Perguntar
Fechar

Sintomas

Quais os Sintomas para Suspeitar de Diabetes?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dentro da medicina a diabete é a doença endócrina mais comum e um fator que vem preocupando muito os médicos é que o número de casos é cada vez maior, principalmente do diabete tipo 2 (não insulino-dependente) que está muito associado com a ocorrência da obesidade que vem crescendo muito, a ponto de torna-se um problema de saúde pública. Existem, também, o diabete tipo 1 (insulino-dependente) e o gestacional. Abaixo dou destaque as principais alterações no corpo humano que devem ser valorizadas numa suspeita de diabetes.

Os principais sinais e sintomas que devem levar à suspeita de diabetes são:

  • Aumento da sede;
  • Aumento da urina;

Estes dois sintomas isoladamente chamam muito a atenção para a diabetes e são altamente suspeitos. A pessoa começa a ter uma sede frequente, bebe várias vezes e a sede parece nunca terminar, em contra partida começa a urinar muito e urinar muitas vezes seguidas, geralmente a urina é bem clara, como se fosse apenas água.

  • Aumento da fome;
  • Perda de peso;

Leia também: Como reduzir o nível de açúcar no sangue?

Esses dois sintomas, também nos levam a pensar muito em diabetes e se forem associados aos dois primeiros a suspeita é muito grande. A pessoa começa a ter uma fome insaciável, come repetidamente e a fome não passa e mesmo comendo mais que o normal apresenta uma perda de peso ou emagrecimento contínuos. Os sintomas seguintes são gerais e inespecíficos, porém são muito comuns na diabete e devem ser devidamente valorizados:

  • Fraqueza;
  • Cansaço;
  • Sonolência;
  • Desânimo;
  • Tontura.

Leia também: Diabetes tem cura?

O que é Labirintite e quais seus sintomas?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

Labirintite é como as pessoas popularmente chamam qualquer doença que afete o labirinto, que é o órgão do corpo humano responsável pelo equilíbrio. Os principais sintomas são a perda do equilíbrio, sensação de vertigem ou tontura e, por consequência, náusea, dor de cabeça, dificuldade em fixar a visão, dificuldade em caminhar em linha reta e de ficar em pé entre outros.

O labirinto é uma estrutura óssea muito pequena que se localiza dentro do ouvido. Ele possui um líquido em seu interior e, a partir do movimento desse líquido, ele consegue transmitir ao cérebro informações como posição do corpo e direção e velocidade do movimento.

É assim que conseguimos sentir, por exemplo, quando estamos deitados ou de ponta-cabeça, e para que lado nosso corpo está girando.

Na presença de qualquer problema que afete esse mecanismo, podemos ter a sensação de estarmos caindo, ou de que a cabeça está girando, que é a vertigem.

Existem várias causas possíveis, desde o simples envelhecimento do órgão em função da idade avançada ou a presença de pequenos cristais que se formam dentro do labirinto, até infecções, inflamações, traumas (pancadas) e outras origens.

Veja também: Sinto vertigem frequentemente, o que pode ser?

O tratamento vai depender da casa e da gravidade dos sintomas, e podem incluir manobras de reposicionamento, que são certos movimentos feitos com intenção de remover esses cristais; medicações anti-inflamatórias ou que melhorem a circulação sanguínea e outras.

O paciente que possui esse tipo de sintoma deve procurar um médico clínico geral, geriatra, otorrinolaringologista ou neurologista.

Portador do vírus hiv pode não apresentar sintomas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Sim. A pessoa portadora do vírus HIV pode não apresentar sintomas

Entre 10 a 60% das pessoas que portam o vírus HIV no sangue podem não apresentar nenhum sintoma da doença. 

HIV é o vírus que afeta o sistema imune das pessoas podendo causar a AIDS, Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Nem toda pessoa que tem o vírus HIV irá desenvolver a AIDS. Isso pode ser manejado com o controle e acompanhamento do tratamento. 

A infecção inicial ou aguda pode iniciar entre 2 e 4 semanas após o contato com o vírus e é caracterizada por sintomas comuns a outras síndromes virais, podendo passar despercebida.

Portanto, é possível uma pessoa ser portadora do vírus por vários anos sem apresentar nenhuma reação. Esse período em que a pessoa ficará sem sintomas irá depender de cada organismo e da competência de cada sistema imune em combater a infecção, por isso ele é muito variável.

Também pode lhe interessar: Existem doenças com sintomas parecidos com HIV?

O teste de detecção do HIV é simples e oferecido gratuitamente no Sistema Único de Saúde (SUS). A pessoa que apresenta o teste positivo, deve ser acompanhada pela equipe de infectologia em ambulatório especializado com o devido monitoramento dos sintomas e realização de exames complementares com frequência. 

Leia também: 

Como pode ocorrer a transmissão do HIV?

Quais os sintomas do HIV?

Como é feito o diagnóstico do HIV?

Fiz BHCG e foi negativo mas continuo com vários sintomas?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

O exame BHCG geralmente dá positivo em poucos dias (1 semana) após a mulher ter engravidado, se o seu atraso menstrual continuar (acredito que está atrasado) repita o exame dentro de uns dez dias, se der negativo novamente e você continuar com os sintomas, deve procurar um Ginecologista para saber o que está acontecendo e talvez até fazer um ultrassom transvaginal (não mostra nada nas primeiras 5 semanas de gravidez)

O que é um fibroadenoma mamário e quais os sintomas?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

O fibroadenoma é o tumor benigno mais frequente da mama, que surge nas mulheres jovens (com menos de 30 anos) e pode ser notado mais facilmente durante a menstruação. Apresenta como sintomas um ou mais caroços na mama com as seguintes características:

  • móvel;
  • indolor;
  • tamanho de 2 a 3 cm;
  • firme;
  • com bordas bem definidas.

Uma vez que o fibroadenoma reage às alterações hormonais da mulher, ele pode aumentar de tamanho e ficar dolorido perto da menstruação. O fibradenoma é mais comum em mulheres negras, e costuma recorrer mais nas pacientes negras do que nas brancas.

O diagnóstico de certeza de fibradenoma é feito pela biópsia do nódulo e pelo exame anátomo-patológico. O nódulo pode ser biopsiado por diversos métodos, como a core biópsia, a mamotomia e a biópsia cirúrgica. A biópsia cirúrgica do fibroadenoma tem como vantagem adicional o tratamento definitivo do nódulo, ou seja, sua remoção completa.

Na mamografia, o fibroadenoma aparece como uma massa redonda, oval ou lobulada, com margens bem definidas. Eles podem ser únicos ou múltiplos e desenvolvem calcificações bastante características nas mulheres mais idosas.

Leia também: Calcificação na mama é perigoso? O que pode ser?

Na ultrassonografia, o fibroadenoma é ovalado, com a largura maior do que a altura – o que é comumente referido como orientação paralela à pele – margens circunscritas e ecos fracos em seu interior – ou hipoecóico. Ele se diferencia do carcinoma de mama ao ultrassom por essas características. Além disso, o carcinoma tem margens mal-definidas, formato irregular e ecos heterogêneos em seu interior.

Saiba mais em: O que é um nódulo hipoecóico e hipoecogênico?

Se você palpar um caroço na mama, durante o auto-exame, com as características listadas acima, consulte um mastologista, que irá orientá-la sobre como confirmar o diagnóstico e como será feito o tratamento.

Como saber se tenho depressão? Quais os Sintomas?
Dr. Gabriel Soledade
Dr. Gabriel Soledade
Médico

O diagnóstico de depressão nervosa, também conhecida como transtorno depressivo maior ou perturbação depressiva major, é feito a partir de alguns critérios.

É diferente do "humor triste" ou da reação de luto, que todo ser humano vivencia regularmente, e são situações normais e fundamentais para a vida.

Na depressão doença, os sintomas têm uma duração prolongada (no mínimo duas semanas), e são de intensidade tal que prejudicam a pessoa nas suas tarefas do dia-a-dia.

O diagnóstico é feito pela presença de pelo menos cinco dos seguinte sintomas: desânimo ou irritabilidade na maior parte do dia, falta de prazer nas atividades diárias, perda de apetite com diminuição do peso, insônia ou sono excessivo, agitação ou preguiça excessiva, fadiga constante, sentimento constante de culpa, dificuldade de concentração, ideias frequentes de suicídio, preocupação excessiva com os pequenos problemas do dia-a-dia, dificuldade no exercício das atividades básicas diárias tais como tomar banho, ver televisão ou ler, desejo de autoagressão ou automutilação.

Leia também: Diferenças entre Esquizofrenia e Depressão

Nesse caso, pode ser necessário um tratamento psicoterápico e/ou medicamentoso. O diagnóstico exato e o acompanhamento devem ser realizados por um médico psiquiatra.

Também pode lhe interessar o artigo: As 4 Formas para Combater a Depressão

Tenho 46 anos e com alguns sintomas, posso estar grávida?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Enquanto houver ovulação sempre existe o risco de engravidar, mas se está tomando o anticoncepcional bem certinho não precisa ter medo que não vai engravidar.

O que é doença de Paget? Quais os sintomas?

A doença de Paget mamária é um tipo raro de câncer de mama que acomete a região da aréola e do mamilo. Já a doença de Paget óssea não tem nenhuma relação com câncer. Acomete principalmente idosos e provoca uma remodelação desordenada em um ou mais ossos.

Doença de Paget Mamária

A doença de Paget mamária é mais comum em mulheres entre 60 e 70 anos de idade, podendo inclusive surgir em homens. Os seus principais sintomas são:

  • Coceira e vermelhidão na aréola ou mamilo;
  • Pele espessa e áspera;
  • Ardência;
  • Bolhas com líquido;
  • Sangramento nos mamilos;
  • Presença de nódulos.

No início, a doença pode ser confundida com uma alergia, pois começa com uma vermelhidão e descamação que geralmente provocam ardência ou coceira.

A seguir surgem feridas, que podem eliminar secreção e provocar dor intensa. Pode haver sangramento dos mamilos e em cerca de metade dos casos existe um nódulo palpável na mama.

Também podem lhe interessar:

Dor nos bicos dos seios. O que pode ser?

Dor e coceira nos seios, o que pode ser?

O tratamento da doença de Paget mamária depende sobretudo do diagnóstico precoce e da extensão do tumor, sendo a cirurgia a forma de tratamento mais utilizada.

Doença de Paget Óssea

A doença de Paget é uma enfermidade óssea relativamente comum, ficando atrás apenas da osteoporose. A doença causa alargamento e espessamento ósseo, deixando o osso esponjoso e com tendência à curvatura, o que o torna mais quebradiço e aumenta o risco de fratura.

A doença óssea de Paget não tem uma causa bem definida, mas sabe-se que o processo começa com o aumento da atividade das células responsáveis pela reabsorção óssea.

Para compensar essa perda de massa óssea, aumenta-se a formação de osso novo, causando desordem na área comprometida, o que dá origem a um osso maior, menos compacto, com muitos vasos sanguíneos e com mais tendência a deformidades e fraturas que um osso normal.

Os principais sintomas da doença óssea de Paget são:

  • Dor nos ossos (sintoma mais comum);
  • Fraturas;
  • Deformidades ósseas;
  • Artrites.

Veja aqui outras causas de dores ósseas.

O tratamento inclui medicamentos e cirurgia, embora nenhum deles seja totalmente eficaz contra a doença.

O principal objetivo é diminuir as dores, restabelecer o metabolismo normal dos ossos, prevenir as deformidades e as complicações ósseas, como artrites, fraturas e compressão dos nervos.

A doença de Paget mamária deve ser diagnosticada por um médico mastologista, enquanto que a doença óssea de Paget é da responsabilidade do médico ortopedista.

Quais os sintomas do H. pylori?

O H. pylori não causa sintomas na grande maioria das pessoas infectadas. A presença de sinais e sintomas indica que o H. pylori já provocou alguma doença no estômago, como gastrite, úlcera ou ainda câncer de estômago.

A gastrite pode causar dor e distensão no abdômen, náuseas e vômitos, sensação de queimação no abdômen ou no peito, perda de apetite, sensação de saciedade precoce, mesmo com pequena quantidade de alimento ingerido.

O principal sintoma da úlcera gástrica é uma dor em queimação na "boca do estômago", que começa 2 a 3 horas depois de uma refeição. Quando o estômago está vazio, no meio da noite, a dor aparece e geralmente melhora depois que a pessoa come alguma coisa.

Já os sintomas do câncer gástrico podem incluir vômitos com sangue, sensação de inchaço no estômago após as refeições ou sensação de satisfação precoce durante as refeições, dor abdominal tipo úlcera, azia forte, náuseas e vômitos, perda do apetite, diarreia, emagrecimento, fezes escurecidas, pastosas e com odor muito forte, palidez da pele.

O diagnóstico do H. pylori pode ser feito por endoscopia ou métodos não endoscópicos. A endoscopia pode detectar o Helicobacter pylori através do teste da urease ou por pesquisa no tecido do estômago. A bactéria também pode ser cultivada em pequenas amostras obtidas por biópsia.

Leia também: Teste de urease positivo, o que significa?

O H. pylori também pode ser detectado através de métodos menos invasivos, como o teste respiratório e a pesquisa para identificar anticorpos no sangue e nas fezes.

Na presença de um ou mais dos sintomas apresentados, procure um médico clínico geral, médico de família ou um gastroenterologista.

Também podem ser do seu interesse:

H. pylori tem cura? Qual é o tratamento?

Como deve ser a dieta para quem tem H. pylori?

O que é H. pylori?

H. pylori positivo é sinal de câncer de estômago?

Estou tomando o Artemidis 35 pela primeira vez...
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Se os sintomas são do Artemidis então eles continuarão enquanto usar o medicamento, mas eu não acredito que ele tenha feito tudo isso sozinho, pare com o remédio, volte ao ginecologista e comece a tratar seu emocional novamente.

Quais são as causas e os sintomas de triglicerídeos altos?

As principais causas de triglicerídeos altos são a ingestão excessiva de gorduras, o excesso de peso e a falta de atividade física. Se não forem utilizados pelo corpo como fonte de energia, os triglicerídeos se acumulam e os seus níveis ficam elevados, o que aumenta o risco de doenças cardiovasculares.

Os triglicerídeos altos também podem ter causa genética, uma condição chamada hipertrigliceridemia familiar. Vale lembrar que os triglicerídeos são gorduras ingeridas através da alimentação, mas que também são produzidas pelo organismo. Se houver uma produção excessiva, os níveis se elevam.

Contudo, o aumento dos triglicerídeos também pode estar associado a distúrbios metabólicos, uso de medicamentos e outras condições, tais como:

  • Diabetes mellitus;
  • Hipotireoidismo;
  • Abuso de bebidas alcoólicas;
  • Doença renal;
  • Doenças autoimunes;
  • Gravidez;
  • Esteatose hepática ("fígado gordo");
  • Uso de medicamentos, como corticoides, anticoncepcionais hormonais, diuréticos, betabloqueadores (tratamento de doenças cardiovasculares), antirretrovirais, entre outros.

Em geral, os triglicerídeos altos não provocam sintomas. No entanto, quando os valores estão muito elevados (acima de 500 mg/dl), pode causar xantomas (aglomerações de gordura na pele e nos tendões), lipemia retinalis (alteração da cor dos vasos sanguíneos da retina, que ficam com uma coloração que vai do amarelo-alaranjado ao branco), aumento do tamanho do fígado e do baço, pancreatite e dor no estômago.

O valor ideal dos triglicerídeos deve ficar abaixo de 150 mg/dL. Valores entre 200-499 mg/dL são considerados altos e acima de 500 mg/dL são considerados muito altos.

O tratamento para triglicerídeos altos é feito sobretudo através de mudanças na alimentação e no estilo de vida. Em alguns casos pode ser necessário o uso de medicamentos.

Saiba mais em:

Qual o tratamento para triglicerídeos altos?

Triglicerídeos baixos: o que pode ser?

O que são triglicerídeos

Quais os sintomas de câncer no colo do útero?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Os sinais e sintomas do câncer no colo do útero normalmente são observados quando o câncer já está numa fase mais avançada. Entre eles estão:

  • Sangramento vaginal durante ou após as relações sexuais;
  • Sangramentos vaginais após a menopausa;
  • Sangramento excessivo durante a menstruação;
  • Dor durante as relações sexuais;
  • Sensação de peso na região entre o ânus e a vagina (períneo);
  • Corrimento vaginal mucoso, que pode ser avermelhado e ter mau cheiro;
  • Dor pélvica ou abdominal.

Um dos sintomas mais comuns do câncer de colo de útero é o sangramento vaginal logo após a relação sexual.

Porém, no início, o câncer no colo do útero geralmente não apresenta sintomas. O desenvolvimento desse tipo de câncer é lento e os sinais tendem a surgir com a evolução do quadro.

Nos casos mais avançados, os sintomas podem vir acompanhados de alterações urinárias ou intestinais.

É importante lembrar que o principal fator de risco para o câncer no colo do útero é a infecção pelo vírus HPV, que é transmitido sexualmente e pode ser prevenido.

Leia também: HPV tem cura e quando pode levar ao câncer do útero?

Como é feito o diagnóstico do câncer no colo do útero?

O diagnóstico do câncer de colo de útero é feito pelo exame físico e confirmado por uma biópsia. Os exames de ressonância magnética e tomografia computadorizada são importantes para definir o grau de avanço do câncer e detectar possíveis comprometimentos de outros órgãos.

Câncer no colo do útero tem cura? Como é o tratamento?

Sim, câncer no colo do útero tem cura. Se for diagnosticado precocemente, as chances de cura são de aproximadamente 90%. O tratamento depende do grau de avanço da doença.

Se o câncer estiver numa fase inicial, é feita uma cirurgia, que pode ou não ser complementada com radioterapia ou quimioterapia.

Nos casos mais graves de câncer de colo uterino, é feito primeiro o tratamento com quimioterapia e radioterapia, que permite depois a realização da cirurgia.

A associação de radioterapia e quimioterapia permite manter o câncer de colo de útero bem controlado em casos mais avançados.

Se o câncer já tiver alcançado outros órgãos, o tratamento com quimioterapia terá como objetivo tentar conter a doença e melhorar os sintomas.

Quanto mais cedo o câncer no colo do útero for detectado, maiores são as chances de cura. Por isso é muito importante visitar regularmente a/o médico/a de família ou ginecologista e fazer o exame Papanicolau anualmente.

Saiba mais em:

Como é feito o exame preventivo feminino?

Quantas vezes no ano a mulher deve ir ao ginecologista?

Quais são os sintomas do câncer de ovário?