Perguntar
Fechar

Últimas Questões

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

Sim, coceira na cabeça pode ser sinal de inflamações e infecções no couro cabeludo, como foliculite (inflamação no local onde nasce o fio de cabelo), micose, dermatite seborreica (caspa) e dermatite de contato (alergia).

A foliculite é uma infecção bacteriana superficial do folículo capilar, local de saída do pelo. Pode seu causada por atritos, como coçar, usar chapéus ou bonés, uso de pomadas e cremes para outros problemas do couro cabeludo ou ainda devido à falta de higiene.

A micose é uma infecção fúngica que pode ocorrer em várias partes do corpo. A Tinea capitis é a micose que afeta o couro cabeludo e caracteriza-se pelo aparecimento de uma área em que há queda de cabelos, normalmente acompanhada de coceira e descamação.

Veja também: Que tipos de micose existem? 

A dermatite seborreica é um processo inflamatório do couro cabeludo causado pelo aumento da produção das glândulas sebáceas. Os seus principais sinais e sintomas são a descamação (caspa) e a coceira no couro cabeludo.

Saiba mais em: Dermatite seborreica tem cura? Qual o tratamento?

A coceira na cabeça também pode ser causada por produtos irritantes ou alérgenos, como tinturas para o cabelo, que provocam um processo inflamatório na pele. É a chamada dermatite de contato.

Há ainda a pediculose, que é a infestação dos cabelos por piolhos. Os seus principais sintomas são a coceira intensa no couro cabeludo, presença de lêndeas (ovos dos piolhos) e pequenas manchas vermelhas no couro cabeludo decorrentes da picada do inseto.

Veja aqui qual é o melhor tratamento para acabar com piolhos.

Portanto, a coceira na cabeça é um sintoma de que algo não está bem. Nesses casos, o ideal é consultar um médico dermatologista, pois é ele o especialista indicado para diagnosticar e tratar doenças que afetam o couro cabeludo.

Também podem lhe interessar:

Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

Coceira no corpo, o que pode ser e o que fazer?

Coceira nas mãos: o que pode ser e o que fazer?

Aplasia medular é câncer? Tem cura?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Apesar da aplasia medular ser uma doença grave e rara, ela não é câncer.

A aplasia medular tem cura e pode ser tratada com:

  • Uso de medicações imunossupressoras;
  • Transfusão sanguínea;
  • Transplante de medula óssea.

Aplasia medular é uma doença em que a medula óssea apresenta falência na produção das células sanguíneas.

O diagnóstico da aplasia medular é feito a partir da alteração no hemograma constando baixo número das células brancas, vermelhas e plaquetas. Após essa avaliação, poderá ser necessário a comprovação por meio de mielograma e biópsia de medula óssea.

Leia também:

O que é aplasia medular e quais são os sintomas?

Coceira no ouvido: O que pode ser e o que devo fazer?

Coceira no ouvido pode ser um sinal de dermatite seborreica. No couro cabeludo, a dermatite seborreica é a causadora da caspa. No ouvido, ela aumenta a produção de cera e ainda a deixa seca e escamosa, causando coceira intensa. Trata-se de uma doença crônica, com períodos em que os sintomas melhoram ou pioram.

A dermatite seborreica não tem uma causa bem definida, podendo ter origem genética ou ser provocada por alergias, fadiga, estresse emocional, frio, excesso de oleosidade, fungos, entre outras.

Para aliviar a coceira no ouvido, é necessário tratar a dermatite seborreica com medicamentos em gotas específicos para o ouvido. É importante não coçar o ouvido com objetos para evitar ferimentos na pele e lesões no tímpano.

Além dos remédios, alguns cuidados podem ajudar a aliviar os sintomas e facilitar o tratamento medicamentoso, como evitar alimentos gordurosos, evitar banhos em água muito quente, secar bem o ouvido após o banho, além de controlar o estresse e a ansiedade.

A coceira no ouvido também pode ser causada por infecções provocada por fungos, dermatite crônica, excesso de cera e ainda alergias.

Em caso de coceira intensa no ouvido, consulte um médico otorrinolaringologista para que a causa da coceira seja devidamente diagnosticada e tratada.

Saiba mais em:

Estou com coceira na garganta e sinto que ela está irritada. O que pode ser?

Coceira nas mãos: o que pode ser e o que fazer?

O que pode causar coceira nas pernas?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

O que pode causar coceira nas pernas?

Coceira nas pernas pode ser sinal de diversas doenças e condições, como má circulação, pele seca, alergia, picadas de inseto, dermatite, uso de sabonetes antibacterianos ou buchas na hora do banho, entre outras causas.

Se a coceira nas pernas piorar à noite, pode ser sintoma de escabiose, popularmente conhecida como "sarna". Nesses casos, a coceira afeta também outras partes do corpo, principalmente abdômen, parte interna dos braços, áreas genitais e coxas.

Coceira no corpo que piora à noite também pode indicar doenças no fígado, como tumores ou cirrose biliar primária.

Veja também: Coceira que piora durante a noite: o que pode ser?

Quando a coceira nas pernas é causada por má circulação, a pessoa também poderá apresentar inchaço nos tornozelos e pés, presença de varizes, dor nas pernas ao caminhar, sensação de dormência, formigamento ou queimação, alterações na temperatura do membro inferior, presença de feridas e manchas nas pernas.

Saiba mais em: Má circulação nas pernas: como identificar e tratar?

dermatite é outra causa comum de coceira no corpo e caracteriza-se pelo aparecimento de manchas avermelhadas que descamam e coçam. Pode ser causada por produtos de limpeza, higiene pessoal e beleza, substâncias químicas, efeito secundário de algum medicamento, entre outros.

Já a urticária caracteriza-se pelo aparecimento repentino de placas avermelhadas e elevadas na pele que causam coceira intensa. Pode ter diversas causas, sendo que alguns medicamentos estão entre as principais delas.

Leia também: O que é urticária?

Em caso de coceira nas pernas ou em qualquer outra parte do corpo, procure um médico dermatologista ou médico de família para receber um diagnóstico e seguir um tratamento adequado.

Saiba mais em:

Coceira no corpo, o que pode ser e o que fazer?

Coceira no ouvido: O que pode ser e o que devo fazer?

Coceira na cabeça é sinal de doença no couro cabeludo?

O que é aplasia medular e quais são os sintomas?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Aplasia medular é uma doença em que a medula óssea apresenta falência na produção das células sanguíneas.

O diagnóstico da aplasia medular é feito a partir da alteração no hemograma constando baixo número das células brancas, vermelhas e plaquetas. Após essa avaliação, poderá ser necessário a comprovação por meio de mielograma e biópsia de medula óssea.

Os sintomas da aplasia medular podem ser:

  • Palidez cutânea (anemia);
  • Sangramentos;
  • Infecções frequentes;
  • Palpitações;
  • Cansaço;
  • Dificuldade em respirar;
  • Dor de cabeça;
  • Dores musculares.

O tratamento da aplasia medular poderá ser feito com uso de medicações, transfusão sanguínea e transplante de medula óssea.

O que é anquilose?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anquilose é a perda da mobilidade articular em decorrência de uma adesão anormal entre as partes ósseas, articulares ou tecidos moles ao redor da articulação acometida.

Essa articulação sofrerá um processo inflamatório que, em consequência, causará uma rigidez articular e imobilidade característica da anquilose.

A anquilose pode afetar qualquer articulação do corpo. O diagnóstico é feito a partir dos sintomas apresentados pela pessoa associados aos exames complementares como o raio-X.

Quando acomete a articulação têmporomandibular, a pessoa poderá ter problemas para engolir, mastigar e inclusive para falar.

O tratamento da anquilose poderá ser feito de forma conservadora com uso de medicações anti-inflamatória e analgésica com objetivo de aliviar a dor; com abordagem cirúrgica para retirar o tecido anquilosado ou com substituição da articulação por uma prótese.

Tenho a boca seca constantemente. O que pode ser?

A boca seca pode ser um sinal de que o corpo não está produzindo saliva suficiente. Suas principais causas são: uso de medicamentos, pouca ingestão de água, nervosismo ou estresse, envelhecimento e tratamentos com radiação.

A xerostomia, termo médico para "boca seca", pode trazer problemas para a saúde bucal, uma vez que a saliva ajuda a proteger os dentes contra as cáries, previne infecções, atua na digestão dos alimentos e favorece a mastigação e a deglutição.

Além disso, a secura na boca pode causar incômodo para que usa prótese, perda do paladar, mau hálito, ressecamento dos lábios, dificuldade para falar, mastigar e engolir os alimentos, sensação de queimação na língua, garganta seca, gosto metálico na boca e ainda feridas na boca.

O tratamento para a boca seca consiste em identificar a causa e corrigi-la ou afastá-la do paciente. Não sendo possível, como nos casos de tratamentos com radiação ou medicamentos, o tratamento visa apenas amenizar os sintomas.

Dentre as medidas indicada para tratar o problema estão o uso de chicletes ou balas sem açúcar para estimular a salivação, aumentar o consumo de água, uso de saliva artificial e lubrificante de lábios, além de mudanças na alimentação. Para diminuir o risco de cárie, pode ser indicada a aplicação local de flúor.

O dentista é o profissional indicado para diagnosticar e tratar a xerostomia.

Sinto muita dor nas pernas. O que pode ser?

A principal causa de dor nas pernas é a má circulação. Os seus principais sinais e sintomas incluem inchaço nos tornozelos e pés, varizes, dor nas pernas ao caminhar ou em repouso, sensação de dormência, formigamento ou queimação, coceira, alterações na temperatura, presença de feridas e manchas nas pernas.

A má circulação também é a maior responsável pela dor nas penas durante a gravidez. Isso ocorre porque o aumento do útero provoca uma compressão das veias da pelve, o que dificulta o retorno do sangue para o coração. O resultado é a insuficiência venosa, que além de causar dor nas pernas, aumenta o risco de trombose venosa.

A insuficiência venosa dificulta o retorno do sangue, que fica acumulado em pernas e pés. Nesses casos, a dor nas pernas ocorre mais ao final do dia, podendo surgir em repouso. A pessoa sente as pernas cansadas e pesadas, os pés e os tornozelos ficam inchados e geralmente são observadas varizes e varicoses. Também pode haver coceira, sensação de queimação e formigamento, feridas e manchas nas pernas.

A insuficiência venosa afeta principalmente mulheres. O problema está relacionado com a idade, gravidez, posturas (passar muitas horas em pé ou sentada), falta de atividade física, excesso de peso, fatores hormonais e genéticos.

Veja também: É comum ter dores na panturrilha durante a gravidez?

Quando a má circulação afeta as artérias, temos um quadro de insuficiência arterial. A irrigação sanguínea diminui, causando dor nas pernas ao caminhar, diminuição da sensibilidade e da temperatura nas pernas e nos pés, além de feridas que demoram para cicatrizar.

Esse tipo de má circulação afeta sobretudo indivíduos sedentários, fumantes, com pressão alta, diabetes, colesterol alto e história de problemas de circulação na família.

Saiba mais em: Má circulação nas pernas: como identificar e tratar?

Outras causas de dor nas pernas podem incluir cisto de Baker, traumas, lesões esportivas, excesso de esforço físico, compressão de nervo, entre outras.

Se a dor nas pernas não passar ou vier acompanhada de algum dos sintomas mencionados no artigo, procure um médico clínico geral, médico de família ou um cirurgião vascular.

O que é anomalia de Ebstein, quais os sintomas e qual é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Anomalia de Ebstein é uma malformação congênita rara caracterizada por anomalias na valva tricúspide.

Em consequência da insuficiência da valva, o átrio direito fica sobrecarregado e aumenta de tamanho.

Os sintomas mais frequentes são:

  • Falta de ar;
  • Cianose;
  • Palpitações;
  • Cardiomegalia;
  • Síncope;
  • Arritmia.

Em geral, os casos graves dessa anomalia são diagnosticados no período neonatal, fase em que já é indicado o tratamento apropriado.

O tratamento da anomalia de Ebstein será determinado pela idade do/a paciente e pela apresentação clínica incluindo a presença de certos sintomas como a insuficiência cardíaca. Quando detectada no período neonatal, o tratamento é cirúrgico e feito com a correção do distúrbio valvular. Em outras fases da vida, o tratamento poderá ser com uso de certas medicações e caso não haja melhora, também poderá ser indicado o tratamento cirúrgico.

O que é anoftalmia?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A anoftalmia é uma condição oftalmológica rara, caracterizada pela ausência de um ou ambos os olhos.

A causa da anoftalmia ainda não está completamente afirmada, podendo ser congênita, adquirida ou associada a outras síndromes sistêmicas.

Além da malformação anatômica, a doença causa transtornos funcionais e psíquicos graves, podendo apresentar dificuldades de adaptação ao meio social.

A anoftalmia pode ocorrer como um dos acometimentos de uma síndrome sistêmica. As mais frequentemente associadas são:

  • Síndrome de Patau;
  • Síndrome de Edward.

A criança com anoftalmia juntamente com sua família é portadora de direitos tanto no acesso à saúde quanto as questões de assistência social. Essa criança precisará de acompanhamento contínuo e ao longo do seu desenvolvimento garantindo o apoio médico e social necessários.

O que é angioedema? Quais os sintomas e qual é o tratamento?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

Angioedema é uma condição que causa inchaço nos tecidos localizados abaixo da pele. Os locais mais afetados são: face, olhos, orelhas, boca, língua, mãos, pés e genitais.

Associado ao angioedema, é possível aparecer uma erupção cutânea (elevação na pele) que vem acompanhada de coceira.

Outros sintomas podem aparecer como:

  • Náusea e vômito;
  • Dificuldade de respirar;
  • Dor estomacal;
  • Dificuldade para engolir a saliva;
  • Aperto na garganta;
  • Desmaio.

Esses sintomas do angioedema são comuns quando a pessoa está apresentando uma reação alérgica em geral causada pelo uso de certas medicações, picada de insetos, contato com certas plantas, animais, após ou durante a realização de exercício físico, após ingestão de certas comidas.

Nesses casos, é de fundamental importância a pessoa ser levada a um pronto atendimento médico para uma avaliação e tratamento adequados.

O que pode causar dor nas costas?

A maioria dos casos de dor nas costas, seja do lado direito ou esquerdo, tem origem em tensões e contraturas musculares. Má postura, alterações posturais, esforço físico, estresse e outros transtornos emocionais são algumas das possíveis causas. 

Contudo, as dores nas costas também podem ser provocadas por problemas relacionados com a coluna vertebral ou alguma das suas estruturas, como vértebras, nervos, discos intervertebrais, ligamentos e articulações.  

A dor nas costas pode surgir no meio das costas (dorsalgia) ou mais embaixo na altura dos rins, na região da coluna lombar (lombalgia). Em ambos os casos, as principais causas estão relacionadas com a musculatura.

Dor no meio das costas também pode ter origem em traumatismos, envelhecimento, problemas respiratórias, doenças ósseas e articulares da coluna (bico de papagaio, artrite, espondilose, osteomielite) e até tumores. Dependendo da causa, a dor pode piorar ao respirar ou realizar movimentos.

Veja também: Dor nas costas ao respirar, o que pode ser?

Já a dor lombar tem como principais causas as contraturas musculares, hérnias de disco, bicos de papagaio, gravidez, obesidade e alterações posturais.

Veja também: O que é lombalgia?Dor nas costas no final da gravidez é normal?

As características da dor nas costas variam de acordo com a causa. Por exemplo, se a lombalgia for sintoma de uma hérnia de disco, a dor pode irradiar para os membros inferiores e vir acompanhada de sensação de formigamento ou dormência em pernas ou pés.

Saiba mais em: Quais os sintomas de hérnia de disco?

O tratamento para dor nas costas pode incluir anti-inflamatórios, analgésicos, fisioterapia, cuidados gerais com a postura e até cirurgias, dependo da origem da dor.

Em caso de dores nas costas, consulte um médico clínico geral, médico de família ou ortopedista.

Também podem lhe interessar:

É normal ter dores nas costas depois de uma sessão de RPG?

Dor na coluna ao urinar e defecar, o que pode ser?

Esofagite pode dar dor nas costas e provocar sangramento?