Perguntar
Fechar

Saúde da Mulher

O que fazer para parar a menstruação?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

O uso de anticoncepcionais hormonais é geralmente a forma mais eficaz de reduzir ou parar a menstruação. As opções disponíveis são:

  • Contraceptivos que contenham estrógeno e progestágeno na fórmula, seja comprimidos, anel vaginal ou adesivo transdérmico;
  • Injeção de Medroxiprogesterona (Depo Provera®);
  • DIU (dispositivo intra uterino) hormonal.

Os anticoncepcionais que contém apenas progestágeno também são capazes de suprimir a menstruação, porém, nos primeiros meses de uso apresentam chance maior de ocorrência de sangramentos não programados e escapes.

Outras medicações que não são contraceptivos hormonais podem parar a menstruação (Danazol, análogos do hormônio de crescimento, antagonistas e moduladores do receptor de progesterona, etc), mas normalmente são indicados quando há alguma patologia associada que está sendo tratada e a ausência de menstruação é um efeito colateral do uso dessa medicação. Esses medicamentos não são usados para finalidade exclusiva de suprimir a menstruação.

A retirada do útero, histerectomia, é outra situação em que a mulher deixa de menstruar. Normalmente, essa cirurgia é indicada na presença de patologia uterina que justifique a remoção do útero.

O uso de anticoncepcionais hormonais apresenta algumas contraindicações e deve ser prescrito pelo/a ginecologista, clínico geral ou médico/a de família. 

Ultrassom Transvaginal
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Dúvidas e perguntas frequentes sobre Ultrassom, Ultrassom Transvaginal e Ecografia:

1 - Posso fazer ultrassom transvaginal sangrando?

Depende. Depende do motivo, depende da clínica que vai realizar o exame, depende do médico que vai realizar o exame...

2 - Posso fazer ultrassom transvaginal grávida?

Sim. Não precisa ter medo, não existe nenhum risco par o bebê e não causa aborto, eventualmente pode causar um pequeno sangramento (raro), porém nada que deve preocupá-la.

3 - Fiz ultrassom transvaginal e não mostrou nada, mas exame de gravidez é positivo?

O ultrassom transvaginal somente começa a mostrar o bebê (saco gestacional) a partir da 5 semana de gestação (segundo mês) antes disso não adianta fazer que não irá aparecer nada e ficará em dúvida se está ou não está grávida.

4 - A partir de quando dá para fazer ultrassom para ver uma gravidez?

Somente se essa gestação tiver mais de 5 semanas, ou seja mais de mês de atraso menstrual, antes disso não adianta.

5 - Ultrassom pode dar o sexo errado do bebê?

Sim. É difícil de acontecer, porém é algo possível sim.

6 - Fiz uma ultrassom  transvaginal  e deu cisto no ovário, isto é grave?

A grande maioria de cisto de ovários é formada por cistos funcionais (ovulatórios) ou cistos benignos, os cistos malignos são uma ocorrência rara. Como saber qual tipo é? Converse com seu médico somente ele pode dar o diagnóstico.

7 - O que significa ovários não visualizados?

Significa que o médico que fez o exame não conseguiu ver os ovários, ou porque não estão lá ou porque algo não permitiu a visualização.

8 - Hiperplasia ou Hipertrofia do endométrio, o que isso significa no resultado do meu ultrassom?

Tanto a hipertrofia quanto a hiperplasia do endométrio significam que existe um aumento da camada interna do útero (que é o endométrio), pelo ultrassom não dá para definir qual das duas é a causa desse aumento, então o médico coloca as duas interrogadas no exame (isso é rotina), para saber qual das duas e qual a causa e o que realmente significa somente com a continuação da investigação e realização de novos exames.

9 - O que é Fundo de Saco de Douglas Livre?

"Fundo de Saco de Douglas" é o nome dado (anatomia) a um local no abdômen localizado atras do útero e se está "livre" significa que não há nada lá.

10 - O que significa líquido em Fundo de Saco de Douglas?

Significa que há líquido lá, pode ser água (muitas situações e doenças), sangue (algum sangramento ou hemorragia intra-abdominal) ou pus (alguma infecção intra-abdominal).

11 - O que é útero em AVF?

Útero em AVF é uma das maneiras normais de posicionamento do útero e significa útero em ântero-verso flexão (dobrado para frente).

Sangramento após tomar pílula do dia seguinte é normal? Por que ocorre?
Dra. Ângela Cassol
Dra. Ângela Cassol
Médico

Pode haver pequenos sangramentos e irregularidade menstrual após tomar a pílula do dia seguinte e ocorrem porque a pílula do dia seguinte contém hormônios em altas dosagens, que podem fazer o endométrio descamar, levando a sangramento.

O sangramento pode assumir várias formas: pode ser como uma menstruação normal ou pode ser diferente (pouco e claro ou pouco e tipo borra de café, ou pode até ter um sangramento forte como uma hemorragia).

É importante lembrar que a eficácia da pílula do dia seguinte é inferior a do anticoncepcional comum. Sendo assim, o fato de ter tido o sangramento não significa que não há possibilidade de gravidez, embora a chance seja pequena.

A eficácia da pílula do dia seguinte independe da presença ou ausência de sangramento. Contudo, se após tomar a pílula, sua menstruação atrasar por mais de duas semanas da data esperada, é necessário realizar um exame de gravidez.

É importante lembrar que o uso da pílula não previne doenças sexualmente transmissíveis. Use o preservativo em todas as relações sexuais.

Interação dos Anticoncepcionais com outros Remédios
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

1 - O que corta o efeito do anticoncepcional?

  • Rifampicina;
  • Rifabutina;
  • Carbamazepina;
  • Topiramato;
  • Fenitoína;
  • Barbitúricos (Fenobarbital, Tiopental, etc);
  • Oxcarbazepina;
  • Primidona;
  • Alguns anti retrovirais como o Ritonavir.

2 - O que não corta o efeito do anticoncepcional?

  • Aceclofenaco;
  • Acetilcisteína;
  • Alprazolam;
  • Amoxicilina;
  • Anti-alérgicos;
  • Anti-inflamatórios;
  • Arcoxia;
  • Azitromicina;
  • Bactrim;
  • Bebidas Alcoólicas;
  • Benzetacil,
  • Bupropiona;
  • Captopril;
  • Cefalexina;
  • Clindamicina;
  • Domperidona;
  • Dramin;
  • Fluoxetina;
  • Ibuprofeno;
  • Hidróxido de Alumínio;
  • Hidróxido de Magnésio;
  • Koide D;
  • Lansoprazol;
  • Levotiroxina (Puran T4);
  • Loratadina;
  • Metronidazol;
  • Naltrexona;
  • Naproxeno;
  • Nimesulida;
  • Omeprazol;
  • Paracetamol;
  • Propranolol;
  • Pílula do Dia Seguinte;
  • Ranitidina;
  • Ritalina;
  • Rivotril;
  • Sertralina;
  • Sibutramina;
  • Simeticona;
  • Sulfametoxazol + Trimetroprim;

Leia também: 5 Coisas que Podem Cortar o Efeito do Anticoncepcional

Se você usa ou vai usar alguma das medicações citadas no tópico 1, informe ao/à médico/a sobre qual anticoncepcional você está usando para que ele/ela possa avaliar a introdução de um método anticonceptivo adicional ou suspender a medicação hormonal.

O que é a fase lútea?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A fase lútea ou luteínica é a terceira e última fase do ciclo menstrual (fase estrogênica --> fase da ovulação --> fase lútea), em humanos e alguns animais. Começa com a formação do corpo lúteo (do dia em que ocorre a ovulação ao primeiro dia do próximo ciclo menstrual (menstruação). Dura aproximadamente 12 a 16 dias, quando o corpo lúteo degrada-se (luteólise), ou mantém-se ativo (quando a mulher engravida), liberando hormônios (grande quantidade de progesterona e moderada quantidade de estrógeno) que mantêm a gestação até que a placenta assuma esse papel, entre a oitava e décima segunda semanas.

O hormônio que predomina neste período é a progesterona (há uma queda nos níveis de estrógeno e um pico de progesterona), o que faz cessar o espessamento da camada mais interna do útero (endométrio), mas mantém a circulação sanguínea e aporte de nutrientes para o caso de uma eventual nidação (quando o óvulo fecundado se fixa ao endométrio). Caso ocorra a nidação, a produção de hCG pelas células do sinciciotrofoblasto mantém o corpo lúteo ativo; caso contrário ele degenera (processo que leva duas semanas a partir da ovulação) e a mulher menstrua, começando um novo ciclo. 

Acontecimentos importantes na fase lútea, em resumo:

  • Ocorre a ovulação (por volta do décimo segundo dia do ciclo menstrual);
  • O corpo lúteo começa a se formar a partir do folículo ovárico;
  • O óvulo é "colhido" pelas fímbrias da porção distal da tuba uterina e "conduzido" em direção ao útero principalmente por movimentos em ondas das paredes da tuba uterina;
  • Os níveis dos hormônios LH e FSH diminuem e retornam a níveis mais baixos e estáveis;
  • Os níveis de estrogênio diminuem e aumentam os níveis de progesterona, produzida pelo corpo lúteo;
  • O revestimento uterino (endométrio) permanece espessa e pronta para hospedar o óvulo fertilizado, ou o embrião em crescimento, se houver nidação;
  • O corpo lúteo encolhe e começa a morrer. Ao degenerar, origina o corpo hemorrágico e posteriormente é substituído por um tecido cicatricial branco (corpo albicans). O corpo lúteo está programado para morrer em 14 dias a partir da ovulação, a menos que receba estímulo (hCG produzido pelas células do sinciciotrofoblasto após nidação do óvulo fecundado no endométrio). Ocorre a menstruação, e um novo ciclo se inicia.
  • Se a fecundação ocorre, e o embrião se implanta no endométrio, o hCG resgata o corpo lúteo e ele continua a secretar estrogênio e principalmente progesterona durante a gravidez, até a 8ª ~ 12ª semana, quando a placenta assume esse papel.

Em caso de suspeita de gestação, um médico ginecologista deverá ser consultado.

Quantos dias a pílula do dia seguinte pode atrasar a menstruação?
Dr. Charles Schwambach
Dr. Charles Schwambach
Médico

Não existe um número exato de dias. Não precisava ter tomado a pílula do dia seguinte (não faz sentido, já que usa anticoncepcional). Deve começar a tomar a nova cartela do seu anticoncepcional no dia certo, independente do que está acontecendo com sua menstruação.

O que é a fase folicular?
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Dr. Marcelo Scarpari Dutra Rodrigues
Médico

A fase folicular, que varia em duração (aproximadamente 15 dias, variando de 9 a 23 dias), é a fase do ciclo menstrual que começa no primeiro dia de sangramento até imediatamente antes da rápida elevação da concentração do hormônio luteinizante (LH), que leva à ovulação (liberação do óvulo - fase de ovulação).

Esta fase recebe este nome porque os folículos ovarianos estão em processo de desenvolvimento. Divide-se em duas fases:

Primeira Metade

Durante a primeira metade da fase, a hipófise aumenta discretamente a secreção de hormônio folículo-estimulante (FSH), estimulando o crescimento de 3 a 30 folículos, cada um contendo um óvulo. Apenas um desses folículos continua a crescer. Os folículos estimulados produzem estrógeno, que por sua vez estimula o espessamento do endométrio e formação de vasos, tornando-o cada vez mais apto a receber o óvulo fecundado na terceira fase (luteínica). Do sexto ao décimo dia, o principal folículo continua a se desenvolver e a crescer, secretando estrogênio a uma taxa cada vez mais rápida, levando a um pico de estradiol por volta do décimo dia. Os níveis de LH e FSH mantêm-se baixos, no entanto estáveis, suportando o desenvolver do folículo.​

Segunda Metade

Na segunda metade da fase folicular, que dura do décimo primeiro ao décimo quarto dia do ciclo, em geral, o principal folículo continua a se desenvolver e a ficar maior e está quase pronto para ser liberado. O antro aumenta de tamanho, e a pressão fica próxima do nível mais elevado dentro do folículo. O folículo mantêm a secreção de estrogênio mas a taxas ainda superiores. Os níveis de estrogênio estão no seu ápice, indicando que o óvulo está em condições de ser liberado. O endométrio continua a crescer em resposta ao estímulo do estrogênio. O muco no colo uterino se torna fino e aquoso, preparando o ambiente para a chegada dos espermatozoides.​

Posso engravidar na pausa do anticoncepcional?
Dra. Nicole Geovana
Dra. Nicole Geovana
Medicina de Família e Comunidade

A mulher que faz uso correto do anticoncepcional, tomando um comprimido por dia, sempre no mesmo horário e sem apresentar esquecimento de pílulas, não engravida na pausa do anticoncepcional

A pausa do anticoncepcional é o intervalo entre uma cartela e outra. Nesses dias de intervalo, ocorrerá o sangramento equivalente à menstruação e, após essa pausa, a mulher deve iniciar a nova cartela e continuar tomando a medicação como indicada. 

Durante essa pausa, os hormônios da pílula continuam agindo no organismo da mulher e evitando a gravidez indesejada. 

Caso a mulher esteja começando o uso da pílula e esteja nas primeiras três cartelas, seu organismo está em fase de adaptação à medicação e, portanto, ela deve usar um método contraceptivo adicional (como o preservativo) para evitar possíveis falhas. 

O uso da amoxicilina juntamente com o anticoncepcional não diminui a eficácia da pílula. As duas medicações podem ser usadas ao mesmo tempo e, durante o tratamento com antibiótico, a mulher deve continuar o uso do anticoncepcional normalmente. 

Leia também:

Posso engravidar na troca do anticoncepcional?

Antibióticos cortam o efeito do anticoncepcional?

Estando grávida a menstruação desce na pausa do anticoncepcional?