Perguntar
Fechar

Últimas Questões

Bolha que parece herpes mas não é, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

O aparecimento de bolhas na região genital que se parecem com herpes pode ter diferentes causas, associadas ou não a infecções sexualmente transmissíveis.

A lesão do herpes é uma bolha que geralmente estoura e forma uma pequena feridinha em forma de úlcera. Podem aparecer múltiplas bolhas na região genital, muito dolorosas.

No entanto, existem outras doenças que podem causar bolhas ou feridas na região genital. As mais comuns são doenças sexualmente transmissíveis, especialmente:

  • Cancro mole: é uma doença que causa feridas (em forma de úlcera) múltiplas ou únicas, muito dolorosas. É comum também o aparecimento de íngua na região da virilha;
  • Sífilis: na fase primária pode causar uma lesão em forma de úlcera única e indolor, que desaparece após alguns dias. Depois podem surgir lesões em forma de manchas disseminadas pela pele;
  • Linfogranuloma venéreo: pode causar inicialmente pequenas bolinhas ou feridas que são indolores e desaparecem após algum tempo. Depois surge uma íngua muito dolorida que pode provocar fístulas, ou seja, orifícios por onde sai secreção.

Uma outra doença que pode causar inflamação e sensação de ardência na região genital, embora não cause bolhas, é a candidíase genital. Nas mulheres pode causar corrimento vaginal esbranquiçado, intensa coceira e sensação de queimação durante as relações e após urinar. Nos homens também pode causar coceira e desconforto intenso na região do pênis.

Para o correto diagnóstico consulte o seu médico de família ou ginecologista para uma avaliação.

Também pode ser do seu interesse:

Posso tomar vacina quando estou gripado?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Não existe problema em tomar vacinas quando se está com sintomas de gripe. Mas é contraindicado tomar qualquer vacina no caso de se ter uma infecção confirmada ou febre. Nesse caso, o recomendado é adiar a vacinação, especialmente porque os sintomas da doença podem ser confundidos com os efeitos adversos da vacina.

Ainda assim, existem algumas condições nas quais a vacinação é contraindicada:

  • Alergias aos componentes da vacina (alguns exemplos são substâncias do ovo, proteínas de galinha, brometo de cetil-trimetil-amônio / CTAB, polissorbato 80, sulfato de bário timerosal, canamicina, sulfato de neomicina ou antibióticos da mesma classe, formaldeído, Triton-X-100 / octoxinol 9);
  • Febre (acima de 38,5 graus);
  • No caso da vacina contra COVID-19, se tem confirmação ou suspeita de estar infectado pela doença;
  • No caso da vacina contra a gripe, se apresentou a síndrome de Guillain Barré em um período de 6 semanas após uma vacinação anterior contra a gripe.

Além dessas, cada vacina tem recomendações específicas. Por isso, fale com o médico se tiver alguma doença conhecida, se estiver tomando algum medicamento ou se já tiver apresentado reação alérgica, principalmente a alguma vacina.

No caso de querer tomar a vacina contra o novo coronavírus e a vacina contra a gripe no mesmo momento, cada uma deverá ser aplicada em partes diferentes do corpo.

Leia também:

Referência:

World Health Organization. Newsroom. Question and Answers. Coronavirus disease (CIVID-19): Vaccines

Bula da vacina contra influenza trivalente (fragmentada e inatvada). Instituto Butantan.

Bula do Vacina Influenza Trivalente (Subunitária, Inativada). Medstar.

Fiz um toque e senti uma bola, o que pode ser?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Sentir uma bola na vagina normalmente se deve ao que é popularmente chamado de “bexiga caída”. O nome médico para o problema é prolapso genital. O que causa isso é a perda de sustentação dos órgãos da parte baixa da barriga, que passam a fazer peso sobre o útero. Isso faz com que o útero e a vagina sejam empurrados para fora, criando a sensação de “bola”.

Outros sintomas que podem estar presentes são:

  • Sensação de peso no pé da barriga;
  • Dor ou perda de sensações durante as relações sexuais;
  • Incontinência e outros sintomas urinários;
  • Dificuldades para defecar.

A obesidade é um fator que contribui para sentir a bola na vagina, assim como fazer esforços (inclusive para quem tem tosse ou intestino preso). Outros fatores também aumentam o risco de ter o prolapso:

  • Ter filhos (quanto mais filhos, maior o risco),
  • Ter dado à luz bebês muito grandes e pesados;
  • Trabalho de parto difícil;
  • Idade (o risco aumenta com o envelhecimento);
  • Histerectomia (retirada cirúrgica do útero);
  • Já ter realizado uma cirurgia para corrigir o prolapso genital.

Reduzir o peso e tratar doenças respiratórias pode fazer com que deixe de sentir a bola na vagina, em alguns casos. Mas é importante procurar um médico para aliviar os sintomas e resolver o problema.

Alguns tratamentos são possíveis — o médico determina o que fazer dependendo da gravidade do caso. Os exercícios são como uma fisioterapia que ajuda principalmente a reduzir os sintomas relacionados ao aparelho urinário. Pode ser indicado o uso local de estrógenos. Os pessários são um tipo de diafragma colocado na vagina, apoiado no colo do útero, para manter o útero no lugar certo. A cirurgia é indicada nos casos mais graves.

Saiba mais sobre o prolapso genital em:

Referências:

Onwude JL, Genital prolapse in women. BMJ Clin Evid. 2012; 2012: 0817.

Thakar R, Stanton S. Management of genital prolapse. BMJ. 2002 May 25; 324(7348): 1258–62.

Incômodo na garganta como se tivesse algo, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Existem diferentes causas para a sensação de ter algo preso na garganta. Algumas pessoas podem sentir um bolo na garganta ou uma sensação de pigarro.

A causa deste desconforto pode estar relacionada a problemas no esôfago, distúrbios de ansiedade ou mesmo crises alérgicas:

Problemas do esôfago

As doenças que afetam o esôfago são causas frequentes de sensação de ter algo preso na garganta. O esôfago é o órgão que leva o alimento da boca ao estômago, por isso, quando não funciona corretamente e está com alguma disfunção pode fazer com que o alimento, ou mesmo o suco gástrico, retorne para a boca, dando a sensação de que existe algo preso na garganta. Essa sensação pode ser mais intensa ao deitar, ou após grandes refeições.

Ansiedade ou estresse

A ansiedade é outra causa frequente da sensação de bolo na garganta. Crises de ansiedade ou estresse podem desencadear sintomas físicos como a sensação de algo preso na garganta, palpitações, sensação de falta de ar, mal-estar, tremores e sudorese.

Crises de alergia

Embora menos frequente, crises de alergias podem causar irritação na garganta, com sensação de coceira ou de “garganta arranhada”. Pessoas que sofrem de doenças alérgicas como rinite alérgica ou asma podem sentir desconforto ou sensação de algo na garganta toda vez que entram em contato com substâncias alérgenas.

Como aliviar a sensação de incômodo na garganta

Para aliviar e evitar o incômodo na garganta algumas medidas podem ser tomadas, como:

  • Beber líquidos: a ingestão de líquidos pode ajudar a umidificar a garganta, aliviando a sensação de garganta seca. Prefira sempre beber líquidos mais quentes ou mornos porque incomodam menos a garganta.
  • Relaxar e descansar: às vezes apenas ficar mais calmo, em um ambiente tranquilo, ou tentar manter-se entretido com algo, como um filme ou a leitura de um livro pode ajudar a esquecer um pouco a sensação de incômodo na garganta. Nas situações em que o incômodo na garganta é causado por estresse ou ansiedade, relaxar é especialmente importante, sendo que exercícios de respiração ou meditação podem ser utilizados para ajudar.
  • Evitar substâncias que podem irritar mais a garganta: em crises de alergias deve-se evitar ao máximo o contato com alérgenos ou irritantes das vias aéreas como fumaça e perfume.
  • Ter cuidados com a alimentação: para casos em que o incômodo na garganta é causado por refluxo gastroesofágico é essencial ter alguns cuidados como não consumir comidas picantes, ácidas ou que contenham cafeína e também reduzir o consumo de álcool e tabaco. Também é importante evitar ingerir excesso de comida e evitar deitar após as refeições.

Também pode ser do seu interesse:

Como aliviar infecção urinária imediatamente?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Não existe uma forma de aliviar a dor imediatamente. No entanto, aumentar a ingestão de água ajuda a reduzir o desconforto causado pela infecção urinária.

Se está com desconforto, dores ou ardência ao urinar e suspeita que esteja com infecção urinária, é importante que procure um médico de família ou um urologista que definirá o tratamento para acabar com o problema.

O medicamento prescrito para aliviar os sintomas mais rapidamente é a fenazopiridina (Pyridium®). Ele pode ser associado ao antibiótico que irá tratar a infecção urinária. Não deve ser partido, aberto ou mastigado e não pode ser usado por quem tem:

  • Problemas renais;
  • Problemas graves de fígado;
  • Deficiência da enzima glicose-6-fosfato-desidrogenase.

Como a dor é um sintoma da infecção, somente acabando com ela a dor irá passar definitivamente. Tomar a fenazopiridina por mais tempo que o indicado pelo médico (mais de 2 dias) pode mascarar e piorar a infecção. Caso os sintomas voltem após parar de tomar o medicamento pelo período prescrito, avise seu médico. É provável que ele precise trocar de antibiótico para que a infecção termine.

Leia também:

Referências:

Pyridium®. Bula do medicamento.

Sociedade Brasileira de Urologia. Portal da Urologia. Sua Saúde. Doenças. Cistite de Repetição

Sociedade Brasileira de Urologia. Portal da Urologia. Sua Saúde.FAQ. Como evitar a infecção urinária recorrente

Posso tomar 2 comprimidos de fluconazol de uma vez?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Não se pode tomar 2 comprimidos de 150 mg de fluconazol ao mesmo tempo. A dose de fluconazol para o tratamento da candidíase é de um comprimido de 150 mg, uma única vez.

Pode acontecer, no entanto, situações em que o médico pode prescrever um tratamento mais prolongado com fluconazol, sendo necessário tomar o comprimido durante mais dias, mas apenas 1 comprimido de cada vez. Geralmente o tratamento mais prolongado é recomendado quando a candidíase é recorrente, ou seja, quando surgem quatro ou mais episódios de candidíase ao ano.

Na candidíase recorrente o médico pode recomendar o seguinte esquema:

  • 1 comprimido de 150 mg: no primeiro dia de tratamento;
  • 1 comprimido de 150 mg: no 4º dia de tratamento;
  • 1 comprimido de 150 mg: no 7º dia de tratamento.

Também pode ser prescrito um comprimido de fluconazol, uma vez por semana, por 6 meses como tratamento de manutenção.

É importante seguir sempre a orientação dada pelo seu médico para o uso do fluconazol, pois pode haver pequenas variações a depender dos sintomas e diagnóstico de cada pessoa. Além disso, o fluconazol é um medicamento antifúngico que se não for usado corretamente pode ocasionar efeitos adversos.

Também pode ser do seu interesse:

Referências bibliográficas:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais. – Brasília : Ministério da Saúde, 2015.

Quantos meses de gestação são 36 semanas?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

36 semanas de gestação correspondem ao final do 8.º mês de gestação. É a partir das 37 semanas que começa o último mês da gravidez, quando o bebê completa 9 meses e está pronto para nascer.

Pode haver um erro no cálculo da idade gestacional nos casos em que o primeiro ultrassom foi realizado após as 22 semanas de gestação. Nesse caso, se o bebê nascer após o trabalho de parto espontâneo (sem ser um parto marcado) na 36.ª semana, ele não é considerado prematuro mesmo que o natural seja o parto acontecer entre as 37 e 40 semanas.

O parto pode ser programado para a 36.ª semana quando há alguma complicação com a gravidez, especialmente no caso de eclâmpsia. A decisão de antecipar o nascimento vai depender da avaliação feita pelo médico em cada caso.

Mesmo nascendo com 36 semanas, o bebê tem grandes chances de sobrevivência. Entretanto, pode precisar de alguns cuidados especiais. Os problemas respiratórios são as complicações mais frequentes e podem ser necessários o uso de medicamentos e a ventilação (oxigenação) até que os pulmões estejam prontos para respirarem sozinhos.

Você também pode se interessar por:

Referências:

Valencia CM, Mol BW, Jacobsson B. FIGO good practice recommendations on modifiable causes of iatrogenic preterm birth. Int J Gynecol Obstet. 2021; 155: 8–12.

Como saber de quem peguei herpes?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

Você só pode pegar herpes de alguém que também tenha o vírus da herpes ativo. Mas não é tão simples identificar a pessoa de quem pegou a doença, especialmente se ela não apresentar lesões visíveis.

Existem dois tipos de vírus que podem causar herpes genital:

  • Vírus HSV-1: que também causa as lesões na boca ou nos olhos;
  • Vírus HSV-2: que é apenas transmissível pelo contato sexual.

Para desenvolver sintomas de herpes genital, uma das possibilidades é que a sua vagina tenha tido contato direto com uma lesão de outra pessoa, ou com secreções da boca ou de órgãos genitais de outra pessoa infectada. Por isso, se teve contato sexual (genital-genital ou oral-genital) recente com uma pessoa com ou sem lesão, é possível que tenha pegado a doença dela.

Outra possibilidade é ter tocado a região da vulva com a mão contaminada com fluidos da boca, dos olhos ou dos órgãos sexuais de outra pessoa que tinha o vírus ativo. Embora seja mais raro, isso pode acontecer em um banheiro público contaminado, por exemplo. Nesse caso, fica muito difícil saber de quem você pegou herpes, pois não teve contato direto com a pessoa.

Você também pode ter se "auto-infectado", pois, se tiver uma lesão ativa de herpes na boca ou nos olhos, tocá-los e depois tocar a região genital, pode passar o vírus para a região genital.

Você pode querer ler também:

Referências:

World Health Organization. Herpes simplex virus. Key facts

UpToDate. Epidemiology, clinical manifestations, and diagnosis of herpes simplex virus type 1 infection

Amígdala inflamada só de um lado, é normal?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

É possível ter apenas uma das amígdalas inflamadas, embora seja algo pouco frequente. A situação mais comum é ter ambas as amígdalas inflamadas, tanto no caso de uma infecção viral, quanto infecção bacteriana.

O que pode acontecer é a inflamação se localizar apenas em uma amígdala no começo e depois, com o tempo, também atingir a outra amígdala.

Também é possível que ambas as amígdalas estejam inflamadas, mas apresentando sinais diferentes. Uma amígdala pode apresentar pus, inchaço ou ainda pode ficar mais avermelhada do que a outra, dando a impressão de que apenas uma das amígdalas está inflamada.

Outra situação que também pode ser normal é que a dor ou incômodo na garganta ocorra em apenas um dos lados da garganta, ou troque de lado com o decorrer dos dias.

Também pode ser do seu interesse:

22 semanas de gestação são quantos meses de gravidez?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

22 semanas de gravidez correspondem ao final do quinto mês e início do sexto mês de gestação.

Pode ser bastante confuso converter semanas de gestação em meses. Isso porque os meses têm, em geral, 4 semanas e 2 ou 3 dias (dependendo do mês).

Mas na realidade, não existe motivo para fazer a conversão de semanas em meses. Os profissionais de saúde se baseiam sempre na semana de gravidez para avaliar se está tudo bem com a gestante e com o bebê. É por isso que a gestação é sempre contada em semanas e não em meses.

A gestante com 22 semanas de gestação deve ter consultas de pré-natal a cada 4 ou 5 semanas. Entre as semanas 16 e 22, o profissional de saúde (enfermeiro ou médico) irá avaliar os seguintes parâmetros:

  • Peso / ganho de peso da gestante;
  • Pressão arterial da gestante;
  • Edema (verificam se há partes do corpo da gestante inchadas, como os pés e rosto);
  • Situação vacinal da gestante (se todas as vacinas estão em dia);
  • Condição nutricional da gestante;
  • Alterações psicológicas da gestante;
  • Batimentos cardíacos do bebê;
  • Movimentos fetais;
  • Resultados dos exames realizados até o momento.

O profissional de saúde normalmente também mede a barriga da gestante para fazer uma avaliação do crescimento do bebê. Além disso, é aconselhável fazer um ultrassom nessa fase para verificar se o desenvolvimento do bebê está adequado.

Leia também:

Referências:

NOTA TÉCNICA PARA ORGANIZAÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE COM FOCO NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E NA ATENÇÃO AMBULATORIAL ESPECIALIZADA — SAÚDE DA MULHER NA GESTAÇÃO, PARTO E PUERPÉRIO. / Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein. São Paulo: Hospital Israelita Albert Einstein: Ministério da Saúde, 2019. p. 27-28.

Chames MC, Bailey JM, Greenberg GM, Harrison RV, Schiller JH, Williams CB. Guidelines for Clinical Care Ambulatory. Prenatal care. Michigan Medicine, University of Michigan. Last review: January 2019. https://www.med.umich.edu/1info/FHP/practiceguides/newpnc/PNC.pdf

Kiserud T, Piaggio G, Carroli G, Widmer M, Carvalho J, Neerup Jensen L, et al. (2017) The World Health Organization Fetal Growth Charts: A Multinational Longitudinal Study of Ultrasound Biometric Measurements and Estimated Fetal Weight. PLoS Med 14(1): e1002220.

Zolpidem serve para tratar a ansiedade?
Dra. Janessa Oliveira
Dra. Janessa Oliveira
Farmacêutica-Bioquímica

O zolpidem não serve para tratar a ansiedade. Ele é indicado para o tratamento de insônia, seja ela ocasional, crônica ou que persiste por um período. Como a insônia pode aumentar o risco de problemas como depressão e ansiedade, o tratamento com zolpidem pode levar à melhora dessas doenças.

No entanto, existem outros medicamentos que têm efeito hipnótico (ou seja, que ajudam a dormir) e que também são ansiolíticos, como os benzodiazepínicos. Exemplos desses medicamentos são:

  • Clonazepam;
  • Bromazepam;
  • Diazepam.

Se notar que continua com muita ansiedade, mesmo resolvendo o problema do sono com o zolpidem, pode conversar com o médico para avaliar a possibilidade de usar um benzodiazepínico. O médico prescreverá por um período curto, pois o uso prolongado (acima de 14 dias) leva a efeitos como atolerância (perda do efeito) ou à dependência do medicamento.

Já o zolpidem pode ser usado por 3 a 12 meses sem serem desenvolvidos os efeitos indesejáveis dos benzodiazepínicos. Por isso, ele é especialmente útil nos casos de insônias que precisam detratamento mais longo (insônias transitórias ou crônicas). É possível que o médico tenha receitado o zolpidem por essas razões.

Leia também:

Referência:

Asnis GM, Thomas M, Margaret A Henderson MA. Pharmacotherapy Treatment Options for Insomnia: A Primer for Clinicians. Int J Mol Sci. 2015 Dec 30;17(1):50.

Dor no tórax ao respirar e movimentar, o que pode ser?
Dra. Janyele Sales
Dra. Janyele Sales
Medicina de Família e Comunidade

Existem diferentes causas para a dor no tórax ao respirar. As causas mais frequentes se relacionam a problemas musculoesqueléticos, como contraturas musculares, dor miofascial, ou artrites, estas doenças geralmente causam dores que pioram com movimentos ou posturas específicas.

É ainda muito comum que pessoas que tenham passado por um esforço físico intenso (e que tenha afetado a musculatura do tórax) possam apresentar dor ao respirar. Isso também pode acontecer quando se tem episódios de tosse constante e repetitiva, devido ao esforço muscular provocado pelo ato de tossir.

Além disso, outras causas que podem provocar dor aos respirar e movimentar são:

Problemas gastrointestinais

Também são motivos frequentes de dor no tórax ao respirar e movimentar. Doenças como a esofagite ou a doença do refluxo esofágico, que causam uma dor em queimação no meio do tórax, que pode piorar após comer ou beber. Embora esta dor seja mais relacionada à ingestão de alimentos, também é possível que piore ao respirar ou ao se movimentar.

Doenças pulmonares

Em terceiro lugar se destacam as doenças do sistema pulmonar. Nesta situação a dor torácica pode vir acompanhada de outros sintomas respiratórios como falta de ar ou tosse. Doenças infecciosas, como a pneumonia, podem causar dor ao respirar e mais raramente ao movimentar, entretanto vem acompanhada frequentemente de outros sintomas como febre, tosse com expectoração purulenta e mal estar.

O tromboembolismo pulmonar é outro problema respiratório que cursa com falta de ar intensa e dor importante ao respirar, podendo também ocorrer dor ao movimentar. É uma condição urgente que precisa ser avaliada imediatamente.

Em qualquer caso, é sempre importante uma avaliação médica, especialmente se a dor for muito intensa, piorar em pouco tempo, se irradiar para o braço ou se for acompanhada de outros sintomas como falta de ar ou febre.

Lembre-se de procurar um médico imediatamente se sentir:

  • Falta de ar
  • Dor de forte intensidade
  • Dor que irradia para o braço esquerdo, ou para o queixo ou para as costas
  • Dor persistente

Também pode lhe interessar: