de dor e caroço no local de injeção intramuscular é relativamente comum e é considerada uma complicação deste procedimento.

Essas complicações podem ocorrer tanto no braço, quanto nos glúteos, que são os locais em que mais comumente se aplica injeções.

Na maioria dos casos, esses sintomas melhoram com o decorrer do tempo e medidas simples com aplicação de calor ou frio, e massagens no local ajudam a aliviar.

A reação adversa mais relatada é a dor no local da injeção, podem ainda ocorrer, inchaço e formação de nódulo no local.

Por que ocorre dor e forma-se caroço no loca da injeção?

Esta ocorre porque a pele e tecido subcutâneo são ricamente inervados e os receptores da dor são estimulados pela agulha, quando penetra e disseca o tecido conectivo.

O músculo é menos inervado, mas a infusão de solução pode ser muito dolorosa, pela irritação devida à própria solução e ao pH. A injeção de penicilina benzatina, por exemplo, é aplicada no glúteo e por conter uma formulações que contém microcristais costuma causar dor.

Após a aplicação da injeção também pode ocorrer a formação de hematomas ou escurecimento da área onde foi aplicada a injeção. A pigmentação da pele e hemorragia ocorrem por extravasamento de sangue após lesão de capilares e vasos.

Quando a limpeza e assepsia do local da injeção não foi feito corretamento pode levar a infecção no local da picada da agulha, que pode evoluir para a formação de abcessos.

O que fazer se tiver dor ou caroço no local da injeção?

Usualmente medidas locais são suficientes para aliviar a dor ou desfazer o inchaço ou caroço que se forma no local de aplicação da injeção. As principais medidas a serem tomadas são:

Aplicação de calor local

Pode-se aplicar compressas quentes no local onde foi aplicada a injeção. O calor alivia a dor da injeção e promove uma melhor e mais rápida distribuição do medicamento que foi aplicado.

Aplicação de compressa fria

Embora a compressa quente ajude a aliviar a dor, a aplicação de frio ajuda a reduzir o inchaço, portanto, caso o que esteja incomodando mais seja o inchaço e vermelhidão no local de aplicação a compressa fria pode ser utilizada ao invés da compressa quente.

Massagem com movimentos circulares

Realizar pequenos movimentos suaves na região onde apresenta inchaço pode facilitar a drenagem de líquido acumulado e também ajuda no controle da dor.

Uso de analgésicos simples

O uso de analgésicos simples como paracetamol e dipirona pode ser útil para casos de dores moderadas e mais persistentes.

Na maioria dos casos essas medidas são suficientes para aliviar a dor e desfazer o inchaço ou nódulos que tenham surgido no local da injeção.

No entanto, caso não haja melhora ou apresente sinais de infecção no local da injeção como saída de pus, vermelhidão, inchaço e dor intensa, ou ainda outros sintomas como febre, consulte um médico para uma avaliação.

Principais complicações das injeções intramusculares

Além da dor e de nódulos, outras complicações das injeções intramusculares podem ocorrer, como:

  • Diminuição da sensibilidade do membro;
  • Formação de abscesso;
  • Infarto e necrose local;
  • Atrofia da pele e tecido adiposo;
  • Contratura muscular;
  • Fibrose tecidual;
  • Hematoma;
  • Lesão do nervo ciático, quando a injeção é aplicada no glúteo.
O que pode causar complicações no local da injeção?

A ocorrência de complicações depende de alguns fatores, como:

  • Tipo de medicação introduzida: pode ser irritante, estar diluída em solvente oleoso ou de absorção lenta, ou apresentar alta concentração;
  • Volume injetado incompatível com a estrutura do músculo: volumes maiores precisam ser aplicados em músculos que suportem a quantidade de medicamento injetado, caso contrário pode causar dor e inflamação;
  • Escolha inadequada da agulha e da seringa;
  • Desconhecimento pelos profissionais da anatomia e farmacologia, bem como falta de prática e habilidade;
  • Múltiplas injeções em um só local.

Se você apresentar complicações após injeção intramuscular, deverá procurar o serviço de saúde em que foi aplicada para maiores orientações.

Também pode ser do seu interesse:

Em crianças, qual o local correto para a aplicação de uma injeção?

Coceira e inchaço no local de aplicação da benzetacil

Tomei uma benzetacil, posso fazer uma compressa quente?

Injeção anticoncepcional causou dor fora do normal, é possível ter sido mal administrada e não funcionar?

Referência

Ministério da Saúde. Programa Nacional de Imunizações - PNI.

Quais os sintomas do Gama-GT alto?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Na realidade, o Gama-GT alto não provoca sintomas específicos. Uma pessoa com níveis elevados de Gama-GT poderá apresentar os sintomas daquilo que provocou esse aumento no Gama-GT.

Por exemplo, uma pessoa com doença no fígado poderá ter Gama-GT alto, mas não irá manifestar sintomas causados pelo Gama-GT especificamente, mas sim pela doença hepática. Neste caso, pode-se esperar que o paciente apresente os seguintes sintomas:

  • Fraqueza;
  • Fadiga;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vômitos;
  • Dor ou distensão abdominal;
  • Icterícia (pele e olhos amarelados);
  • Alteração da cor da urina e das fezes;
  • Coceiras.
Quais as principais causas do Gama-GT alto?
  • Doenças hepáticas e biliares;
  • Infarto;
  • Doenças pancreáticas;
  • Diabetes;
  • Insuficiência renal;
  • Doença pulmonar obstrutiva crônica;
  • Medicamentos (fenantoína, barbitúricos);
  • Alcoolismo.

A Gama-GT é uma enzima que está presente no fígado, coração e pâncreas. O exame de Gama-GT é útil para rastrear obstrução biliar e doenças no fígado, especialmente aquelas causadas pelo álcool.

Leia também: Quais os sintomas do Gama-GT baixo?

Geralmente o/a médico/a solicita o Gama-GT em conjunto ou no seguimento de outros exames capazes de fornecerem informações adicionais. Leve o resultado dos exames solicitados na consulta de retorno para que o/a profissional possa realizar a avaliação completa do seu caso clínico.

Dor no ânus: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Dor no ânus pode ser sinal de diversas condições patológicas como hemorroida, fissura anal, câncer de reto, entre outras. É importante observar os outros sintomas que acompanham a dor anal para poder identificar a causa da mesma.

Algumas causas de dor no ânus:

  • Hemorroida interna: Pode causar dor anal no caso de haver trombose associada ou quando a pessoa faz muita força para evacuar, provocando o prolapso da hemorroida para fora. Graus mais avançados podem provocar ainda incontinência fecal acompanhada de corrimento, provocando irritação e coceira na região do ânus;
  • Hemorroida externa: Provoca dor no ânus ao evacuar e ao sentar. São visíveis e palpáveis;
  • Fissura anal: Provoca dor para evacuar, com presença de sangue vivo nas fezes ou perceptível na limpeza com papel higiênico. A fissura aguda provoca ardência no ânus durante a evacuação;
  • Proctalgia Fugaz: Doença funcional benigna do reto/ânus de causa desconhecida, cujo principal sintoma é uma dor no ânus/reto que pode ser bastante intensa, mas fugaz (rápida), sem relação com as evacuações, que dura geralmente alguns minutos. A dor pode surgir em qualquer momento do dia e, quando à noite, pode acordar o paciente durante a madrugada, caracterizando-se como câimbra, espasmo anal;
  • Abscesso: dor latejante ou contínua acompanhada de inflamação na região em torno do ânus e de sintomas gerais como febre, perda de apetite, fraqueza;
  • Câncer retal: Além de dor no ânus/reto, provoca também sintomas como não conseguir evacuar ou ficar com a sensação da evacuação ter sido incompleta, sangue nas fezes, diarreia e prisão de ventre alternadas, cólica, emagrecimento sem causa aparente, entre outros.

A dor no ânus pode ter tratamentos diferentes a depender da causa. Em caso de dor de ânus, a pessoa pode procurar o médico proctologista, clínico/a geral ou médico/a de família.

Para saber mais sobre dor e ardor anal, você pode ler:

Ardência durante e após evacuar, o que fazer?

Sinto uma ardência anal, principalmente quando sento. O que pode ser?

O que é proctalgia fugaz?

Referência

SBCP. Sociedade Brasileira de Coloproctologia.

Quais os sintomas de inflamação no útero?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os principais sinais e sintomas de inflamação no útero são:

  • Corrimento vaginal (leucorreia), secreção que pode vir com mal cheiro e com coloração amarelada;
  • Dor abdominal / dor pélvica (região inferior da barriga);
  • Dor para urinar (disúria), dor e ardência ao urinar, por vezes de forte intensidade;
  • Dor durante as relações sexuais (dispareunia);
  • Sangramento, após a relação sexual ou espontânea, fora do período menstrual.

Os sintomas de inflamação no útero ocorrem principalmente durante a relação sexual e variam bastante de acordo com a localização da inflamação, que pode ocorrer no colo do útero (cervicite) ou na região interna do útero (endometrite).

Cervicite

A inflamação mais comum no útero é aquela que ocorre no colo do útero (cérvix ou cérvice), que é a região mais estreita do útero localizada no fundo da vagina e por onde o sangue menstrual é eliminado. A inflamação do colo do útero não interfere, na gestação, desde que seja tratada adequadamente.

Entretanto, a cervicite muitas vezes não apresenta sintomas, o que pode levar à progressão dessa infecção e inflamação para regiões próximas como os ovários, as trompas e a região interna do útero (endometrite), causando a Doença Inflamatória Pélvica (DIP).

A DIP é uma situação mais grave e pode apresentar além dos sintomas típicos, um quadro de febre, náuseas e vômitos.

Quais as causas da cervicite?

A principal causa dessa inflamação no útero são as infecções causadas por fungos, vírus ou bactérias, o que inclui as infecções sexualmente transmissíveis (IST), como gonorreia, clamídia, herpes, tricomoníase, entre outras.

A cervicite também pode ser causada pelo uso de anticoncepcionais hormonais e por traumatismos no colo do útero.

Quais os sintomas da cervicite?

Os sintomas da cervicite incluem dor abdominal, dor na coluna lombar, dor na região da pelve, dores nas relações sexuais, sangramento vaginal, corrimento e odor desagradável na vagina.

Qual é o tratamento para cervicite?

O tratamento da cervicite depende dos sintomas apresentados pela paciente e dos resultados dos exames solicitados. Em geral, é realizado com medicamentos antibióticos orais e tópicos. Nos casos mais graves, a medicação precisa ser administrada pela via endovenosa, em hospital, embora sejam casos raros.

Recomenda-se que a mulher não tenha relações sexuais até o fim do tratamento e desaparecimento completo dos sintomas, o que leva cerca de uma semana.

Endometrite

Endometrite é uma inflamação do endométrio, que é a camada mais interna do útero. Sem tratamento, essa inflamação no útero pode provocar sérios danos no aparelho reprodutor da mulher, podendo causar inclusive infertilidade.

Quais as causas da endometrite?

A principal causa de endometrite são as infecções causadas por bactérias, nomeadamente infecções sexualmente transmissíveis (IST's) como gonorreia, clamídia e sífilis.

A endometrite ocorre com mais frequência depois do parto, abortos e após exames que podem provocar infecção do útero com bactérias, como histeroscopia, colocação de DIU, curetagem, entre outros.

Quais os sintomas da endometrite?

Os sintomas da endometrite incluem febre, dor acima do púbis, mal-estar, cólicas menstruais, corrimento e sangramento vaginal.

Qual é o tratamento para endometrite?

O tratamento dessa inflamação no útero é realizado com medicamentos antibióticos. É fundamental seguir o tratamento até o fim para prevenir recaídas e complicações.

O exame Papanicolau (preventivo) é utilizado para diagnosticar as inflamações do colo do útero e o(a) médico(a) de família ou ginecologista são especialistas indicados para o tratamento dessas inflamações do útero.

Saiba mais sobre esse assunto nos artigos:

Qual o tratamento para a inflamação do útero?

Inflamação no útero pode atrasar a menstruação?

Dor no útero: 7 causas mais comuns e o que fazer

FEBRASGO. Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia.

Gama-GT alterado
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Existem muitas causas para o Gama-GT estar alterado a mais frequente e mais importante é a inflamação (hepatite) no fígado decorrente de uso ou abuso de substâncias químicas, sendo o álcool (abuso de bebidas alcoólicas) o mais importante (qualquer droga ou remédio pode causar).

Quanto mais alto o valor de Gama-GT maior é o grau de inflamação hepática (refere-se a gravidade da lesão, mas não é uma escala linear).

Valores de referência para Gama-GT (pequenas variações dos valores podem ocorrer nos diferentes laboratórios):

  • Homem: 08 a 61 U/L;
  • Mulher: 05 a 36 U/L.

Valores pouco aumentados (baixos) tendem a não ter muito significado (menores que 100), valores mais altos tendem sim a ter uma importância, mas o mais importante é a união do resultado do exame com o quadro clínico e só o medico que solicitou vai conseguir fazer essa correlação.

Gama GT aumentado (alto), como fazer para abaixar?

Para baixar os níveis de Gama GT precisa tratar a causa do aumento.

Veja também: Quais os sintomas do Gama-GT alto?

Existe algum remédio para baixar Gama GT?

Existem remédios e medicamentos que ajudam a reduzir os níveis de Gama GT, mas o mais importante é tratar a causa básica do aumento.

Como baixar o Gama-GT?

Deve-se tratar o problema que causou o aumento do Gama-GT, se foi álcool, parar de tomar, se foi medicamento suspender o uso (com orientação médica, geralmente substituindo a medicação), se foi por causa de alguma doença deve tratar a doença.

Quais remédios diminuem o Gama-GT?

O uso de azatioprina, estrógenos, clofibrato e metronidazol reduzem os níveis sanguíneos de Gama-GT.

Coceira no pênis, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

A coceira no pênis pode ter várias causas, uma delas pode ser a alergia a algum produto como sabonetes e o látex da camisinha (preservativo), ou uma infecção.

As infecções também podem causar coceira, como a candidíase, que é uma infecção causada por um fungo (Candida albicans) e que pode ser transmitida pela relação sexual. Às vezes só se manifesta em um dos parceiros e pode causar além da coceira, irritação e vermelhidão no local. Nas mulheres é comum o aparecimento de secreção vaginal. Ambos os parceiros devem ser tratados. 

Outras infecções como a herpes genital e a tricomoníase podem causar coceira no pênis que, geralmente, aparece acompanhada de outros sintomas como bolhas no pênis (herpes), ardência e dificuldade para urinar (tricomoníase).

Leia também: Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

É necessário a realização de um exame clínico e/ou laboratorial para o diagnóstico adequado da causa da coceira no pênis. O urologista ou o dermatologista são os profissionais indicados para realizar o diagnóstico e orientar o tratamento. 

Também pode lhe interessar: 

Dor no pênis. O que pode ser?

Tenho feridas no pênis. O que pode ser e o que fazer?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

Sai do umbigo uma secreção com mau cheiro, o que pode ser?
Dr. Ivan Ferreira
Dr. Ivan Ferreira
Médico

Sair uma secreção com mau cheiro do umbigo pode ter várias causas, desde uma inflamação local, uma infecção (foliculite), uma reação a um corpo estranho (piercing), até a persistência do úraco, que é uma estrutura embrionária em forma de tubo que liga o umbigo à bexiga.

Durante a formação do nosso corpo, ainda dentro do útero materno, várias estruturas se formam e se modificam até o desenvolvimento estar completo. Após o nascimento, o úraco se fecha e forma um ligamento entre o umbigo e a bexiga. Quando isso não ocorre, forma-se uma espécie de canal entre abexiga e o umbigo. Durante o crescimento, podem se formar secreções dentro dele que são eliminadas pela cicatriz umbilical, principalmente quando ocorrem infecções locais.

Outra problema raro que pode estar presente no umbigo é um foco de endometriose, que é o desenvolvimento das células do endométrio (camada interna do útero) fora da cavidade uterina.

Como as causas e os tratamentos podem ser muito variados, deve-se sempre consultar um médico nessas situações. O clínico geral é o profissional indicado para tratar ou realizar o encaminhamento a outros especialistas.

Leia também:

Dor no umbigo: o que pode ser?

Umbigo inflamado: o que pode ser?

Dor e sangramento no umbigo: o que pode ser e o que fazer?

Hérnia umbilical: sintomas, complicações e perigos

Dormência no rosto, o que pode ser?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Dormência no rosto pode ter várias causas.

Muitas vezes a causa da dormência do rosto não é grave. Por exemplo, dormir em uma posição muito desconfortável (exercendo pressão sobre os nervos faciais) pode levar à dormência, mas o sintoma é temporário.

Se a dormência for persistente ou vier associada a outras alterações, deverá ser procurado um pronto atendimento para melhor avaliação.

Veja as principais possíveis causas da dormência no rosto abaixo.

Compressão de nervo

Pode ser consequência de hérnia de disco. Esta situação produz dormência facial parcial, assim como uma sensação de formigamento. É uma condição reversível, se corrigida a hérnia discal. O tratamento deverá ser realizado sob orientação do neurocirurgião ou do neurologista.

Paralisia de Bell

Paralisia e dormência (mas apenas temporárias) rosto são as consequências desta condição. Acontece devido a uma inflamação do nervo facial, que pode ser causada pelo vírus da herpes e da catapora, por exemplo. Usualmente, há recuperação do déficit, mas pode ser prolongada. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Esclerose múltipla

É uma doença auto-imune na qual há ataque à bainha de mielina, o revestimento de proteção em volta dos nervos. Eventualmente, isto resulta em um dano grave para o nervo. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Infecção provocada pelo vírus varicela-zóster

O vírus varicela-zóster pode levar à erupção de pequenas bolhas, coceira, dor de cabeça, calafrios, febre e fadiga. Quando as erupções estouram na região da face, podem surgir sintomas como sensações de queimação, formigamento e dormência facial.

Acidente vascular cerebral

Acontece quando um dos vasos sanguíneos se rompe, ou se um coágulo obstrui o fluxo de sangue, causando diminuição do suprimento de oxigênio para o cérebro. A falta de oxigênio para o cérebro pode levar à dormência, que estará presente em apenas uma das metades do rosto. No entanto, ao contrário da paralisia de Bell, uma pessoa que apresente dormência no rosto por causa do acidente vascular cerebral, é capaz de fechar um olho ou franzir a testa. Ataques isquêmicos transitórios também podem ser uma das causas da dormência no rosto. Na presença desta alteração, associada à fraqueza do braço e perna de um lado do corpo, dor de cabeça, alteração da fala, perda de consciência, falta de resposta, deverá ser procurado um pronto atendimento imediatamente. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Enxaqueca

Em algumas pessoas uma enxaqueca pode levar a dormência perioral, isto é, uma dormência ao redor da boca.

Neuralgia do trigêmeo

Não são conhecidas as causas exatas desta doença. Trata-se de uma desordem nervosa que afeta o nervo trigêmeo, levando a dormência, formigamento e inclusivamente dor no rosto. Em alguns casos, a dor é grave e pode ser mesmo insuportável. O tratamento deve ser feito sob orientação de um neurologista.

Outras possíveis causas
  • depressão, ataque de pânico, estresse;
  • deficiência de vitamina B12, potássio, cálcio ou sódio;
  • doenças auto-imunes, tais como a doença de Sjogren, esclerose sistêmica e lúpus eritematoso sistêmico (LES);
  • tumores da bainha do nervo.

Também pode lhe interessar:

Quais são as causas da vermelhidão no rosto?

Sinto dormência nos pés, o que pode ser?

Dormência na boca: o que pode ser?

Referência

Academia Brasileira de Neurologia

Estou com caroços dentro da vagina, em um dos lados. O que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Caroço dentro da vagina ou nos grandes lábios pode ter como causa bartolinite, foliculite, hematoma, linfogranuloma venéreo, cisto sebáceo e outro tipos de cistos, lipoma, entre outras causas.

Com as características apresentadas (caroço pequeno, vermelho, com ponta branca e que não possui pus), pode tratar-se de uma inflamação no pelo da região, situação conhecida como foliculite.

O que é foliculite?

A foliculite é uma inflamação na raiz do pelo, causada por fungos, vírus ou bactérias. Porém, há casos em que não há uma infecção propriamente dita, mas uma inflamação, em que o próprio pelo provoca a resposta inflamatória.

A profundidade da foliculite pode variar. Costuma ser superficial, provocando apenas lesões pequenas na pele. Porém, há casos em que a foliculite é profunda. Nesse caso, o problema é mais grave, pois afeta camadas mais profundas da pele, normalmente com formação de furúnculos.

Quais são os sintomas da foliculite?

Os sinais e sintomas da foliculite incluem manchas pequenas ou pequenos caroços na pele, nesse caso, na vagina. O pus pode ou não estar presente. Pode haver ainda formação de crostas, dor, coceira e desconforto.

O que fazer em caso de caroço na vagina?

Nesse caso, se for uma foliculite, não é indicado apertar, espremer ou estourar. Deve-se fazer a higiene local no momento do banho com água e sabão, sem a necessidade de usar nenhum outro produto de limpeza específico.

Caso a inflamação infeccione e transforme em abscesso com dor local, presença de pus, vermelhidão e inchaço, é necessária a drenagem para que o pus saia e alivie a dor, juntamente com uso de antibiótico.

Veja também: Existe algum tratamento para foliculite?

Se o caroço não regredir em alguns dias e vir acompanhado desses sintomas, a mulher deve procurar o/a ginecologista, clínico/a geral ou médico/a de família para o diagnóstico e tratamento adequado.

Também pode lhe interessar:

Estou com caroço nos grandes lábios da vagina, o que pode ser e qual o tratamento?

Caroço na cabeça: o que pode ser?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Caroço (nódulo) na cabeça, mais especificamente no couro cabeludo, pode ser sinal de dermatite seborreica, cisto sebáceo ou hematomas. 

A dermatite seborreica é uma das principais causas de caroços doloridos na cabeça. Trata-se de uma doença de pele que afeta sobretudo o couro cabeludo em qualquer idade, inclusive recém-nascidos/as.

Alguns sinais e sintomas de dermatite seborreica:

  • Presença de pedaços de crosta grossa que formam o nódulo;
  • Dor ao tocar o caroço na cabeça;
  • Área circundante ao caroço coça, é macia e dolorosa ao toque;
  • Pode ou não haver presença de caspa que sai em pedaços no couro cabeludo.

O tratamento da dermatite seborreica é variado e pode incluir:

  • Lavagens mais frequentes da cabeça;
  • Evitar o uso de pomadas, sprays e géis para o cabelo, bem como chapéus ou bonés;
  • Uso de shampoos com ácido salicílico, alcatrão, selênio, enxofre, zinco e antifúngicos;
  • Aplicação de cremes/pomadas que contenham antifúngicos, corticosteroide.

Outra causa comum de caroço na cabeça é o cisto sebáceo, que ocorre quando o folículo piloso fica obstruído com sujeira, poeira, oleosidade natural da pele ou restos celulares.

O cisto sebáceo fica então inchado, formando um nódulo ou "caroço" cheio de pus e que muitas vezes provoca mau cheiro. Neste caso, a pessoa pode sentir dor ao lavar ou pentear o cabelo.

O tratamento mais indicado para cisto sebáceo é a remoção cirúrgica completa do mesmo e da sua cápsula. 

Os hematomas na cabeça são também percebidos como caroço. Eles são causados após a colisão da cabeça com algum objeto, parede, chão ou a cabeça de outra pessoa. Essa situação é transitória e o caroço fica presente até ocorrer a completa absorção pela pele local.

A presença de caroço na cabeça, seja no couro cabeludo, atrás da orelha ou em qualquer outra região da cabeça ou do corpo, deve ser avaliada pelo/a médico/a dermatologista, médico/a de família ou clínico/a geral.

Também pode lhe interessar: Caroço na nuca: o que pode ser?

Dor nas costas do lado esquerdo, o que pode ser?
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Dra. Rafaella Eliria Abbott Ericksson
Clínica médica e Neurologia

A maior parte dos casos de dor nas costas, seja do lado esquerdo ou direito, é de origem muscular, normalmente causada por algum mau jeito, excesso de peso carregado ou postura ruim. A dor costuma ser mais frequente na região lombar (parte inferior das costas).

Algumas dores nas costas, entretanto, podem ser sintomas de problemas de coluna, problemas no pulmão, cálculo renal, herpes zoster, ou certos tipos de câncer, embora seja muito mais raro.

As alterações posturais da gravidez e o próprio envelhecimento natural da coluna também podem provocar dor nas costas.

Outras causas comuns de dor nas costas são:

  • Excesso de peso,
  • Traumatismos,
  • Estresse, ansiedade, depressão,
  • Trauma, fraturas,
  • Artrite, artrose, entre outras.

A dor nas costas pode ter início súbito, depois de um esforço por exemplo, ou ser crônica. Um caso comum de dor crônica é o desgaste da coluna devido a idade e sedentarismo.

E um caso comum de dor aguda é a hérnia de disco, quando acontece a compressão de uma raiz nervosa, desencadeando a dor irradiada para o glúteo ou membros inferiores.

Dor nas costas por um problema muscular

A dor muscular é localizada, piora com a movimentação, é do tipo aperto ou "dolorimento" e na maioria das vezes tem uma história prévia de pancada, esforço físico ou treino esportivo intensificado.

Dor nas costas por problemas pulmonares

A dor nas costas relacionada a problemas pulmonares costuma vir associada a outros sintomas como: tosse, seca ou com catarro, dor que piroa com a respiração profunda ou quando tosse, febre e mal-estar.

Dor na lombar pode ser cólica renal?

Sim. A dor lombar, no lado direito ou esquerdo, pode ser um sintoma de cólica renal, chamada também de cólica renal.

A dor devido uma cólica renal é intensa e contínua, não melhora com o repouso, com analgésicos simples, nem com alguma posição específica. Ela se mantém e se localiza na região do dorso, de um lado, podendo ser irradiada para a virilha ou abdômen.

Dor nas costas de origem nervosa

A dor de origem nervosa, por compressa de uma raiz como na hérnia de disco, problemas crônicos de coluna e artroses, por exemplo, desencadeia uma dor intensa, mas não contínua, descrita como "choques" ou fisgadas, que seguem o trajeto do nervo que está sendo comprimido.

Como a coluna lombar costuma ser a localização mais comum, a dor frequentemente se inicia na região lombar e segue para o glúteo, coxa, face lateral da perna podendo alcançar o pé, do mesmo lado.

No caso de herpes zoster, doença causada pelo mesmo vírus da catapora, o vírus é reativado e agride um trajeto do nervo, mais comum na região do dorso, causando uma dor intensa em queimação, vermelhidão, bolhas e sensibilidade aumentada na região.

Qual o tratamento para dor nas costas, do lado esquerdo?

O tratamento deve ser direcionado para a causa da dor.

Na dor nas costas por problemas musculares, o tratamento não medicamentoso com yoga, osteopatia e meditação, por exemplo, muitas vezes resolve por completo os sintomas, reduzindo a necessidade de medicamentos. Além disso, promove fortalecimento muscular e oriento quanto a reeducação postural e medidas para controle de ansiedade, diminuindo os episódios de crises de dor.

No entanto, quando não for suficiente, o médico deve incluir medicamento relaxante muscular e antiinflamatórios, se não houver contraindicação ou alergia a composição destes.

Os problemas pulmonares devem ser avaliados e tratados pelo pneumologista. Nos casos de pneumonia, é preciso iniciar antibioticoterapia o mais precoce possível para evitar complicações, como a infecção generalizada. Nos problemas de pleura (película que recobre os pulmões), pode ser preciso intervenção cirúgica.

Já nos casos de dor nas costas por problemas renais, o tratamento é mais específico. Para infecção de via urinária, é preciso iniciar antibióticos. Nos casos de cálculo renal, pode ser preciso intervenção cirúrgica e retirada do cálculo além das medicações para alívio da dor. Cabe ao médico urologista avaliar caso a caso.

Na dor nas costas por problemas neurológicos, de compressão de nervo, também é indicado inicialmente: repouso, relaxante muscular e fisioterapia. Se não for suficiente ou se o disco vertebral romper, pode ser preciso cirurgia de urgência para evitar a perda de força irreversível, naquele membro.

No herpes zoster, o tratamento é feito com uso de antiviral e analgésicos potentes, pela intensidade da dor.

Quando devo me preocupar?

Quando a dor nas costas estiver associada a sintomas como os relacionados abaixo, é preciso procurar um atendimento médico com urgência. Os sinais e sintomas são:

  • Febre
  • Tosse com catarro
  • Dificuldade de respirar
  • Urina com sangue ou com ardência
  • Emagrecimento sem motivo aparente

Para maiores esclarecimentos e avaliação criteriosa, procure um médico de família ou clínico geral.

Leia também: